Medalha Sangue do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Medalha Sangue do Brasil
Medalha Sangue do Brasil.jpg
Classificação
País  Brasil
Criação 5 de julho de 1945
Hierarquia
Imagem complementar BRA Medalha Sangue do Brasil.png
Barreta

A Medalha de Sangue do Brasil foi criada por intermédio do Decreto-Lei nº 7.709, de 5 de julho de 1945 com o objetivo de a agraciar oficiais, praças, assemelhados e civis, destacados para o teatro de operações na Itália, e que ali tivessem sido feridos em consequência de ação objetiva do inimigo. O decreto-lei foi promulgado por Getulio Vargas.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

A medalha é de bronze e possui as seguintes características:

Anverso: Sabre das Armas da República. Três estrelas vermelhas representando os três ferimentos recebidos pelo General Sampaio, no dia 24 de maio de 1866, na Batalha de Tuiuti – Guerra do Paraguai. Dois ramos de "Pau Brasil", orlando a medalha, lembram a Pátria e as origens de seu nome glorioso. Uma faixa arqueada está inscrita – Sangue do Brasil.[1]

Reverso: esfera da Bandeira Nacional envolvida pelos dois ramos de "Pau Brasil". A fita é de cor vermelha com um friso central, dividido em três partes iguais com as cores nacionais: amarelo, verde, amarelo.[1]

Referências

  1. a b c «Cria, no Exército, a medalha "Sangue do Brasil"». Decreto-lei nº 7709 de 05/07/1945 / PE - Poder Executivo Federal. Consultado em 25 de agosto de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.