João Ribeiro de Oliveira e Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Ribeiro de Oliveira e Sousa
Nascimento 9 de julho de 1863
Morte 7 de novembro de 1933
Cidadania Brasil
Ocupação político

João Ribeiro de Oliveira e Sousa (Entre Rios de Minas, 9 de julho de 1863Rio de Janeiro, 7 de novembro de 1933) foi um advogado, banqueiro e político brasileiro.

Filho do Coronel Joaquim Ribeiro de Oliveira e Sra. Ardelina Carolina de Oliveira. Completou os estudos secundários no Colégio do Caraça e, posteriormente, formou-se pela faculdade de direito em São Paulo, em 1886.

Exerceu o cargo de promotor de justiça no município de Queluz (hoje Conselheiro Lafaiete), transferindo-se depois para Juiz de Fora, onde atuou como advogado. Durante a época em que cursava a faculdade em São Paulo, fez jornalismo, fundando, em 1888, em Juiz de Fora, o “Diário de Minas”, jornal de feição moderna para a época.

Aos 35 anos de idade, idealizou a criação de um estabelecimento bancário, o que veio a ocorrer com a fundação do Banco de Crédito Real de Minas Gerais S/A, que contou com a sua participação, no ano de 1889. Foi nomeado gerente naquele mesmo ano e, em 1893, elevado ao cargo de diretor-gerente, o qual ocupou até 1906. Ao regressar de uma viagem à França, a convite do presidente da república, Conselheiro Afonso Pena, ascendeu à presidência do Banco do Brasil. Em 1919 foi designado, pelo presidente da república, Delfim Moreira, para o ministério da fazenda. Fundou o Banco Mercantil do Rio de Janeiro, do qual foi presidente até a data de seu falecimento, em 7 de novembro de 1933.[1]

Foi ministro da Fazenda no governo de Delfim Moreira, de 17 de janeiro a 27 de julho de 1919.[2]

Referências

  1. Carlos Alberto Dias Ferreira (2012). «Francisco Paulo de Almeida - Barão de Guaraciaba: Um negro e sua rede de sociabilidade na Fundação do Banco de Crédito Real de Minas Gerais» (PDF). Anais do XV Encontro Regional de História da ANPUH-RJ. Consultado em 3 de fevereiro de 2021 
  2. «Biografia». Consultado em 17 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2015 


Precedido por
Amaro Cavalcanti
Ministro da Fazenda do Brasil
1919
Sucedido por
Homero Batista