Silvino Castor da Nóbrega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Silvino Castor da NóbregaCombatente Militar
Nascimento 28 de setembro de 1897
Soledade - Paraíba
Morte 17 de agosto de 1984 (86 anos)
Rio de Janeiro
País Brasil
Força Exército Brasileiro
Hierarquia General de Divisão
Comandos III/6ºRI; Batalhão de Guardas; Regimento Sampaio; 5º Regimento de Infantaria; Infantaria Divisionária da 6a Região Militar; Divisão Blindada; 5ª Região Militar
Batalhas/Guerras Segunda Guerra Mundial
Condecorações Bronze Star; Cruz de Combate de 1a Classe; Ordem do Mérito Militar

Silvino Castor da Nóbrega (Soledade, 28 de setembro de 1897 - Rio de Janeiro, 17 de agosto de 1984) foi um militar do Exército Brasileiro. Filho do Tenente-Coronel Carlos Castor de Araújo e de Francisca Nóbrega de Araújo, participou da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Durante a Segunda Guerra Mundial, como Major, comandou o III Batalhão[1] do 6º Regimento de Infantaria.[2]

Recebeu as condecorações militares, como as medalhas: Cruz de Combate de 1a classe do Brasil e a Bronze Star dos EUA. Como Tenente-Coronel, comandou o Batalhão de Guardas, localizado na cidade do Rio de Janeiro, atual Batalhão da Guarda Presidencial, localizado na cidade Brasília - DF e o Regimento Sampaio. Como coronel, comandou o 5º Regimento de Infantaria, em Lorena, São Paulo.

Ascendeu ao generalato em 1958 e assumiu o comando da Infantaria Divisionária da 6a Região Militar Porto Alegre - RS. Posteriormente, comandou também a Divisão Blindada no Rio de Janeiro de 13 de outubro de 1961 a 14 de agosto de 1963.

Em 1963, como General de Divisão, assumiu o Comando da 5ª Região Militar no Paraná/DI.[3]

Na cidade de Soledade na Paraíba há uma rua batizada em sua homenagem.[4]

Em 14 de setembro de 2017, o 37° Batalhão de Infantaria Leve, localizado em Lins (SP) teve sua designação história aprovada[5] e passou a designar-se "Batalhão GENERAL SILVINO CASTOR DA NOBREGA", em homenagem ao distinto herói da Força Expedicionária Brasileira e do Brasil.

Referências

  1. Gonçalves, José; Maximiano, César Campiani (2005). Irmãos de Armas: Um pelotão da FEB na II Guerra Mundial. São Paulo: Codex. p. 79. ISBN 85-7594-044-9 
  2. F.E.B. – Verás que um filho teu não foge à luta Analice Sauerbronn Reina. «F.E.B. – Verás que um filho teu não foge à luta» (PDF). Consultado em 9 de maio de 2015.  line feed character character in |autor= at position 48 (ajuda)
  3. «A revolução de 1964 e o movimento militar no paraná: a visão da caserna». Revista de Sociologia e Política. ISSN 0104-4478 
  4. Guia Telefone. «Guia Telefone». Consultado em 25 de setembro de 2017. 
  5. Secretaria-Geral do Exército. «Boletins do Exército Brasileiro». Consultado em 22 de setembro de 2017.