Ademar de Queirós

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marechal do Exército Brasileiro Coat of arms of the Brazilian Army.svg
Adhemar de Queiroz
Dados pessoais
Nascimento 1899 Rio de Janeiro, DF
Morte 1984 (85 anos) Rio de Janeiro, RJ
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Marechal.gif
Marechal
Comandos Exército Brasileiro

Adhemar de Queiroz GCC (Rio de Janeiro, DF, 1899Rio de Janeiro, RJ, 1984) foi um marechal brasileiro. Participou ativamente do Golpe de Estado no Brasil em 1964, o qual instaurou um regime militar que durou 21 anos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi nomeado Presidente da Petrobrás por Castelo Branco, exercendo esse cargo entre 7 de abril de 1964 e 30 de junho de 1966. Sua administração teve um forte sentido nacionalista. Enfrentou e derrotou a tese do Ministro do Planejamento Roberto Campos, que propunha dividir a empresa em várias unidades autônomas. O edifício sede da empresa, no Rio de Janeiro, tem o seu nome, como homenagem aos serviços que lá prestou.[1]

Foi o último ministro da Guerra, de 1 de julho de 1966 a 15 de março de 1967 uma vez que a partir de então o ministério foi rebatizado para Ministério do Exército.

A 21 de Setembro de 1966 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo de Portugal.[2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «A PETROBRAS E O GENERAL». Consultado em 17 de novembro de 2014. 
  2. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Ademar de Queiroz". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2 de abril de 2016. 
Precedido por
Osvino Ferreira Alves
Presidente da Petrobrás
1964 — 1966
Sucedido por
Irnack Carvalho do Amaral
Precedido por
Costa e Silva
Ministro da Guerra do Brasil
1966 — 1967
Sucedido por
Aurélio de Lira Tavares
(Ministro do Exército do Brasil)
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.