Dias de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de José Pedro Dias de Carvalho)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dias de Carvalho
Senador por Minas Gerais
Período 1877 até 1881
1858 até 1875
Presidente da Câmara dos Deputados
Período 2 de maio de 1847
até 24 de junho de 1848
Antecessor Francisco Muniz Tavares
Sucessor Antônio Pinto Chichorro da Gama
Ministro da Fazenda
Período 12 de maio de 1865
até 4 de março de 1866
Antecessor Carlos Carneiro de Campos
Sucessor Francisco de Paula da Silveira Lobo
Período 15 de janeiro de 1864
até 31 de agosto de 1864
Antecessor Miguel Calmon du Pin e Almeida
Sucessor Carlos Carneiro de Campos
Presidente do Banco do Brasil
Período 8 de julho de 1857
até 15 de fevereiro de 1859
Antecessor Joaquim José Rodrigues Torres
Sucessor Joaquim José Rodrigues Torres
Deputado geral por Minas Gerais
Período 1855 até 1856
1850 até 1852
1845 até 1848
1834 até 1841
Vice-presidente da Província de Minas Gerais
Período 1847
Antecessor Quintiliano José da Silva
Sucessor Manuel José Gomes Rebelo Horta
Dados pessoais
Nome completo José Pedro Dias de Carvalho
Nascimento 16 de julho de 1808
Mariana, Província de Minas Gerais, Império do Brasil
Morte 26 de julho de 1881 (73 anos)
Rio de Janeiro, RJ, Império do Brasil
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Seminário de Mariana
Partido Liberal
Profissão Jornalista, político
[1][2][3][4][5]

José Pedro Dias de Carvalho (Mariana, 16 de julho de 1808 — Rio de Janeiro, 26 de julho de 1881) foi um jornalista e político brasileiro. Da época do Império, Dias de Carvalho foi senador e deputado geral pela Província de Minas Gerais, além de presidente da Câmara dos Deputados, conselheiro de Estado, ministro da Fazenda e presidente do Banco do Brasil.[1][2][4]

Família e educação[editar | editar código-fonte]

Carvalho nasceu em Mariana, na Província de Minas Gerais, onde viveu durante os primeiros anos de sua vida. Era filho de um negociante que havia migrado de Beira, Portugal. Trabalhou na casa comercial de seu pai em Ouro Preto[6] e concluiu seus estudos no Seminário de Mariana.[1]

Era avô do deputado João Pedro Carvalho Vieira e bisavô do senador João Pedro Gouveia de Carvalho Vieira.[7]

Foi um dos redatores dos jornais Universal, Parlamentar e O Itacolomy, filiados ao Partido Liberal.[8]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Carvalho iniciou sua carreira política como vereador, sendo em seguida deputado provincial, representando a região de Mariana.[6][1] Em 1834, elegeu-se deputado geral, permanecendo na Câmara dos Deputados até 1841. Durante as Revoltas liberais de 1842, foi secretário do governo revolucionário de Minas Gerais.[9]

Em 1847, Carvalho foi designado vice-presidente da Província de Minas Gerais.[1] No mesmo ano, foi eleito presidente da Câmara dos Deputados, ocupando o cargo até 1848. Foi senador do Império por mais de duas décadas, com seu primeiro mandato iniciando em 1858.[3]

De 1876 a 1881, Carvalho integrou o Conselho de Estado.[10] Foi ministro de Estado da Fazenda mais de uma vez, em 1864 e em 1865 a 1866, bem como por outros períodos em caráter interino.[2]

Carvalho foi presidente do Banco do Brasil por duas vezes, no período de 1857 a 1859 e durante um mês em 1869, de forma interina.[4]

Referências

  1. a b c d e «Senador Dias de Carvalho». Senado Federal do Brasil. Consultado em 31 de julho de 2020 
  2. a b c «José Pedro Dias de Carvalho». Ministério da Fazenda do Brasil. 16 de julho de 2020. Consultado em 31 de julho de 2020 
  3. a b «DIAS DE CARVALHO». Câmara dos Deputados do Brasil. 2020. Consultado em 31 de julho de 2020 
  4. a b c «BANCO DO BRASIL – RELAÇÃO DOS PRESIDENTES (DESDE 1853)». Banco do Brasil. 23 de maio de 2012. Consultado em 31 de julho de 2020 
  5. «Império - Segundo Reinado - Dom Pedro II». Secretaria Especial da Fazenda. Consultado em 31 de julho de 2020 
  6. a b Claus Rodarte (2014). «Os liberais de Minas e o "regresso"» (PDF). Secretaria Especial da Fazenda. Consultado em 31 de julho de 2020 
  7. Raimundo Helio Lopes. «VIEIRA, João Pedro Carvalho» (PDF). Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Consultado em 31 de julho de 2020 
  8. Lorn dos Anjos Rodrigues (2015). «Do estigma da revolução ao fazer "o que estava em nós": Os liberais mineiros em seu Quinquênio (1844-1848)» (PDF). Universidade Federal de São João Del Rey. Consultado em 31 de julho de 2020 
  9. Lyra, Carlos Tavares de (1978). Presidentes da Câmara dos Deputados durante o Império: 1826 a 1889. Brasília, Distrito Federal: Câmara dos Deputados do Brasil. p. 53 
  10. Maria Fernanda Vieira Martins. «UM PERFIL ECONÔMICO DA ELITE BRASILEIRA NO II REINADO A PARTIR DO CONSELHO DE ESTADO» (PDF). Universidade Federal do Rio de Janeiro. Consultado em 31 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Quintiliano José da Silva
Presidente da província de Minas Gerais
1847 — 1848
Sucedido por
Manuel José Gomes Rebelo Horta
Precedido por
Antônio Paulino Limpo de Abreu
Ministro da Fazenda do Brasil
1848
Sucedido por
Francisco de Paula Sousa e Melo
Precedido por
José Carlos Pereira de Almeida Torres
Ministro dos Negócios do Império do Brasil
1848
Sucedido por
José da Costa Carvalho
Precedido por
José Maria da Silva Paranhos
Ministro da Fazenda do Brasil
1862
Sucedido por
Antônio Francisco de Paula Holanda Cavalcanti de Albuquerque
Precedido por
Antônio Francisco de Paula Holanda Cavalcanti de Albuquerque
Ministro da Fazenda do Brasil
1864
Sucedido por
Carlos Carneiro de Campos
Precedido por
Carlos Carneiro de Campos
Ministro da Fazenda do Brasil
1865 — 1866
Sucedido por
Francisco de Paula da Silveira Lobo
Precedido por
Joaquim José Rodrigues Torres
Joaquim José Rodrigues Torres
Presidente do Banco do Brasil
1857 — 1859
1869
Sucedido por
Francisco de Sales Torres Homem
Militão Máximo de Sousa


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.