Rui Moreira Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rui Barbosa Moreira Lima
Rui Moreira Lima em seu P-47.
Nascimento 12 de junho de 1919
Colinas
Morte 13 de agosto de 2013 (94 anos)
Rio de Janeiro
Ocupação Piloto
Serviço militar
Serviço Coat of arms of the Brazilian Air Force.svg Força Aérea Brasileira
País  Brasil
Anos de serviço 1939 – 1964
Patente Tenente brigadeiro.gif Tenente-Brigadeiro-do-Ar
Unidades Distintivo da FEB 1 GC.PNG 1° Grupo de Aviação de Caça (GAvCa)
Comando Distintivo da FEB 1 GC.PNG1° Grupo de Aviação de Caça
Conflitos Segunda Guerra Mundial
Condecorações

Rui Barbosa Moreira Lima (Colinas, 12 de junho de 1919Rio de Janeiro, 13 de agosto de 2013)[1] foi um piloto militar de caça e Tenente-brigadeiro-do-ar brasileiro. Até o início de 2013, era um dos três únicos pilotos veteranos da participação brasileira na Segunda Guerra Mundial ainda vivos.[2]

Moreira Lima atuou ao lado dos militares legalistas que se opuseram ao Golpe de 1964, tendo sido perseguido e torturado pela ditadura militar que se seguiu.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Foi o piloto de combate da esquadrilha verde no 1° Grupo de Aviação de Caça (GAvCa) da Força Aérea Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial. Durante o combate, executou 94 missões. A primeira aconteceu em 6 de novembro de 1944 e a última em 1 de maio de 1945.

Além disso, foi comandante da Base Aérea de Santa Cruz entre 14 de agosto de 1962 e 2 de abril de 1964, quando foi afastado após o golpe militar. Foi cassado e preso pela Ditadura militar no Brasil (1964–1985). Foi posteriormente anistiado.

É o autor do livro Senta a Pua!, no qual conta as memórias dos combates no teatro de operações na Itália. Posteriormente, o livro ganhou uma versão em documentário, com o mesmo nome.

Em seu último livro, Rui Moreira Lima: O Diário de Guerra (Editora Adler, 2008) - narra da sua primeira missão de guerra até a sua última missão.

Em 24 de Maio de 2016, recebeu promoção post mortem a Tenente-brigadeiro-do-ar.[4]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Senta a pua! Editora Biblioteca do Exército, 1980.
  • Rui Moreira Lima: O Diário de Guerra. Editora Adler, 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Herói de guerra brasileiro perseguido pela ditadura militar morre aos 94 anos». UOL. Consultado em 13 de agosto de 2013 
  2. Lançamento Livro “Senta a Pua” – Brigadeiro Rui Moreira Lima
  3. Pedro Luiz Moreira Lima (1 de abril de 2014). «Uma mentira que insiste em sobreviver». Carta Capital. Consultado em 28 de dezembro de 2016 
  4. Nacional, Imprensa (24 de maio de 2016). «Diário Oficial da União». Diário Oficial da União. Consultado em 9 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]