Rodrigo Otávio Jordão Ramos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rodrigo Otávio Jordão Ramos
Nascimento 1910
Rio de Janeiro
Morte 1980
São Paulo
Cidadania Brasil
Ocupação militar
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rodrigo Otávio Jordão Ramos

Rodrigo Otávio Jordão Ramos (Rio de Janeiro, 8 de julho de 1910São Paulo, 6 de julho de 1980) foi militar e político brasileiro.[1]

Comandou o Ministério dos Transportes, entre 29 de janeiro e 6 de abril de 1955, no governo de Café Filho.

Foi Comandante Militar da Amazônia, entre 26 de julho de 1968 e 1 de julho de 1969.[2]

Ministro do Superior Tribunal Militar, aposentou-se em maio de 1979, depois de preterido para a presidência da dita corte.

Foi um dos primeiros oficiais do Exército a reivindicar o retorno do Brasil ao estado de direito e a se manifestar contra a tortura de presos políticos.

Morreu aos 70 anos devido a complicações após uma cirurgia de implante de ponte de safena no Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Seus restos mortais encontram-se sepultados no Campo da Boa Esperança, em Brasília.[3]

Referências

  1. Biografia na página do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC)
  2. «Eternos Comandantes do CMA». Consultado em 18 de maio de 2021 
  3. Jornal do Brasil, 7 de julho de 1980, p. 1


Precedido por
Lucas Lopes
Ministro dos Transportes do Brasil
1955
Sucedido por
Otávio Marcondes Ferraz
Precedido por
Dyrceu Araújo Nogueira
Brasão do Comando Militar da Amazônia.jpg
10º Comandante Militar da Amazônia

1968 - 1969
Sucedido por
José Nogueira Paes


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.