Lúcio Martins Meira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lúcio Meira
Lúcio Meira
Interventor no Rio de Janeiro
Período 11 de fevereiro de 1946
até 23 de setembro de 1946
Antecessor Abel Magalhães
Sucessor Hugo Silva
Dados pessoais
Nascimento 3 de março de 1907
Petrópolis, Rio de Janeiro
Morte 24 de dezembro de 1991 (84 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Profissão militar
Discurso de Lúcio Martins Meira, Ministro da Viação e Obras Públicas sobre as realizações do Ministério em 1956, em A Voz do Brasil.

Lúcio Martins Meira ou simplesmente Lúcio Meira (Petrópolis, 3 de março de 1907Rio de Janeiro, 24 de dezembro de 1991) foi um militar, engenheiro, político e administrador brasileiro.

Ingressando na Escola Naval, na cidade do Rio de Janeiro — então Distrito Federal — em 1923, seguindo carreira na Marinha do Brasil. Diplomou-se ainda em engenharia civil pela Escola Nacional de Engenharia, em 1942, sendo promovido a capitão-de-corveta.

Em 11 de fevereiro de 1946 foi nomeado interventor federal no estado do Rio de Janeiro, em substituição ao desembargador Abel Magalhães, ocupando o cargo até 23 de setembro daquele ano.[1]

Com o retorno de Getúlio Vargas à presidência da República em 1951, tornou-se subchefe do Gabinete Militar. No mesmo ano foi designado representante da Marinha na Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI) da presidência da República, assumindo a direção do grupo responsável pela implementação da indústria automobilística. Em 1954, com o suicídio de Vargas, deixou o Gabinete Militar e as atividades da CDI.

Foi indicado ainda para ocupar o Ministério da Viação e Obras Públicas no governo de Juscelino Kubitschek, sendo que em 1959 deixou a pasta que ocupava para presidir o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDE). Ocupou ainda a presidência da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) entre 1961 e 1963, afastando-se então da vida pública.

Dá seu nome à rodovia BR-393, entre os municípios fluminenses de Barra Mansa e Três Rios, na região Sul Fluminense.

Referências

  1. LACOMBE, Lourenço Luiz. Os chefes do Executivo Fluminense. Petrópolis, RJ : Museu Imperial, 1973.


Precedido por
Abel Magalhães
Interventor no Rio de Janeiro
1946
Sucedido por
Hugo Silva
Precedido por
Lucas Lopes
Ministro dos Transportes do Brasil
1956 — 1959
Sucedido por
Ernani do Amaral Peixoto
Precedido por
Roberto Campos
Presidente do BNDES
1959 — 1961
Sucedido por
José Vicente Faria Lima


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.