Eleições estaduais na Bahia em 1994

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1990 Brasil 1998
Eleições estaduais na Bahia Bahia em 1994
3 de outubro de 1994
(Primeiro turno)
15 de novembro de 1994
(Segundo turno)
Paulo Souto.jpg Joao durval.JPG
Candidato Paulo Souto João Durval Carneiro
Partido PFL PMN
Natural de Caetité, BA Feira de Santana, BA
Vice César Borges (PFL) Germano Tabacoff (PDT)
Votos 2.235.659 1.577.043
Porcentagem 58,64% 41,36%


Brasão do estado da Bahia.svg

Governador da Bahia

Eleito
Paulo Souto
PFL

As eleições estaduais na Bahia em 1994 aconteceram em 3 de outubro como parte das eleições gerais no Distrito Federal e em 26 estados. O resultado apontou uma vitória maciça do PFL que elegeu o governador Paulo Souto, o vice-governador César Borges, os senadores Antônio Carlos Magalhães e Waldeck Ornelas e fez as maiores bancadas entre os 39 deputados federais e 63 deputados estaduais eleitos. Como nenhum aspirante ao Palácio de Ondina somou a metade mais um dos votos válidos, houve um segundo turno em 15 de novembro e conforme a Constituição e a Lei nº 8.713,[1][2] o vencedor tomaria posse a 1º de janeiro de 1995 para quatro anos de mandato e originalmente sem direito a reeleição.[3][nota 1]

Nascido em Caetité, o governador Paulo Souto foi radialista em Ilhéus e ao chegar em Salvador trabalhou na Rádio Sociedade da Bahia durante o curso de Geologia na Universidade Federal da Bahia graduando-se em 1966. Ao voltar a Ilhéus, trabalhou junto à lavoura cacaueira e doutorou-se pela Universidade de São Paulo em 1973. Nomeado secretário de Minas e Energia em 1979 pelo governador Antônio Carlos Magalhães, foi mantido no cargo por João Durval Carneiro e em 1987, o presidente José Sarney o escolheu para dirigir a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. Em 1990 foi eleito vice-governador na chapa de Antônio Carlos Magalhães a quem serviu como secretário de Indústria e Comércio. Renunciou, juntamente com o titular, para concorrer ao pleito de 1994, no qual foi eleito governador da Bahia pelo PFL.[4]

Seu companheiro de chapa foi o engenheiro civil César Borges. Nascido em Salvador e formado pela Universidade Federal da Bahia, foi professor da instituição e antes trabalhou na iniciativa privada. Durante o governo de João Durval Carneiro presidiu a Junta Comercial da Bahia e foi chefe de gabinete da Secretaria da Indústria e Comércio. Filiado ao PFL elegeu-se deputado estadual em 1986 e 1990, pedindo licença para assumir a Secretaria de Recursos Hídricos no terceiro governo de Antônio Carlos Magalhães. Eleito vice-governador, assumiria o Palácio de Ondina em 1998 quando Paulo Souto renunciou para concorrer ao Senado Federal.[5]

O senador mais votado foi Antônio Carlos Magalhães, médico formado pela Universidade Federal da Bahia e natural de Salvador. Também jornalista e empresário, ingressou na UDN e foi eleito deputado estadual em 1954 e deputado federal em 1958, 1962 e 1966, filiou-se à ARENA em apoio ao Regime Militar de 1964.[6] Nomeado prefeito de Salvador nos últimos dias do governo Lomanto Júnior em 1967, foi mantido no cargo por Luís Viana Filho, tornando-se governador biônico da Bahia em 1970 e presidente da Eletrobras em 1975 antes de retornar ao governo do estado em 1978. Dissidente do PDS, deu apoio a Tancredo Neves na eleição presidencial de 1985 e comandou o Ministério das Comunicações no Governo Sarney, firmando-se como liderança nacional do PFL e ao sair do cargo elegeu-se governador da Bahia em 1990.[7]

A outra vaga de senador ficou com o advogado Waldeck Ornelas, nascido em Ipiaú e graduado pela Universidade de Brasília.[8] Assessor de órgãos da prefeitura de Salvador e do governo baiano, trabalhou na iniciativa privada antes de assumir a superintendência do Banco de Desenvolvimento da Bahia no segundo governo de Antônio Carlos Magalhães e a Secretaria de Planejamento no governo de João Durval Carneiro. Filiado ao PFL, foi eleito deputado federal em 1986 e 1990 tendo que se afastar da Câmara dos Deputados para voltar à Secretaria de Planejamento no terceiro governo Antônio Carlos Magalhães.[9]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral houve 3.280.012 votos nominais (63,61%), 1.392.849 votos em branco (27,01%) e 483.519 votos nulos (9,38%) resultando no comparecimento de 5.156.380 eleitores (73,33%).[10]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Souto
PFL
César Borges
PFL
25
Vontade do Povo
(PFL, PTB, PL, PPR, PP, PSC)
1.617.127
49,30%
João Durval Carneiro
PMN
Germano Tabacoff
PDT
33
Força do Povo
(PMN, PDT)
829.646
25,29%
Jutahy Magalhães Júnior
PSDB
Sérgio Gaudenzi
PSDB
45
Frente Bahia Popular
(PSDB, PT, PPS, PV, PSB, PCdoB)
463.331
14,13%
Nilo Coelho
PMDB
Sebastião Castro
PMDB
15
PMDB (sem coligação)
271.404
8,27%
Álvaro Martins Santos
PRN
Ricardo Penalva
PRN
36
PRN, PSD, PTdoB
98.504
3,00%
  Segundo Turno

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Conforme o Tribunal Superior Eleitoral houve 3.812.702 votos nominais (87,28%), 75.722 votos em branco (1,73%) e 479.768 votos nulos (10,98%), resultando no comparecimento de 4.368.192 eleitores (62,12%).[11]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Paulo Souto
PFL
César Borges
PFL
25
Vontade do Povo
(PFL, PTB, PL, PPR, PP, PSC)
2.235.659
58,64%
João Durval Carneiro
PMN
Germano Tabacoff
PDT
33
Força do Povo
(PMN, PDT)
1.577.043
41,36%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Dados fornecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral. Sete candidatos concorreram a duas vagas no Senado. O total de votos válidos foi 5.156.380 (73,33%).[12]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Antônio Carlos Magalhães
PFL
Antônio Carlos Júnior
PFL
252
Vontade do Povo
(PFL, PTB, PL, PPR, PP, PSC)
1.926.557
37,36%
Waldeck Ornelas
PFL
Djalma Bessa
PFL
253
Vontade do Povo
(PFL, PTB, PL, PPR, PP, PSC)
1.291.382
25,04%
Waldir Pires
PSDB
Não disponível
PSDB
452
Frente Bahia Popular
(PSDB, PT, PPS, PV, PSB, PCdoB)
1.288.316
24,98%
Zezéu Ribeiro
PT
Não disponível
PT
132
Frente Bahia Popular
(PSDB, PT, PPS, PV, PSB, PCdoB)
692.321
13,43%
Marcelo Duarte
PMDB
Não disponível
PMDB
152
PMDB (sem coligação)
354.189
6,87%
Joviniano Neto
PDT
Não disponível
PDT
122
Força do Povo
(PMN, PDT)
171.429
3,32%
Ivan Carvalho
PDT
Não disponível
PDT
123
Força do Povo
(PMN, PDT)
160.185
3,11%
  Eleitos

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[13][14] Conforme o Tribunal Superior Eleitoral, houve 2.907.863 votos nominais (56,39%), 945.473 votos em branco (18,33%) e 1.303.424 votos nulos (25,28%), resultando no comparecimento de 5.156.766 eleitores (73,34%).[15]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Luís Eduardo Magalhães[nota 2] PFL 138.084 4,75% Salvador Bahia Bahia
Marcos Medrado PP 82.065 2,82% Salvador Bahia Bahia
José Rocha PFL 71.903 2,47% Coribe Bahia Bahia
Roland Lavigne PL 70.993 2,44% Una Bahia Bahia
Benito Gama PFL 69.540 2,39% Ituaçu Bahia Bahia
Félix Mendonça PTB 66.645 2,29% Conceição do Almeida Bahia Bahia
Eujácio Simões PL 60.122 2,07% Itororó Bahia Bahia
Eraldo Tinoco PFL 56.318 1,94% Ipiaú Bahia Bahia
José Carlos Aleluia PFL 54.236 1,87% Salvador Bahia Bahia
Jorge Khoury PFL 53.852 1,85% Juazeiro Bahia Bahia
Jairo Azi PFL 51.615 1,78% Lamarão Bahia Bahia
Jonival Lucas PFL 47.388 1,63% Sapeaçu Bahia Bahia
Roberto Santos PSDB 45.885 1,58% Salvador Bahia Bahia
Pedro Irujo PMDB 44.223 1,52% Pamplona Flag of Spain.svg Espanha
Simara Ellery PMDB 43.285 1,49% Recife  Pernambuco
Prisco Viana PPR 43.377 1,46% Caetité Bahia Bahia
Jairo Carneiro PFL 42.247 1,45% Feira de Santana Bahia Bahia
Domingos Leonelli PSDB 42.218 1,45% Salvador Bahia Bahia
Luiz Moreira PFL 42.070 1,45% Jequié Bahia Bahia
Aroldo Cedraz PFL 41.452 1,43% Valente Bahia Bahia
Manoel Castro PFL 41.423 1,42% Salvador Bahia Bahia
Haroldo Lima PCdoB 39.043 1,34% Caetité Bahia Bahia
Cláudio Cajado PFL 36.678 1,33% Salvador Bahia Bahia
Leur Lomanto PFL 38.093 1,31% Jequié Bahia Bahia
Ubaldino Júnior[nota 3] PSB 37.690 1,30% Nanuque  Minas Gerais
Coriolano Sales PDT 35.997 1,24% Santa Teresinha Bahia Bahia
Geddel Vieira Lima PMDB 34.770 1,20% Salvador Bahia Bahia
Luiz Braga PFL 33.997 1,17% Salvador Bahia Bahia
Sérgio Carneiro PDT 33.988 1,17% Feira de Santana Bahia Bahia
Nestor Duarte PMDB 33.916 1,17% Salvador Bahia Bahia
Ursicino Queiroz PFL 33.754 1,16% Santo Antônio de Jesus Bahia Bahia
Alcides Modesto PT 30.511 1,05% Remanso Bahia Bahia
Jaques Wagner PT 30.033 1,03% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
João Almeida PMDB 29.904 1,03% Brejões Bahia Bahia
João Leão PSDB 29.135 1,00% Recife  Pernambuco
Mário Negromonte PSDB 28.966 1,00% Recife  Pernambuco
Fernando Gomes[nota 3] PMDB 26.865 0,92% Itabuna Bahia Bahia
Beto Lélis[nota 3] PSB 24.395 0,84% Ibipeba Bahia Bahia
Severiano Alves PDT 22.222 0,76% Antas Bahia Bahia

Notas

  1. A posse dos governadores eleitos em 1990 no Amapá, Distrito Federal e Roraima aconteceu em 1º de janeiro de 1991 conforme o Art. 28 da Carta de 1988 que estabeleceu o primeiro dia do ano para a posse de todos os governadores eleitos a partir de 1994
  2. Faleceu em 21 de abril de 1998 em Brasília sendo efetivado Jaime Fernandes.
  3. a b c Em 1996 Ubaldino Júnior, Fernando Gomes e Beto Lélis foram eleitos prefeitos de Porto Seguro, Itabuna e Irecê, respectivamente. Foram efetivados Walter Pinheiro, Luiz Alberto e Colbert Martins

Referências

  1. «BRASIL. Presidência da República. Constituição de 1988». Consultado em 20 de junho de 2019 
  2. «BRASIL. Presidência da República Lei 8.713 de 30/09/1993». Consultado em 20 de junho de 2019 
  3. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 20 de junho de 2019 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Paulo Souto». Consultado em 20 de junho de 2019 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador César Borges». Consultado em 20 de junho de 2019 
  6. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Antônio Carlos Magalhães». Consultado em 20 de junho de 2019 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Antônio Carlos Magalhães». Consultado em 20 de junho de 2019 
  8. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Waldeck Ornelas». Consultado em 20 de junho de 2019 
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Waldeck Ornelas». Consultado em 20 de junho de 2019 
  10. «Resultado final do estado da Bahia - 1º turno». TSE. 1º de maio de 1999. Consultado em 5 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2012 
  11. «Resultado final do estado da Bahia - 2º turno». TSE. 1º de maio de 1999. Consultado em 5 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 20 de maio de 2014 
  12. «Resultado final do estado da Bahia - Senador». TSE. 1º de maio de 1999. Consultado em 5 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2012 
  13. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 20 de junho de 2019 
  14. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 20 de junho de 2019 
  15. «Resultado final do estado da Bahia - Deputado Federal». TSE. 1º de maio de 1999. Consultado em 5 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 3 de agosto de 2012