Ciro do Espírito Santo Cardoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cyro do Espírito Santo Cardoso
Dados pessoais
Nascimento 28 de agosto de 1898 Paraná Lapa
Morte 31 de agosto de 1979 (81 anos) Minas Gerais Belo Horizonte
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Insígnia de General de Divisão.gif
General de divisão
Comandos

Cyro do Espírito Santo Cardoso (Lapa, 24 de agosto de 1898Belo Horizonte, 31 de agosto de 1979) foi um militar brasileiro.

Filho de Augusto Inácio do Espírito Santo Cardoso e de Ana Fernandes Cardoso, concluiu o curso da Escola Militar do Realengo, em 1918.

Em julho de 1922, instrutor da escola, participou do movimento tenentista, sublevando a escola. Foi preso, condenado a um ano e quatro meses de reclusão. Fato que segurou sua carreira militar até a vitória da Revolução de 1930, com a anistia concedida em novembro de 1930.

Entre 1948 e 1950, comandou a Academia Militar das Agulhas Negras, sendo transferido, em maio, para Fortaleza, como comandante da 10ª Região Militar.

Durante o governo constitucional de Getúlio Vargas, foi chefe do Gabinete Militar, de 31 de janeiro de 1951 a 31 de março de 1952. Em seguida, foi ministro da Guerra de 26 de março de 1952 a 23 de fevereiro de 1954. Depois da divulgação do Manifesto dos Coronéis, foi exonerado do cargo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Newton de Andrade Cavalcanti
Chefe do Gabinete Militar
1951 — 1952
Sucedido por
Aguinaldo Caiado de Castro
Precedido por
Newton Estillac Leal
Ministro da Guerra do Brasil
1952 — 1954
Sucedido por
Euclides Zenóbio da Costa


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.