Nélson de Melo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Nelson de Mello
Interventor do  Amazonas
Período 10 de outubro de 1933
a 19 de fevereiro de 1935
Antecessor(a) Álvaro Botelho Maia
Sucessor(a) Álvaro Botelho Maia
39º Ministro da Guerra do Brasil
Período 12 de junho de 1962
a 14 de setembro de 1962
Presidente João Goulart
Antecessor(a) João de Segadas Viana
Sucessor(a) Amaury Kruel
15º Comandante do II Exército
Período 9 de outubro de 1961
a 16 de julho de 1962
Presidente João Goulart
Antecessor(a) Osvaldo de Araújo Mota
Sucessor(a) Peri Constant Bevilacqua
18º Chefe do Gabinete Militar
do Brasil
Período 31 de janeiro de 1956
a 5 de agosto de 1960
Presidente Juscelino Kubitschek
Antecessor(a) Floriano de Lima Brayner
Sucessor(a) Benjamin Macedo Costa
Dados pessoais
Nome completo Nelson de Mello
Nascimento 20 de agosto de 1899
Santana do Livramento,  Rio Grande do Sul
Morte 3 de janeiro de 1989 (89 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Progenitores Mãe: Francisco Antônio de Siqueira e Melo [1]
Pai: Maria Isabel de Aguiar Melo[1]
Alma mater Escola Militar do Realengo[1]
Escola Superior de Guerra[1]
Cônjuge Odete Guimarães Santos Melo[1]
Serviço militar
Serviço/ramo Exército
Anos de serviço 1917-1969[1]
Graduação Marechal.gif Marechal
Comandos
  • 6º Regimento de Infantaria
  • Exército Brasileiro
Conflitos Revolução de 1924
Revolução de 1930
Revolução Constitucionalista de 1932
Segunda Guerra Mundial[1]
Condecorações Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis
Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique


Nélson de Melo [nota 1] GCAGCIH (Santana do Livramento, 20 de agosto de 1899Rio de Janeiro, 3 de janeiro de 1989) foi um militar brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi interventor federal no Amazonas, de 10 de outubro de 1933 a 19 de fevereiro de 1935.

Integrou a Força Expedicionária Brasileira na Itália, como comandante do 6.º Regimento de Infantaria. Sua unidade teve papel destacado na Batalha de Fornovo di Taro.

Foi chefe do Gabinete Militar no governo Juscelino Kubitschek, de 31 de janeiro de 1956 a 5 de agosto de 1960.

A 17 de Maio de 1958 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis e a 28 de fevereiro de 1961 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[2]

Comandou o II Exército, em São Paulo, entre 9 de outubro de 1961 e 16 de julho de 1962.[3]

Foi ministro da Guerra no governo João Goulart, de 12 de junho a 14 de setembro de 1962, no gabinete Brochado da Rocha.

Notas

  1. O nome do biografado era Nelson de Mello na ortografia de origem.

Referências

  1. a b c d e f g «Nélson de Melo». Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) - Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 30 de abril de 2021 
  2. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Nelson de Mello". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2 de abril de 2016 
  3. «Galeria dos antigos Comandantes do CMSE». Consultado em 3 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Álvaro Botelho Maia
Interventor Federal no Amazonas
1933 — 1935
Sucedido por
Álvaro Botelho Maia
Precedido por
Floriano de Lima Brayner
Coat of arms of Brazil.svg
18º Chefe do Gabinete Militar da Presidência da República

1956 — 1960
Sucedido por
Benjamin Macedo Costa
Precedido por
Osvaldo de Araújo Mota
CMSE.png
15º Comandante do II Exército

1961 - 1962
Sucedido por
Peri Constant Bevilacqua
Precedido por
João de Segadas Viana
Coat of arms of the Brazilian Army.svg
39º Ministro da Guerra do Brasil (República)

1962
Sucedido por
Amaury Kruel


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.