Fernando Nóbrega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fernando Nóbrega
Fernando Nóbrega
Fernando Carneiro da Cunha Nóbrega
Ministro do Tribunal Superior do Trabalho
Mandato: 7 de junho de 1960 até
21 de junho de 1968
21º Ministro Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio do Brasil
Mandato: 18 de julho de 1958 até
17 de abril de 1960
Nomeação por: Juscelino Kubitschek
Antecessor(a): Mário Meneghetti
Sucessor(a): João Batista Ramos
76º Ministro da Agricultura do Brasil
Mandato: 6 de abril de 1960 até
6 de junho de 1960
Nomeação por: Juscelino Kubitschek
Antecessor(a): Paulo Fróes da Cruz (interino)
Sucessor(a): Antônio de Barros Carvalho
17º Prefeito de João Pessoa
Mandato: Janeiro de 1938 até
Junho de 1940
Antecessor(a): Osvaldo Trigueiro Mello
Sucessor(a): Ernâni Sátiro
Dados pessoais
Nascimento: 20 de agosto de 1904
João Pessoa, PB
Falecimento: 9 de novembro de 1993 (89 anos)
Rio de Janeiro, RJ

Fernando Carneiro da Cunha Nóbrega (João Pessoa, 20 de agosto de 1904Rio de Janeiro, 9 de novembro de 1993) foi um advogado, jornalista e político brasileiro.[1]

Foi prefeito de João Pessoa de janeiro de 1938 a junho de 1940 e ministro do Trabalho, Indústria e Comércio[2] no governo Juscelino Kubitschek, de 18 de julho de 1958 a 17 de abril de 1960. Foi também ministro da Agricultura,[3] de 6 de abril a 6 de junho de 1960.

Em 7 de junho de 1960 foi nomeado Ministro do Tribunal Superior do Trabalho, tornando-se Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho em 21 de junho de 1968, cargo que ocupou até 18 de novembro de 1971.

Início da carreira e jornalismo[editar | editar código-fonte]

Fernando Nóbrega nasceu na Paraíba, onde hoje é o município de João Pessoa, em 1904. Seu pai, Francisco de Gouveia Nóbrega, era um juiz federal, o que teria feito com que ele também buscasse o direito como profissão, ingressando na Faculdade de Direito de Recife em 1923.[4]

Na ocasião, a frequência às aulas não era obrigatória, o que permitia que Nóbrega atuasse profissionalmente. João Suassuna, que se tornou presidente da Paraíba em 1924, convidou-o para ser seu secretário particular, cargo no qual permaneceu até 1928, um ano após se formar.[4]

Pouco antes de terminar seu mandato, Suassuna nomeou Nóbrega como curador-geral dos órgãos. João Pessoa, que assumiu o lugar de Suassuna na presidência do estado, no entanto, reviu os nomes indicados e dispensou os trabalhos do advogado.[4]

Nóbrega atuou então como diretor-secretário do jornal Diário da Paraíba, publicação através da qual pôde se posicionar politicamente como oposição a João Pessoa. Com a morte do então presidente do estado, o jornal foi tomado por populares que incendiaram o local.[5]

Referências

  1. Biografia no site da Fundação Getúlio Vargas
  2. «Galeria de Ex-corregedores, Tribunal Superior do Trabalho». Consultado em 25 de setembro de 2018 
  3. «Ministérios». Biblioteca. Consultado em 25 de setembro de 2018 
  4. a b c Verbete no Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas
  5. Biografia no site da Fundação Getúlio Vargas


Precedido por
Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Melo
Prefeito de João Pessoa
1938 — 1940
Sucedido por
Ernani Aires Sátiro e Sousa
Precedido por
Mário Meneghetti
Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio do Brasil
1958 — 1960
Sucedido por
João Batista Ramos
Precedido por
Mário Meneghetti
Ministro da Agricultura do Brasil
1960
Sucedido por
Antônio de Barros Carvalho


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.