Bernardo Jacinto da Veiga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Bernardo Jacinto da Veiga (Rio de Janeiro, 20 de junho de 180221 de junho de 1845) foi um político brasileiro.

Filho de Francisco Luís da Veiga e de Francisca Xavier de Barros, foi um autodidata, que aprendeu por si só latim, francês, história, geografia e aritmética.[1]. Seguiu então para a cidade de Campanha, onde casou e abriu uma casa de comércio.[1]

Eleito para diversos cargos públicos, foi deputado provincial, delegado de instrução pública. Foi presidente da província de Minas Gerais por duas vezes, de 21 de março de 1838 a 22 de agosto de 1840 e de outubro de 1842 a 23 de março de 1843. Combateu a Revolução de 1842 em Minas Gerais, o que arruinou sua saúde e resultou na sua morte.[1] Durante a revolução trocou uma extensa correspondência com o visconde do Uruguai, descrevendo em minúcias os acontecimentos da revolução e seus personagens.[1]

Era do conselho de sua majestade, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Brasil, diretor geral dos Correios e oficial da Imperial Ordem da Rosa.

Referências

  1. a b c d BLAKE, Augusto Victorino Alves Sacramento Blake. Diccionario bibliographico brazileiro. 7 vols, 1883.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
José Cesário de Miranda Ribeiro
Presidente da província de Minas Gerais
18381840
Sucedido por
Manuel Machado Nunes
Precedido por
Herculano Ferreira Pena
Presidente da província de Minas Gerais
18421843
Sucedido por
Francisco José de Sousa Soares de Andréa
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.