Polidoro Jordão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Polidoro Jordão
O Visconde de Santa Teresa por volta dos 66 anos de idade, c.1868
Nome completo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão
Nascimento 2 de novembro de 1802
Rio de Janeiro
Morte 13 de janeiro de 1879 (76 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Flag of Brazil (1870–1889).svg brasileiro
Ocupação General

Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão, Visconde de Santa Teresa, (Rio de Janeiro, 2 de novembro de 1802 — Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 1879) foi um general e ministro brasileiro, marcante personagem das guerras dos Farrapos e do Paraguai. Era filho do coronel João Florêncio Jordão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O marechal Polidoro.
Visconde de Santa Teresa.

Foi comandante do Corpo de Guardas Municipais Permanentes e do Corpo Municipal Permanente da Corte, atual Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, entre 1841 e 1844, e de 1846 a 1856. Durante a Guerra do Paraguai foi solicitada pelo general Osório, então comandante-chefe do Exército Brasileiro naquela campanha militar, a nomeação de um oficial de confiança que o pudesse substituir nos impedimentos. Foi então o general Polidoro nomeado pelo governo imperial, não somente para os impedimentos de Osório, mas também para substituir o visconde de Porto Alegre no comando do 2° Corpo. Tão logo chegou ao Paraguai, com o aumento dos padecimentos do general Osório, assumiu o comando do 1° Corpo, começando os seus trabalhos na Batalha de Curupaiti, em que as forças sobre seu comando fizeram com o maior heroísmo, a metralha do inimigo acorbertado por inacessíveis entricheiramentos.

Foi condecorado com a grã-cruz da Imperial Ordem de São Bento de Avis, dignitário do Ordem do Cruzeiro, comendador da Imperial Ordem da Rosa, com as medalhas do Mérito e Bravura Militar e a da Guerra do Paraguai.

Foi também por muitos anos o diretor da Escola Militar do Rio de Janeiro, antecessora da Academia Militar das Agulhas Negras.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Seu nome foi dado à antiga rua Berquó, no bairro carioca de Botafogo, em memória a seus serviços prestados, em sessão da câmara municipal de 17 de fevereiro de 1870. A rua com seu nome localiza-se defronte o Cemitério São João Batista. No Recife, no bairro da Várzea, há também uma importante avenida com o nome do general Polidoro. Em São Paulo, no bairro da Aclimação, há a Praça General Polidoro, que possui uma estátua sua.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Manuel Marques de Sousa
Ministro da Guerra
1862 — 1863
Sucedido por
José Mariano de Matos
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.