Eleições estaduais na Bahia em 1970

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1966 Brasil 1974
Eleições estaduais na Bahia Bahia em 1970
3 de outubro de 1970
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1970
(Eleição direta)


ACM 2007.jpeg
Candidato Antônio Carlos Magalhães


Partido ARENA


Natural de Salvador, BA


Vice Menandro Minahim
Votos 47
Porcentagem 100%


Brasão do estado da Bahia.svg
Governador da Bahia

As eleições estaduais na Bahia em 1970 ocorreram em duas etapas de acordo com o Ato Institucional Número Três. Com isso, a eleição indireta do governador Antônio Carlos Magalhães e do vice-governador Menandro Minahim foi realizada em 3 de outubro enquanto a escolha dos senadores Heitor Dias e Rui Santos, 22 deputados federais e 46 estaduais ocorreu em 15 de novembro num rito igual ao aplicado a todos os 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[1][2][nota 1][3][4]

Natural de Salvador, o governador Antônio Carlos Magalhães presidiu o Grêmio Estudantil do Colégio Estadual da Bahia e depois foi aluno da Universidade Federal da Bahia onde chegou à presidência do Centro Acadêmico, da Faculdade de Medicina e do Diretório Central dos Estudantes. Formado em 1952, foi professor na referida universidade até filiar-se à UDN, sendo eleito deputado estadual em 1954 e deputado federal em 1958 e 1962. Aliado do Regime Militar de 1964, foi reeleito à Câmara dos Deputados pela ARENA em 1966. Entretanto passou a maior parte do mandato à frente da prefeitura de Salvador[nota 2] por escolha do governador Lomanto Júnior e aquiescência de seu sucessor, Luís Viana Filho, a quem Magalhães substituiria por decisão do presidente Emílio Garrastazu Médici em 1970. Após essa vitória foram lançadas as sementes do carlismo graças à vinculação de seu líder aos sucessivos governos militares a partir de 1964 e, mesmo na Nova República, sua atuação o permitiu eleger a maioria dos governadores baianos até o princípio do Século XXI.[5][6][nota 3]

Para vice-governador foi apontado o também médico Menandro Minahim. Formado na Universidade Federal da Bahia, militou no PDC e foi prefeito de Serrinha e Jaguaquara, eleito respectivamente em 1947 e 1950. Também exerceu quatro mandatos consecutivos de deputado estadual.[7]

Na eleição para senador o mais votado foi Heitor Dias. Advogado nascido em Santo Amaro e formado na Universidade Federal da Bahia em 1935, exerceu o magistério na referida instituição. Secretário do Instituto do Cacau da Bahia, foi correligionário de Otávio Mangabeira, que o tornou diretor da Imprensa Oficial do Estado. Eleito sucessivamente vereador em 1954 e prefeito de Salvador em 1958, chegando à Câmara dos Deputados em 1962 e 1966, quando já trocara a UDN pela ARENA. Ele também exerceu os cargos de secretário de Governo de Lomanto Júnior e secretário de Justiça de Luís Viana Filho.[8][9]

Também vindo da UDN e igualmente formado na Universidade Federal da Bahia, o médico Rui Santos conseguiu a segunda cadeira senatorial após cumprir seis mandatos de deputado federal a partir de 1945. Natural de Casa Nova, foi secretário de Governo na segunda estadia de Juracy Magalhães pelo Palácio da Aclamação.[nota 4][10][11]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Numa eleição a cargo da Assembleia Legislativa da Bahia a ARENA votou na chapa vencedora enquanto no MDB houve seis abstenções e duas ausências.[12][13]

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Antônio Carlos Magalhães
ARENA
Menandro Minahim
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
47
100%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Conforme o acervo do Tribunal Superior Eleitoral foram apurados 1.782.921 votos nominais (65,45%), 834.137 votos em branco (30,62%) e 107.088 votos nulos (3,93%), resultando no comparecimento de 2.724.146 eleitores na disputa para senador.[1]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Heitor Dias
ARENA
Cícero Dantas
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
683.221
38,32%
Rui Santos
ARENA
Josafá Azevedo
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
672.806
37,74%
Josaphat Marinho
MDB
Aloysio de Castro
MDB
-
MDB (sem coligação)
426.894
23,94%
  Eleitos

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[14][15]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Lomanto Júnior ARENA 101.277 Jequié Bahia Bahia
João Alves ARENA 39.641 Maceió  Alagoas
Ney Ferreira MDB 36.762 Salvador Bahia Bahia
Francisco Pinto[nota 5] MDB 34.298 Feira de Santana Bahia Bahia
Djalma Bessa ARENA 32.843 Xique-Xique Bahia Bahia
Wilson Falcão ARENA 32.249 Feira de Santana Bahia Bahia
Vasco Neto ARENA 30.722 Guaxupé  Minas Gerais
Manoel Novaes ARENA 29.493 Floresta  Pernambuco
Rogério Rego ARENA 28.728 Salvador Bahia Bahia
Theódulo Albuquerque ARENA 28.397 Pilão Arcado Bahia Bahia
Tourinho Dantas ARENA 27.067 Salvador Bahia Bahia
Fernando Magalhães ARENA 26.192 Conceição do Almeida Bahia Bahia
Hanequim Dantas ARENA 25.769 Aracaju  Sergipe
Prisco Viana ARENA 25.482 Caetité Bahia Bahia
Necy Novaes ARENA 24.688 São Paulo  São Paulo
Rui Bacelar ARENA 23.658 Entre Rios Bahia Bahia
Edvaldo Flores ARENA 23.584 Vitória da Conquista Bahia Bahia
Ivo Braga ARENA 23.068 Casa Nova Bahia Bahia
Odulfo Domingues ARENA 21.986 Jacaraci Bahia Bahia
Luís Braga ARENA 21.535 Salvador Bahia Bahia
José Penedo ARENA 20.500 Tucano Bahia Bahia
Walson Lopes[nota 6] MDB 17.594 Nazaré Bahia Bahia

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Das cinquenta cadeiras em disputa o placar foi de quarenta para a ARENA e seis para o MDB segundo o Tribunal Superior Eleitoral e a Assembleia Legislativa da Bahia.[1][16]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Ângelo Magalhães ARENA 37.110 4,22% Salvador Bahia Bahia
Cristóvão Ferreira ARENA 29.452 Salvador Bahia Bahia
Afrísio Vieira Lima ARENA 25.785 Remanso Bahia Bahia
Jutahy Magalhães ARENA 23.884 Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Horácio Matos ARENA 23.456 Lençóis Bahia Bahia
Firmo Pinheiro ARENA 22.230 Salvador Bahia Bahia
José Lourenço ARENA 18.298 Porto Portugal Portugal
Honorato Viana ARENA 17.141 Casa Nova Bahia Bahia
Urbano Neto ARENA 16.376 Jitaúna Bahia Bahia
Augusto Mathias ARENA 15.603 São Félix Bahia Bahia
Clodoaldo Campos MDB 15.528 Irará Bahia Bahia
Bião de Cerqueira ARENA 15.290 São Francisco do Conde Bahia Bahia
Sacramento Neto ARENA 15.254 Ruy Barbosa Bahia Bahia
Paulo Nunes ARENA 15.221 Ruy Barbosa Bahia Bahia
Clemenceau Teixeira ARENA 14.879 Salvador Bahia Bahia
Edvaldo Valois ARENA 14.345 Jacobina Bahia Bahia
Rodolfo Queiroz ARENA 14.252 Pilão Arcado Bahia Bahia
Oscar Marques MDB 14.250 Feira de Santana Bahia Bahia
Eliseu Leal ARENA 14.196 Gandu Bahia Bahia
Eujácio Simões ARENA 13.735 Itabaianinha  Sergipe
Plínio Carneiro ARENA 13.471 Serrinha Bahia Bahia
Vilobaldo Freitas ARENA 13.026 Caetité Bahia Bahia
Abelardo Veloso MDB 12.992 Salvador Bahia Bahia
Ana Oliveira ARENA 12.630 Serrinha Bahia Bahia
Jairo Sento Sé ARENA 12.548 Juazeiro Bahia Bahia
Medeiros Neto ARENA 12.534 Salvador Bahia Bahia
Orlando Spínola ARENA 12.422 Salvador Bahia Bahia
Carlos Araújo ARENA 12.195 Conceição do Coité Bahia Bahia
Accioly Vieira ARENA 12.144 Cícero Dantas Bahia Bahia
Jairo Azi ARENA 12.126 Lamarão Bahia Bahia
Rocha Pires ARENA 11.907 Jacobina Bahia Bahia
Agostinho Pinheiro ARENA 11.749 São Miguel das Matas Bahia Bahia
Bento Carvalho ARENA 11.641 Aracaju  Sergipe
Márcio Cardoso ARENA 11.575 Felisburgo  Minas Gerais
Áureo Filho ARENA 11.272 Feira de Santana Bahia Bahia
Raimundo Rocha Pires ARENA 11.248 São Félix Bahia Bahia
Henrique Brito ARENA 10.742 São Gonçalo dos Campos Bahia Bahia
Hélio Correia ARENA 10.582 Macarani Bahia Bahia
Dilson Nogueira ARENA 10.098 Xique-Xique Bahia Bahia
Stoessel Dourado ARENA 9.554 Paripiranga Bahia Bahia
Manoelito Teixeira ARENA 9.476 Candeias Bahia Bahia
José Eloy ARENA 9.454 Itacuruba  Pernambuco
Edvaldo Correia ARENA 9.357 Cachoeira Bahia Bahia
Cosme de Farias MDB 8.800 Salvador Bahia Bahia
Antônio José MDB 6.234 Vitória da Conquista Bahia Bahia
Newton Campos MDB 6.058 Salvador Bahia Bahia

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Segundo a página oficial da Câmara dos Deputados ele permaneceu no cargo entre 10 de fevereiro de 1967 e 6 de abril de 1970.
  3. A corrente carlista saiu derrotada com a escolha de Roberto Santos pelo presidente Ernesto Geisel em 1974 e as eleições de Waldir Pires em 1986 (que renunciaria em favor de Nilo Coelho) e Jaques Wagner em 2006, um ano antes da morte de Antônio Carlos Magalhães.
  4. A sede do governo baiano só mudaria para o Palácio de Ondina em 1967.
  5. Condenado a seis meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal por proferir um discurso considerado ofensivo ao presidente chileno, Augusto Pinochet, teve o mandato extinto e em seu lugar assumiu Vieira de Melo Filho.
  6. Faleceu à 3 de julho de 1972 e em seu lugar foi efetivado João Borges.

Referências

  1. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 21 de maio de 2018 
  2. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 7 de novembro de 2013 
  3. ... e fez-se o Arenão. Disponível em Veja, ed. 116 de 25/11/1970. São Paulo: Abril. Página visitada em 7 de novembro de 2013.
  4. «Acervo digital Veja». Consultado em 7 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Antônio Carlos Magalhães». Consultado em 30 de setembro de 2015 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador Antônio Carlos Magalhães». Consultado em 21 de maio de 2018 
  7. «Assembleia Legislativa da Bahia: deputado Menandro Minahim». Consultado em 1º de outubro de 2015 
  8. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Heitor Dias». Consultado em 30 de setembro de 2015 
  9. «Senado Federal do Brasil: senador Heitor Dias». Consultado em 21 de maio de 2018 
  10. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Rui Santos». Consultado em 30 de setembro de 2015 
  11. «Senado Federal do Brasil: senador Rui Santos». Consultado em 21 de maio de 2018 
  12. «Legislativos elegem; MDB faz restrições (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 04/10/1970. Geral, p. 04.». Consultado em 23 de maio de 2018 
  13. Assembléias (sic) estaduais elegem os governadores (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 04/10/1970. Primeiro caderno, p. 26. Página visitada em 21 de maio de 2018.
  14. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 14 de setembro de 2015. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  15. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 14 de setembro de 2015 
  16. «Assembleia Legislativa da Bahia: relação dos deputados estaduais». Consultado em 8 de novembro de 2013