São João do Piauí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São João do Piauí
Represa de Jenipapo

Represa de Jenipapo
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 05 de julho de 1906 (109 anos)
Fundação 05 de julho de 1906
Gentílico sanjoanense
Padroeiro(a) São João Batista
CEP 64760-000
Prefeito(a) Gil Carlos Modesto Alves (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de São João do Piauí
Localização de São João do Piauí no Piauí
São João do Piauí está localizado em: Brasil
São João do Piauí
Localização de São João do Piauí no Brasil
08° 21' 28" S 42° 14' 49" O08° 21' 28" S 42° 14' 49" O
Unidade federativa  Piauí
Mesorregião Sudeste Piauiense IBGE/2008[1]
Microrregião Alto Médio Canindé IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Pedro Laurentino e Socorro do Piauí
Sul: João Costa e Dom Inocêncio
Leste:: Campo Alegre do Fidalgo e Capitão Gervásio Oliveira
Oeste: Ribeira do Piauí e Brejo do Piauí.
Distância até a capital 516 km
Características geográficas
Área 1 532,432 km² [2]
População 22 452 hab. IBGE/2015Amnut[3]
Densidade 14,65 hab./km²
Altitude 222 m
Clima Semiárido Tropical
Semi-Árido (D)[4]  
BSh
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,701 alto PNUD/2015[5]
Gini 0.41 PNUD/2010[5]
PIB R$ 173 835 788,92 IBGE/2015[6]
PIB per capita R$ 7 742,55 IBGE/2015[6]
Página oficial

São João do Piauí é um município brasileiro do estado do Piauí. Localiza-se a uma latitude 08°21'29" sul e a uma longitude 42°14'48" oeste, estando a uma altitude de 222 metros. Sua população até o ano de 2010 era de 19.548 habitantes. Possui uma área de 1.488,8 km²[6] .

Localizada na Mesorregião do Sudeste Piauiense, às margens do rio Piauí, e à aproximadamente 440 km da capital Teresina.

São João tem sua economia concentrada na agricultura familiar, na pecuária e mais recentemente, no comércio, sendo assim uma das cidades mais importantes do sul do estado. No município encontra-se uma das maiores subestações de energia do país, bem como a grande Barragem do Jenipapo, recentemente estruturada para atividades turísticas. A principal via de acesso é a BR-020, que liga Fortaleza à Brasília.

Algumas das principais atrações no município são: a Praça Honório Santos com mais de 34 mil metros quadrados de área; e a cada de shows Pátio São João, ambas as maior do estado do Piauí. A cidade dispõe dos serviços financeiros do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, além de sediar o Cartório da 20ª Zona Eleitoral.

Subdivisões Administrativas[editar | editar código-fonte]

Subdivisão geográfica[editar | editar código-fonte]

Subdivisão de planejamento[editar | editar código-fonte]

O “Planejamento Participativo para o Desenvolvimento Sustentável” é um recurso, cunhado pelo Governo do Estado, que visa desenvolver um amplo e participativo processo de planejamento territorial. Além de definir estratégias de desenvolvimento de médio e longo prazo, tal planejamento tem como ênfase a elaboração e implementação de planos regionais, tornando fundamental a participação efetiva dos municípios e comunidades.

No plano estadual de desenvolvimento o município se situa[7] :

  • Macrorregião dos Semiáridos Piauienses;
  • Território Integrado da Serra da Capivara;
  • Aglomerado 17.

Fruticultura Irrigada[editar | editar código-fonte]

A Codevasf implantou na cidade um projeto piloto de irrigação de uva no Assentamento Marrecas, o primeiro assentamento do estado. Com isso, o Piauí vem se destacando como um dos mais promissores estados na produção de fruticultura irrigada, sendo o município de São João do Piauí um dos maiores produtores[8] .

Festival da Uva[editar | editar código-fonte]

O Governo do Estado do Piauí, por sua vez, realiza na cidade o Festival da Uva, cuja primeira edição ocorreu em janeiro de 2009 e a segunda aconteceu em dezembro deste mesmo ano. Em 2013, o evento entrou oficialmente para calendário de eventos culturais do Piauí, passando a acontecer sempre no mês de novembro, festejando a boa safra de uvas e outras frutas.

O evento também conta com passeios eco turísticos e muitos shows e apresentações, que geralmente ocorrem no centro da cidade ou no balneário da Represa de Jenipapo.

Educação[editar | editar código-fonte]

Regularmente, a rede pública de ensino básico oferece escolas nas categorias de ensino fundamental I, fundamental II e ensino médio. Esses serviços também estão disponíveis em algumas escolas privadas do município. Até o ano de 2012 o município contava com 26 escolas de nível fundamental e 8 de nível médio[6] .

No ensino técnico e superior a cidade conta com:

Economia[editar | editar código-fonte]

Composição econômica do município
Impostos
8,5%
Serviços
76,0%
Agropecuária
2,4%
Indústria
13,0%

Predominantemente a economia municipal se sustenta nas atividades do setor de indústrias e prestação de serviços. Até 2010, 62,66% da população enquadravam-se no perfil de economicamente ativa.

Segundo dados do IBGE, o município produz anualmente um Produto Interno Bruto a preço corrente de 107.404 mil reais anuais, gerando assim uma renda per capita anual de 5.410,24 mil reais.

Basicamente a composição econômica do município é caracterizada da seguinte forma[6] :

  • Imposto sobre produtos líquidos de subsídio: R$ 9.172,00
  • Valor bruto da agropecuária: R$ 2.613,00
  • Valor bruto da indústria: R$ 13.935,00
  • Valor bruto dos serviços: R$ 81.684,00

Um dos setores que também merece destaque no contexto econômico é o do turismo, que no mês de junho injeta na economia local um considerável montante financeiro, o qual se dá principalmente em função das festividades religiosas e festivais artísticos, tradicionais no município e amplamente popularizados no estado do Piauí.

Aspectos Geológicos[editar | editar código-fonte]

BR-020-Trecho entre João Costa e São João do Piauí.

A região apresenta solos, em grande parte proveniente da alteração de filito, arenito, siltito, laterito e folhelho. Os solos são rasos ou pouco espessos, jovens, às vezes pedregosos. Dentre os solos regionais predominam latossolos álicos e distróficos de textura média a argilosa, presença de misturas de vegetais, fase caatinga hipoxerófila e/ou caatinga/cerrado caducifólio[9] .

As formas de relevo comuns na região são principalmente: superfícies tabulares reelaboradas, relevo plano com partes suavemente onduladas e altitudes variando de 150 a 300 metros; superfícies tabulares cimeiras, com relevo plano, com grandes mesas recortadas e superfícies onduladas com relevo movimentado, encostas e prolongamentos residuais de chapadas, desníveis e encostas mais acentuadas de vales, elevações (serras, morros e colinas).

O contexto geológico do município de São João do Piauí é, predominantemente, formado por rochas sedimentares da Bacia do Parnaíba, representadas pelo Grupo Serra Grande (arenitos e conglomerados) e formações Pimenteiras (folhelhos e siltitos) e Cabeças (arenitos e conglomerados), além dos Depósitos Colúvio-Eluviais (areias, argilas e lateritos)[9] .

As rochas do embasamento cristalino afloram, apenas, numa pequena área localizada no sul do município e são representadas por filitos da Unidade Barra Bonita.

O relevo urbano é composto por leves ondulações com elevações variáveis em torno dos 222 metros de altitude. A cidade situa-se às margens do Rio Piauí, um dos principais recursos hídricos da região, além da Represa de Jenipapo.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os principais cursos d’água que drenam o município de São João do Piauí são os rios Piauí, Luís Calado, do Peixe e Toca da Onça.

Quanto aos recursos subterrâneos no município distinguem-se três domínios hidrogeológicos: rochas cristalinas, rochas sedimentares e coberturas colúvio-eluviais. As rochas cristalinas representam o que é denominado comumente de “aquífero fissural” e representam cerca de 5% da área total do município. Compreendem um conjunto de filitos de idade pré-cambriana[9] .

O Grupo Serra Grande é constituído de arenitos e conglomerados, que normalmente apresentam um potencial médio, sob o ponto de vista da ocorrência de água subterrânea, tanto do ponto de vista quantitativo quanto qualitativo.

A Formação Pimenteiras apresenta na sua constituição rochas de baixa permeabilidade, que a tornam de baixo interesse do ponto de vista hidrogeológico.

A Formação Cabeças apresenta um elevado potencial como manancial para captação de água subterrânea, haja vista seus constituintes litológicos serem bastante permeáveis e com alta porosidade, constituindo-se, por isso, num excelente aqüífero, com potencial de produzir significativas vazões. Sua área de ocorrência abrange cerca de 25% da área do município.

Os Depósitos Colúvio-Eluviais correspondem a coberturas de sedimentos detríticos, com idade tércio-quaternária, que em função da reduzida espessura e descontinuidades, têm baixo potencial para a constituição de mananciais para captação de água subterrânea[9] .

No contexto hidrográfico destaca-se ainda a Represa de Jenipapo, umas das maiores e mais importantes barragens do Piauí. A barragem se situa na altura do médio Piauí, afluente do grande Parnaíba.

Aspectos Sociais[editar | editar código-fonte]

Demografia e IDH[editar | editar código-fonte]

Evolução Demográfica
do município
Ano População
2000 17 670
2007 18689
2010 19553

O Índice de Desenvolvimento Humano de São João do Piauí é 0,645, o que o situa na faixa de médio desenvolvimento humano. Entre as três dimensões que compõem o índice, o melhor desempenho está em longevidade, com índice de 0,769[5] .

Entre os anos de 1991 e 2010, o município acumulou uma taxa de crescimento de 86,96% no seu IDH, com destaque para o fator educação, que foi o que mais se desenvolveu durante as duas últimas décadas.

Atualmente, no ranking nacional de desenvolvimento humano, São João do Piauí ocupa a 3201ª posição entre os 5.565 municípios brasileiros. Também ocupando considerável posição no ranking estadual.

No contexto demográfico, o município apresenta uma taxa de crescimento anula de cerca de 2,38%, estando acima da taxa estadual e também nacional, 1,01% e 1,02%, respectivamente. O percentual de urbanização hoje é de 65,90%, estando mais da metade da população concentrada no contexto urbano.

A expectativa de vida ao nascer é de 71,2 anos, e a taxa de fecundidade é de 2,1. Nas duas últimas décadas a expectativa de vida ao nascer cresceu 11 anos, passando de 60,2 anos em 1991 para 71,2 em 2010.

Índice de Gini[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 1991 e 2010 a renda per capita média de São João do Piauí cresceu 153,36%, passando de R$ 145,39, em 1991, para R$ 368,36, em 2010. A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00, passou de 74,33%, em 1991, para 32,56%, em 2010, evidenciando uma acentuada redução da extrema pobreza, que em 1991 acometia 45,88% da população e em 2010 reduziu para 17,77%.

A evolução da desigualdade de renda nesses dois períodos pode ser descrita através do Índice de Gini, que passou de 0,58, em 1991, para 0,57, em 2010, o que indica uma leve redução no quadro da desigualdade social do município[5] .

Clima[editar | editar código-fonte]

Gráfico climático para São João do Piauí
J F M A M J J A S O N D
 
 
112
 
35
21
 
 
114
 
35
21
 
 
152
 
34
21
 
 
87
 
34
21
 
 
5
 
34
20
 
 
3
 
33
18
 
 
1
 
33
18
 
 
0
 
34
19
 
 
4
 
35
20
 
 
18
 
36
22
 
 
74
 
35
22
 
 
86
 
35
21
Temperaturas em °CPrecipitações em mm

O clima é caracteristicamente semiárido tropical quente e com chuvas de verão. Existe muito mais pluviosidade na primavera e no verão do que no outono e inverno, o que torna os invernos muito mais secos e frios e os verões muito mais quentes e úmidos. Em São João do Piauí a temperatura média é 27.3 °C, já a média anual de pluviosidade é de 656 mm[10] .

Caracteriza-se como uma região de instabilidade pluviométrica, isso principalmente no verão, que geralmente é caracterizado pelas chuvas torrenciais e as grandes tempestades. As temperaturas máximas podem alcançar os 36°C, já as mínimas podem chegar aos 18°C.

O município pertence à mesorregião climática do Semiárido Piauiense, compondo a sub-bacia do Parnaíba, representada pelo Rio Piauí. As temperaturas costumam ser estáveis na maior parte do ano, apresentando acentuadas temperaturas na maior parte do período. Tal condição se dá pela própria localização geográfica do estado do Piauí, o qual define os limites entre a floresta amazônica úmida e a caatinga seca, caracterizando-se assim como zona de transição climática.

O mês mais seco é Agosto, quando a pluviosidade chega a ser nula, por outro lado, o mês de março e quando se registra a maior pluviosidade, com uma média de 152mm. O mês mais quente do ano é outubro com uma temperatura média de 28.9 °C, mês esse que antecede a chegadas das primeiras chuvas da estação chuvosa. As temperaturas mais baixas de todo o ano geralmente são registradas julho, quando a temperatura média fica em torno dos 25.6 °C[10] .

O Polo Turístico das Origens[editar | editar código-fonte]

Junto a 17 outros municípios do estado, o município integra a região turística do polo das origens, onde o Parque Nacional da Serra da Capivara, junto ao Parque Nacional da Serra das Confusões, são os principais atrativos.

Tombado como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, o Parque Nacional Serra da Capivara representa um dos mais importantes exemplares do patrimônio histórico-cultural do país[11] .

Filhos Ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Aderson Soares de Andrade Júnior; Edson Alves Bastos; Alexandre Hugo Cezar Barros; Clescy Oliveira da Silva; Adriano Alex Nascimento Gomes. Classificação climática do Estado do Piauí. Embrapa Meio-Norte, , 2004.
  5. a b c d PNUD. Consulta de Perfil Municipal Atlas de Desenvolvimento Humano - Brasil. Visitado em 20 de maio de 2014.
  6. a b c d e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Produto Interno Bruto do município Site IBGE. Visitado em 20 de maio de 2014.
  7. Governo do Estado do Piauí. Lei complementar no 87, de 22 de agosto de 2007 Seplan Piauí. Visitado em 20 de maio de 2014.
  8. Governo do Estado do Piauí. [www.festivaldauva.pi.gov.br/ Festival da Uva do Piauí] Piauí.gov. Visitado em 04 de janeiro de 2015.
  9. a b c d CPRM - Estudos Geológicos. Diagnóstico dos Municípios Piauienses Ministério de Minas e Energia. Visitado em 20 de setembro de 2014.
  10. a b Climate. Climatologia do município Site Web. Visitado em 20 de setembro de 2014.
  11. Governo do Estado do Piauí. Região Turística do Pólo das Origens Site Web. Visitado em 20 de maio de 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Piauí é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.