Horácio Lafer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Horácio Lafer
Horácio Lafer
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
Período 1959 a 1961
Ministro da Fazenda do Brasil
Período 1951 a 1953
Deputado federal de São Paulo
Dados pessoais
Nascimento 3 de maio de 1900
São Paulo, Brasil
Morte 29 de junho de 1965 (65 anos)
Paris, França
Profissão Empresário

Horácio Lafer (São Paulo, 3 de maio de 1900Paris, 29 de junho de 1965) foi um diplomata, político e empresário brasileiro.[1] Foi deputado federal representando o estado de São Paulo, sendo eleito em 1934 e reeleito mais tarde pelo Partido Social Democrático.[2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Horácio Lafer, 1951. Arquivo Nacional

Filho de judeus lituanos, seu pai foi Miguel Lafer e sua mãe Nessel Klabin (os quais eram primos). Foi casado com Maria Luisa Salles (Mimi), sobrinha-neta do presidente Campos Sales (1841-1913). Teve duas filhas: Sylvia Lafer, que casou com o empresário, e mais tarde senador, Pedro Franco Piva;[5] são os pais de Eduardo Lafer Piva, Regina Lafer Piva e do economista Horácio Lafer Piva. E Graziela Lafer,[6] que casou com o empresário Paulo Sérgio Coutinho Galvão; são os pais de Maria Eugênia Lafer Galvão.[7]

É primo de Celso Lafer e também das colecionadoras Eva Klabin e Ema Gordon Klabin, e sobrinho de Maurício Freeman Klabin. Ao lado de seus primos, os Klabin, foi diretor e co-fundador da Klabin Papel e Celulose.[7][8]

Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, onde ingressou em 1916.[9] Formou-se também em Filosofia pela mesma faculdade, que mais tarde viria a integrar a Universidade de São Paulo.[3] Era fluente em inglês, francês, alemão, ídiche, italiano , espanhol e naturalmente o português.[9]

Durante o governo Washington Luís foi o representante do Brasil na Liga das Nações e em 1934 foi eleito deputado federal.

Foi de 1928 a 1929 assessor do Ministro das Relações Exteriores de Washington Luís, Otávio Mangabeira. De 1943 a 1945 integrou como membro do Conselho Técnico de Economia e Finanças do Ministério da Fazenda.[4] Em 1951, durante o último governo de Getúlio Vargas, foi ministro da Fazenda e já em 1959, no governo de Juscelino Kubitschek, foi ministro das Relações Exteriores.[4] Foi também um dos fundadores da Fiesp/Ciesp.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Tendências Filosóficas Contemporâneas (1929);[4]
  • Aspectos da Legislação Social (1946);[4]
  • Discriminação de rendas (1946);[4]
  • O crédito e o sistema bancário no Brasil (1948);[4]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Horácio Lafer - www.algosobre.com.br
  2. «KLABIN IRMÃOS & CIA: os empresários, a empresa e as estratégias de construção da hegemonia (1930-1945)» (PDF). UFF - Laboratório de História Econômico-Social - Maurício Gonçalves Margalho. Consultado em 26 de abril de 2014 
  3. a b «Ministros de Estado da Fazenda: Horácio Lafer». Consultado em 27 de abril de 2014 
  4. a b c d e f g «Biografia de Horácio Lafer no portal da Câmara dos Deputados». Câmara dos Deputados. Consultado em 5 de abril de 2018 
  5. «Empresário Pedro Piva, da Klabin, morre aos 83 anos». Valor Econômico. 27 de fevereiro de 2017. Consultado em 5 de abril de 2018 
  6. «Lista de bilionários brasileiros tem 31 mulheres; maioria herdou fortuna.». UOL Notícias. 4 de setembro de 2015. Consultado em 5 de abril de 2018 
  7. a b «Educação Judaica no Brasil. Lafer-Klabin de Poselvja: Empreendedores e Intelectuais Brasileiros» (PDF). Arquivo Histórico Judaico Brasileiro. Outubro de 2011. Consultado em 5 de abril de 2017 
  8. Carlos Heitor Cony, Sergio Lamarão, Rosa Maria Canha (2001). «Wolff Klabin: a trajetória de um pioneiro - A maior fábrica de papel do país». FGV Editora. Consultado em 3 de abril de 2018 
  9. a b «Pioneiros E Empreendedores: A Saga Do Desenvolvimento No Brasil». Editora Saraiva. Consultado em 27 de abril de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Manuel Guilherme da Silveira Filho
Ministro da Fazenda do Brasil
1951 — 1953
Sucedido por
Alberto Andrade de Queirós
Precedido por
Francisco Negrão de Lima
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1959 — 1961
Sucedido por
Afonso Arinos de Melo Franco
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.