Fábio Riodi Yassuda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fábio Riodi Yassuda
Ministro da Indústria e Comércio
Período 30 de outubro de 1969 a 23 de fevereiro de 1970
Dados pessoais
Nascimento 30 de agosto de 1922[1]
Pindamonhangaba, SP
Morte 19 de junho de 2011 (88 anos)
São Paulo, SP
Alma mater Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo
linkWP:PPO#Brasil

Fábio Riodi Yassuda, em japonês: 安田 良治 [Yasuda Ryōji], (Pindamonhangaba, 30 de agosto de 1922São Paulo, 29 de junho de 2011) foi um político nipo-brasileiro. [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 30 de agosto de 1922, em Pindamonhangaba, São Paulo, filho de um topógrafo Rioiti Yassuda, que havia se instalado na região em meados da década de 1910. Foi educado em escolas rurais, tendo gosto pela agricultura. Em 1939, mudou-se para Piracicaba, para estudar na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo. Trabalhou na Cooperativa Agrícola de Cotia, onde trabalhou, diretor, diretor-gerente e diretor-superintendente.[1]

Na década de 1960 Carlos Lacerda tentou convencer Fábio a aceitar a Secretaria da Economia do Estado da Guanabara, em seu governo. Yassuda pediu a Lacerda para convencer a diretoria da Cooperativa Agrícola de Cotia a liberá-lo de suas funções. Alegou que não queria sair criando atritos com os cooperados. Em seguida, convenceu a diretoria da Cooperativa a não liberá-lo. Lacerda chegou a se reuniu duas vezes com os diretores da empresa dos quais recebeu duas negativas. O prefeito da cidade de São Paulo José Vicente Faria Lima, também tentou levar Yassuda, sem êxito.[2]

Em 1969, na gestão de Paulo Maluf, Yassuda foi indicado pelo Serviço Nacional de Informações para ocupar a secretaria de Abastecimento da prefeitura de São Paulo, pois, um coronel havia dito para os amigos de Yassuda: "Ou ele vai ser cassado, ou vai para o governo".[2] Pouco depois, foi o presidente Médici quem o convocou-o a "prestar serviços à revolução", como ministro da agricultura, mas, a incompatibilidade entre o plano de governo militar e os ideais do nikkei para o meio agrícola acabaram por colocá-lo à frente do Ministério da Indústria e Comércio, onde foi ministro da Indústria e Comércio no governo Médici, de 30 de outubro de 1969 a 23 de fevereiro de 1970, foi o primeiro nikkei a se tornar ministro no Brasil.[1]

Após a curta carreira política, dedicou-se à iniciativa privada até 1976. Comprou um barco, que manteve ancorado em Paraty, Rio de Janeiro, que também serviu como moradia por dez anos, viajando pela costa brasileira.[1]

Referências

  1. a b c d «Entrevistas - Nippo-Brasil». NippoBrasil.com.br. Consultado em 22 de março de 2014 
  2. a b c «Fábio Yassuda, ilustre filho da "Princesa do Norte"». tribunadonorte.net. Consultado em 22 de março de 2014. Cópia arquivada em 22 de março de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Edmundo de Macedo Soares e Silva
Ministro da Indústria e Comércio do Brasil
1969 — 1970
Sucedido por
Marcus Vinícius Pratini de Moraes


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.