Eleições estaduais no Piauí em 1970

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
1966 Brasil 1974
Eleições estaduais no  Piauí em 1970
3 de outubro de 1970
(Eleição indireta)
15 de novembro de 1970
(Eleição direta)


Alberto Tavares e Silva, Governador do Piauí..tif
Candidato Alberto Silva


Partido ARENA


Natural de Parnaíba, PI


Vice Sebastião Leal
Votos 35
Porcentagem 87,50%


Brasão do Piauí.svg
Governador do Piauí

As eleições estaduais no Piauí em 1970 aconteceram em duas fases conforme previa o Ato Institucional Número Três[1] e assim a eleição indireta do governador Alberto Silva e do vice-governador Sebastião Leal foi em 3 de outubro e a escolha dos senadores Fausto Castelo Branco e Helvídio Nunes, sete deputados federais e vinte e um estaduais ocorreu em 15 de novembro mediante um receituário aplicado aos 22 estados e aos territórios federais do Amapá, Rondônia e Roraima.[2][3][4][nota 1]

Nascido em Parnaíba, o governador Alberto Silva é formado pela Universidade Federal de Itajubá como engenheiro civil, engenheiro eletricista e engenheiro mecânico e chefiou o serviço de transportes elétricos da Estrada de Ferro Central do Brasil na cidade do Rio de Janeiro (1941-1947). De volta ao Piauí, ingressou na UDN e foi eleito prefeito de Parnaíba em 1948 e 1954 e deputado estadual em 1950. Em sua cidade natal dirigiu por duas vezes a estrada de ferro e a seguir a Companhia de Força e Luz até ser nomeado presidente da Companhia Energética do Ceará em 1962, cargo que ocupou até retornar ao Piauí e assumir o Palácio de Karnak via ARENA. A escolha do vice-governador recaiu sobre Sebastião Leal, nascido em Uruçuí e formado em Odontologia pela Universidade Federal do Maranhão sendo também professor da Universidade Federal do Piauí. Sua carreira política teve início no PSD e foi eleito deputado estadual em 1958, 1962 e 1966 ingressando na ARENA tão logo os militares impuseram o bipartidarismo.

Por ordem de votação os senadores eleitos foram o médico Fausto Castelo Branco e o ex-governador Helvídio Nunes. O primeiro nasceu em Teresina e se formou na Universidade do Estado do Rio de Janeiro com especialização em Dermatologia e Alergologia e seu primeiro mandato político foi o de deputado federal pela ARENA em 1966. Sobre Helvídio Nunes ele nasceu em Picos e é advogado formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Oriundo da UDN foi eleito prefeito de Picos em 1954 e deputado estadual em 1958 e 1962 até ser eleito indiretamente governador do Piauí em 1966.[5][6][7]

Em relação às eleições proporcionais nem mesmo uma vitória maciça da ARENA livrou o pleito de controvérsias, vide o processo instaurado a fim de apurar a ocorrência de fraudes, o caso do "mapismo".[8] Encaminhado ao Supremo Tribunal Federal por Henrique Fonseca de Araújo, procurador-geral da República, foi arquivado pelos dispositivos da Lei da Anistia.[9]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Compareceram à sessão quarenta deputados estaduais.

Candidatos a governador do estado
Candidatos a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Alberto Silva
ARENA
Sebastião Leal
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
35
87,50%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral foram apurados 480.495 votos nominais (68,82%), 209.566 votos em branco (30,02%) e 8.105 votos nulos (1,16%), resultando no comparecimento de 698.166 eleitores.[10]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Fausto Castelo Branco
ARENA
Walterdes Sampaio
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
199.281
41,47%
Helvídio Nunes
ARENA
Jesus Tajra
ARENA
-
ARENA (sem coligação)
179.846
37,43%
Josípio Lustosa
MDB
João Mendes Nepomuceno Neto
MDB
-
MDB (sem coligação)
101.368
21,10%
  Eleitos

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

São relacionados os candidatos eleitos com informações complementares da Câmara dos Deputados.[11][12]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Sousa Santos[nota 2] ARENA 31.824 9,79% Bom Jesus  Piauí
Dirno Pires ARENA 26.833 8,26% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Severo Eulálio MDB 26.143 8,04% Picos  Piauí
Pinheiro Machado ARENA 25.133 7,73% Parnaíba  Piauí
Milton Brandão ARENA 24.995 7,69% Pedro II  Piauí
Paulo Ferraz ARENA 22.282 6,86% Teresina  Piauí
Heitor Cavalcanti ARENA 20.371 6,27% Paulistana  Piauí

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

O placar das bancadas apontava dezessete a quatro para a ARENA frente ao MDB, ou seja, o governo detinha mais de 80% das vagas.[nota 3]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Francisco Figueiredo MDB 10.976 3,34% União  Piauí
Filadelfo de Castro MDB 9.154 2,78% Nova Iorque  Maranhão
Waldemar Macedo ARENA 8.419 2,56% São Raimundo Nonato  Piauí
Afrânio Nunes ARENA 8.390 2,55% Amarante  Piauí
Wilson Brandão ARENA 8.343 2,54% Pedro II  Piauí
João Lobo ARENA 7.834 2,38% Floriano  Piauí
Edson Martins ARENA 7.723 2,35%
Walmor Carvalho ARENA 7.682 2,34%
Oscar Eulálio MDB 7.511 2,28% Picos  Piauí
Raimundo Urtiga ARENA 7.451 2,27% São José da Lagoa Tapada  Paraíba
Ribeiro Magalhães ARENA 7.303 2,22% Piracuruca  Piauí
Pedro Portela ARENA 7.162 2,18%
Carvalho e Silva ARENA 7.161 2,18% Teresina  Piauí
Humberto Silveira ARENA 7.132 2,17% Jaicós  Piauí
Djalma Veloso ARENA 7.091 2,16% Valença do Piauí  Piauí
Bona Medeiros ARENA 7.052 2,14% União  Piauí
Roberto Raulino ARENA 6.994 2,13% Altos  Piauí
José de Castro ARENA 6.950 2,11% São Raimundo Nonato  Piauí
Wilson Parente ARENA 6.456 1,96% Cristino Castro  Piauí
Josefina Costa ARENA 6.335 1,93% São Raimundo Nonato  Piauí
Nogueira Filho MDB 5.884 1,79% Pedro II  Piauí

Eleições municipais[editar | editar código-fonte]

Nesse mesmo dia foram realizadas eleições municipais em todo o estado e nelas a ARENA venceu em cento e três municípios e nomeou o prefeito de Teresina enquanto o MDB fez dez prefeitos.[10][nota 4]

Notas

  1. Nos referidos territórios o pleito serviu apenas para a escolha de deputados federais, não havendo eleições no Distrito Federal e no Território Federal de Fernando de Noronha.
  2. Faleceu em 31 de julho de 1973 e foi substituído por Adalberto Correia Lima.
  3. Durante o quadriênio, o vice-governador Sebastião Leal teve João Lobo e Ribeiro Magalhães como vice-presidentes do legislativo.
  4. Em 1970 a oposição venceu em Eliseu Martins, Esperantina, Floriano, Guadalupe, Itaueira, Jaicós, Rio Grande do Piauí, São José do Piauí, São João do Piauí e Simplício Mendes, mas esse número que caiu pela metade em 1972 quando os oposicionistas venceram apenas em Guadalupe, Palmeirais, Parnaíba, União e Valença do Piauí.

Referências

  1. «Subsecretaria de Informações do Senado Federal do Brasil: Ato Institucional Número Três». Consultado em 13 de novembro de 2013 
  2. «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 22 de maio de 2018 
  3. ... e fez-se o Arenão. Disponível em Veja, ed. 116 de 25/11/1970. São Paulo: Abril. Página visitada em 13 de novembro de 2013.
  4. «Acervo digital Veja». Consultado em 13 de novembro de 2013. Arquivado do original em 29 de outubro de 2013 
  5. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Fausto Gaioso». Consultado em 22 de maio de 2018 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador Fausto Gaioso». Consultado em 22 de maio de 2018 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Helvídio Nunes». Consultado em 22 de maio de 2018 
  8. PEREIRA, Vanderlei. Procurador resolve acusar implicados em fraude no Piauí (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 14/06/1976. Primeiro caderno, p. 03. Página visitada em 5 de maio de 2019.
  9. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 6.683 de 28/08/1979». Consultado em 5 de maio de 2019 
  10. a b «Banco de dados do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí». Consultado em 14 de janeiro de 2013 
  11. «Página oficial da Câmara dos Deputados». Consultado em 28 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  12. «BRASIL. Presidência da República: Lei nº 9.504 de 30/09/1997». Consultado em 28 de janeiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.