Horácio Lafer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Horácio Lafer
Horácio Lafer
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
Período 1959
até 1961
Ministro da Fazenda do Brasil
Período 1951
até 1953
Deputado federal de São Paulo São Paulo
Dados pessoais
Nascimento 3 de maio de 1900
São Paulo, Brasil
Morte 29 de junho de 1965 (65 anos)
Paris, França
Profissão Empresário

Horácio Lafer (São Paulo, 3 de maio de 1900Paris, 29 de junho de 1965) foi um diplomata, político e empresário brasileiro.[1] Foi deputado federal representando o estado de São Paulo, sendo eleito em 1934 e reeleito mais tarde pelo Partido Social Democrático.[2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de judeus lituanos, seu pai foi Miguel Lafer e sua mãe Nessel Klabin (os quais eram primos). Foi casado com Maria Luisa Salles (Mimi), sobrinha-neta do presidente Campos Sales (1841-1913). Teve duas filhas: Sylvia Lafer, que casou com o empresário, e mais tarde senador, Pedro Franco Piva;[5] são os pais de Eduardo Lafer Piva, Regina Lafer Piva e do economista Horácio Lafer Piva. E Graziela Lafer,[6] que casou com o empresário Paulo Sérgio Coutinho Galvão; são os pais de Maria Eugênia Lafer Galvão.[7]

É primo de Celso Lafer e também das colecionadoras Eva Klabin e Ema Gordon Klabin, e sobrinho de Maurício Freeman Klabin. Ao lado de seus primos, os Klabin, foi diretor e co-fundador da Klabin Papel e Celulose.[7][8]

Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, onde ingressou em 1916.[9] Formou-se também em Filosofia pela mesma faculdade, que mais tarde viria a integrar a Universidade de São Paulo.[3] Era fluente em inglês, francês, alemão, ídiche, italiano , espanhol e naturalmente o português.[9]

Durante o governo Washington Luís foi o representante do Brasil na Liga das Nações e em 1934 foi eleito deputado federal.

Foi de 1928 a 1929 assessor do Ministro das Relações Exteriores de Washington Luís, Otávio Mangabeira. De 1943 a 1945 integrou como membro do Conselho Técnico de Economia e Finanças do Ministério da Fazenda.[4] Em 1951, durante o último governo de Getúlio Vargas, foi ministro da Fazenda e já em 1959, no governo de Juscelino Kubitschek, foi ministro das Relações Exteriores.[4] Foi também um dos fundadores da Fiesp/Ciesp.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Tendências Filosóficas Contemporâneas (1929);[4]
  • Aspectos da Legislação Social (1946);[4]
  • Discriminação de rendas (1946);[4]
  • O crédito e o sistema bancário no Brasil (1948);[4]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Horácio Lafer - www.algosobre.com.br
  2. «KLABIN IRMÃOS & CIA: os empresários, a empresa e as estratégias de construção da hegemonia (1930-1945)» (PDF). UFF - Laboratório de História Econômico-Social - Maurício Gonçalves Margalho. Consultado em 26 de abril de 2014 
  3. a b «Ministros de Estado da Fazenda: Horácio Lafer». Consultado em 27 de abril de 2014 
  4. a b c d e f g «Biografia de Horácio Lafer no portal da Câmara dos Deputados». Câmara dos Deputados. Consultado em 5 de abril de 2018 
  5. «Empresário Pedro Piva, da Klabin, morre aos 83 anos». Valor Econômico. 27 de fevereiro de 2017. Consultado em 5 de abril de 2018 
  6. «Lista de bilionários brasileiros tem 31 mulheres; maioria herdou fortuna.». UOL Notícias. 4 de setembro de 2015. Consultado em 5 de abril de 2018 
  7. a b «Educação Judaica no Brasil. Lafer-Klabin de Poselvja: Empreendedores e Intelectuais Brasileiros» (PDF). Arquivo Histórico Judaico Brasileiro. Outubro de 2011. Consultado em 5 de abril de 2017 
  8. Carlos Heitor Cony, Sergio Lamarão, Rosa Maria Canha (2001). «Wolff Klabin: a trajetória de um pioneiro - A maior fábrica de papel do país». FGV Editora. Consultado em 3 de abril de 2018 
  9. a b «Pioneiros E Empreendedores: A Saga Do Desenvolvimento No Brasil». Editora Saraiva. Consultado em 27 de abril de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Manuel Guilherme da Silveira Filho
Ministro da Fazenda do Brasil
1951 — 1953
Sucedido por
Alberto Andrade de Queirós
Precedido por
Francisco Negrão de Lima
Ministro das Relações Exteriores do Brasil
1959 — 1961
Sucedido por
Afonso Arinos de Melo Franco


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.