Mário Travassos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mário Travassos
Dados pessoais
Nascimento 20 de janeiro de 1891 Rio de Janeiro
Morte 20 de julho de 1973 (82 anos) Rio de Janeiro
Vida militar
Força Exército
Hierarquia Marechal.gif Marechal
Comandos

Mário Travassos ComTE (Rio de Janeiro, 20 de janeiro de 1891 — Rio de Janeiro, 20 de julho de 1973) foi um marechal brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho do General Silvestre Rodrigues da Silva Travassos e da senhora Maria José de Araújo Travassos, tendo se casado, em 1912, com Felismina Duarte de Oliveira Travassos.[1]

Ingressou na Escola Militar de Porto Alegre em 1908, sendo declarado aspirante a oficial em 2 de janeiro de 1911. Foi promovido a segundo tenente em 1915 e participou da Guerra do Contestado. Em 1920, ascendeu ao posto de primeiro tenente e, em 1925, a capitão.[1]

Seria ainda promovido a major em 1925, a tenente-coronel em 1933 e a coronel em 1941. Foi comandante do 8º Batalhão de Caçadores em São Leopoldo. Serviu no Estado-Maior do Exército em 1940 e foi instrutor da Escola de Estado-Maior em 1941.[1]

Em 1942 e 1943, comandou a Escola Preparatória de Cadetes do Ceará. Juntamente com o General José Pessoa, criou a Escola que seria a Academia Militar de Agulhas Negras.[1]

Comandou a Escola Militar do Realengo entre 9 de janeiro de 1943 e 28 de fevereiro de 1944. Em seguida, foi para Resende instalar o primeiro ano na nova Escola Militar de Resende, que comandou de 1 de março de 1944 até 27 de dezembro de 1945.[1]

Em 1946, foi promovido a general de brigada. Em 1947, foi comandante da 5.ª Região Militar, em Curitiba. Foi ainda Comandante do CAER em 1948 e Diretor de Ensino do Exército, onde realizou vários simpósios e seminários para reforma total do ensino na Força Terrestre. Em 1951, ascendeu a general de divisão e, em 1952, a general de exército. Foi transferido para a reserva e posteriormente promovido a marechal.[1]

Também participou da comissão que demarcou Brasília, juntamente com o Marechal José Pessoa.[1]

Foi autor de Projeção Continental do Brasil, um dos primeiros estudos sobre geopolítica feitos no Brasil.[2]

Foi também o primeiro presidente da Sociedade Pró-Livro-Espírita em Braille (SPLEB).

Em 5 de setembro de 1945 foi feito Comendador da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito de Portugal, sendo então Coronel.[3]

Referências

  1. a b c d e f g h «Marechal Mário Travassos» (PDF). Consultado em 24 de junho de 2021 
  2. Saboya, André Nassim de. «O pensamento de Mario Travassos e a política externa brasileira». Revista de Geopolítica. 9 (2). ISSN 2177-3246 
  3. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Mário Travassos". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 16 de abril de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Precedido por
Álcio Souto
AMAM.JPG
20º Comandante da Escola Militar do Realengo

1943 — 1944
Sucedido por
Augusto da Cunha Duque Estrada
Precedido por
-
AMAM.JPG
1º Comandante da Escola Militar de Resende

1944 — 1945
Sucedido por
Aristóteles de Sousa Dantas