Eleições estaduais no Piauí em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 2006 Brasil 2014
Eleições estaduais no  Piauí em 2010
3 de outubro de 2010
(Primeiro turno)
31 de outubro de 2010
(Segundo turno)
Wilson Martins gov Piaui.jpg Sílvio Mendes( Foto oficial de prefeito de Teresina).png
Candidato Wilson Martins Silvio Mendes
Partido PSB PSDB
Natural de Santa Cruz do Piauí, PI Campo Maior, PI
Vice Moraes Souza Filho R. Sá Filho
Votos 921.313 642.165
Porcentagem 58,93% 41,07%


Brasão do Piauí.svg
Governador do Piauí

As eleições estaduais no Piauí em 2010 aconteceram no dia 3 de outubro como parte das eleições gerais em 26 estados e no Distrito Federal. Foram eleitos o governador Wilson Martins, o vice-governador Moraes Souza Filho, os senadores Wellington Dias e Ciro Nogueira, além de 10 deputados federais e 30 estaduais. Como nenhum candidato a governador assegurou metade mais um dos votos válidos, houve um segundo turno em 31 de outubro entre Wilson Martins e Silvio Mendes com a vitória do primeiro. Segundo a Constituição, o governador teria um mandato de quatro anos com direito a uma reeleição e assim Wilson Martins foi reconduzido ao cargo que ocupava após a renúncia do titular.

Natural da cidade de Santa Cruz do Piauí o governador Wilson Martins é médico formado pela Universidade Federal do Piauí com residência em Neurocirurgia na Universidade Federal do Rio de Janeiro e especialização em Neurologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e em Administração Hospitalar e Sanitária pela Universidade Gama Filho com curso de aperfeiçoamento em Berlim e Mestrado em Neurocirurgia pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Federal do Piauí e cirurgião do Hospital Getúlio Vargas em Teresina, integra a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e a Academia Brasileira de Neurocirurgia. Foi presidente da Associação Piauiense de Medicina entre 1991 e 1993 e depois presidente da Fundação Municipal de Saúde na terceira administração de Wall Ferraz frente à prefeitura de Teresina.

Eleito deputado estadual pelo PSDB em 1994, 1998 e 2002, legenda que trocaria pelo PSB do qual é presidente do diretório estadual. Secretário de Desenvolvimento Rural no governo Wellington Dias deixou o cargo em 2006 para ser candidato a vice-governador na chapa que reelegeu Wellington Dias. Em 1º de abril de 2010, com a renúncia de Wellington Dias para concorrer ao Senado Federal, Wilson Martins chegou ao Palácio de Karnak sendo reeleito em 31 de outubro superando o médico Silvio Mendes no segundo turno. A vitória de Wilson Martins foi a terceira obtida pelo grupo político integrado pelo PT após a política estadual ser dominada pelo PFL e o PMDB ao longo dos anos 1980 e 1990. O governador reeleito do Piauí é sobrinho-neto de Eurípedes Aguiar (governador entre 1916-1920) e tetraneto de Manoel de Sousa Martins, o Visconde da Parnaíba, que governou a província durante vinte e um anos (1823-1843) abrangendo o Primeiro Reinado, o Período Regencial e os primeiros anos do Segundo Reinado.

Para vice-governador foi eleito o empresário Moraes Souza Filho. Nascido em Parnaíba, ele é filho de Moraes Souza e sobrinho de Mão Santa. Antes de fazer carreira política ocupou a diretoria de Desenvolvimento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/PI) e compõe a direção da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI). Em Parnaíba foi eleito vereador pelo PFL em 1992 e prefeito em 1996 embora tenha perdido a reeleição pelo PSDB no ano 2000. Eleito deputado estadual em 2002, transferiu-se para o PMDB e foi reeleito em 2006.[1]

No pleito para o Senado Federal o mais votado foi Wellington Dias, político filiado ao PT e que era governador até abril deste ano e a segunda cadeira coube ao advogado Ciro Nogueira que exercia o quarto mandato consecutivo de deputado federal. Originário do PFL, perdeu a eleição para prefeito de Teresina no ano 2000. Filiado ao PP foi eleito para um mandato que seu pai não conquistou em 1986 e o qual pertenceu ao seu sogro, Lucídio Portela, após as eleições de 1990.

Nas eleições proporcionais Marcelo Castro quebrou o recorde nominal de votação para deputado federal com 171.697 votos enquanto Hugo Napoleão venceu a primeira eleição desde sua vitória para senador em 1994. Na disputa para deputado estadual a enfermeira Lilian Martins quebrou o próprio recorde ao conquistar 66.529 votos sendo uma das sete integrantes da bancada feminina no legislativo estadual. Ressalte-se que a lei eleitoral permitia que, no tocante às disputas proporcionais, que a coligação fosse "dividida" em seções menores.

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

No Piauí, foram nove os candidatos à governador, sendo que Lourdes Melo (PCO) e Francisco Macedo (PMN) tiveram suas candidaturas cassadas e as chapas não apresentaram substitutos.[2][1]

João Vicente.
Candidato a governador(a) do estado
Candidato a vice-governador(a) Número Coligação Votação Percentual
Wilson Martins
PSB
Moraes Souza Filho
PMDB
40
Para o Piauí Seguir Mudando
(PSB, PMDB, PT, PRB, PTN, PR, PRP, PCdoB)
725.563
46,37%
Silvio Mendes
PSDB
R. Sá Filho
PSDB
45
A Força do Povo
(PSDB, DEM, PPS, PSC)
470.660
30,08%
João Vicente Claudino
PTB
Flávio Nogueira
PDT
14
Por um Piauí Novo
(PTB, PDT, PP, PRTB, PHS, PTC, PTdoB)
337.028
21,54%
Teresa Britto
PV
José Solon
PV
43
PV (sem coligação)
24.820
1,59%
Major Avelar
PSL
Carlos Sá
PSL
17
PSL (sem coligação)
3.106
0,20%
Geraldo Carvalho
PSTU
Hallyson Ferreira
PSTU
16
PSTU (sem coligação)
2.037
0,13%
Romualdo Brazil
PSOL
Osmarina Moura
PSOL
50
PSOL (sem coligação)
1.445
0,09%
  Segundo turno

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Candidato a governador(a) do estado
Candidato a vice-governador(a) Número Coligação Votação Percentual
Wilson Martins
PSB
Moraes Souza Filho
PMDB
40
Para o Piauí Seguir Mudando
(PSB, PMDB, PT, PRB, PTN, PR, PRP, PCdoB)
921.313
58,93%
Silvio Mendes
PSDB
R. Sá Filho
PSDB
45
A força do povo
(PSDB, DEM, PPS, PSC)
642.165
41,07%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Treze candidatos disputaram duas vagas no Senado Federal dos quais Wellington Dias e Ciro Nogueira as conquistaram. Os candidatos Albetiza Araújo, Gervásio Santos, Marineide Albuquerque e Zilton Duarte tiveram suas candidaturas cassadas.[1][nota 1]

Mão Santa.
Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Wellington Dias
PT
Regina Sousa
PT
131
Para o Piauí Seguir Mudando
(PSB, PMDB, PT, PRB, PTN, PR, PRP, PCdoB)
997.513
32,52%
Ciro Nogueira
PP
João Claudino
PRTB
111
Por um Piauí Novo
(PTB, PDT, PP, PRTB, PHS, PTC, PTdoB)
695.875
22,69%
Mão Santa
PSC
Cassandra Moraes Souza
PSC
200
A Força do Povo
(PSDB, DEM, PPS, PSC)
433.690
14,14%
Heráclito Fortes
DEM
Valter Alencar Filho
DEM
251
A Força do Povo
(PSDB, DEM, PPS, PSC)
424.350
13,84%
Antônio José Medeiros
PT
Anselmo Dias
PCdoB
132
Para o Piauí Seguir Mudando
(PSB, PMDB, PT, PRB, PTN, PR, PRP, PCdoB)
412.185
13,44%
Sgt. R. Silva
PP
Francisco Pereira
PTB
112
Por um Piauí Novo
PTB, PDT, PP, PRTB, PHS, PTC, PTdoB
45.572
1,49%
Toim do Frango
PSL
Gersilda Araújo
PSL
177
PSL
(sem coligação)
30.752
1,00%
Antônio Florentino
PV
Jorge Leite
PV
431
PV
(sem coligação)
18.188
0,59%
Pastor Moisés
PMN
Maria do Carmo Barbosa
PMN
331
PMN
(sem coligação)
9.017
0,29%
  Eleitos

Deputados federais eleitos[editar | editar código-fonte]

No Piauí foram eleitos dez (10) deputados federais, número que se mantém inalterado desde 1986 sendo que na apresentação da filiação partidária dos mesmos, relacionamos a legenda ao qual pertenciam no momento da eleição.[1]

Deputados federais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Marcelo Castro PMDB 171.697 10,35% São Raimundo Nonato  Piauí
Marllos Sampaio PMDB 141.504 8,53% Teresina  Piauí
Átila Lira[nota 2] PSB 120.528 7,27% Piripiri  Piauí
Hugo Napoleão DEM 112.731 6,80% Portland  Estados Unidos
Júlio César DEM 109.328 6,59% Guadalupe  Piauí
Assis Carvalho PT 99.332 5,99% Oeiras  Piauí
Osmar Júnior PCdoB 95.985 5,79% São Paulo  São Paulo
Iracema Portela PP 91.352 5,51% Teresina  Piauí
Paes Landim PTB 90.261 5,44% São João do Piauí  Piauí
Jesus Rodrigues PT 69.287 4,18% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

No Piauí foram eleitos trinta (30) deputados estaduais, número que se mantém inalterado desde 1986 sendo que na questão da filiação partidária relacionamos a legenda ao qual pertenciam no momento da eleição.[1]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Lilian Martins[nota 3][nota 4] PSB 66.529 3,99% Teresina  Piauí
Rejane Dias PT 55.177 3,31% São João do Piauí  Piauí
Robert Rios PCdoB 52.799 3,17% Teresina  Piauí
Wilson Brandão PSB 48.636 2,92% Rio de Janeiro  Rio de Janeiro
Firmino Filho[nota 5] PSDB 47.634 2,86% Teresina  Piauí
Kleber Eulalio[nota 5] PMDB 47.474 2,85% Teresina  Piauí
Themistocles Filho PMDB 46.320 2,78% Teresina  Piauí
Hélio Isaías da Silva PTB 42.231 2,53% Teresina  Piauí
Fernando Monteiro PTB 41.937 2,51% Teresina  Piauí
Luciano Nunes[nota 6] PSDB 37.860 2,27% Teresina  Piauí
Marden Menezes PSDB 35.644 2,14% Teresina  Piauí
Gustavo Neiva PSB 35.032 2,10% Teresina  Piauí
Ana Paula Araújo[nota 7] PMDB 34.385 2,06% Guadalupe  Piauí
Flávio Nogueira Júnior PDT 32.956 1,98% Teresina  Piauí
Merlong Solano PT 31.351 1,88% Valença do Piauí  Piauí
Edson Ferreira DEM 29.819 1,79% São Raimundo Nonato  Piauí
Juraci Leite DEM 28.877 1,73% Pedro II  Piauí
Juliana Melo Falcão PMDB 28.634 1,72% Teresina  Piauí
Lusieux Coelho PTB 28.049 1,68% Paulistana  Piauí
Ismar Marques PSB 26.665 1,60% Luzilândia  Piauí
Belê Medeiros PSB 24.736 1,48% Picos  Piauí
Warton Santos[nota 7] PMDB 24.526 1,47% Picos  Piauí
Henrique Rebelo PT 24.405 1,46% Teresina  Piauí
Fabio Novo PT 24.022 1,44% Bom Jesus  Piauí
Antônio Félix PPS 23.750 1,42% Campo Maior  Piauí
Paulo Martins[nota 8] PT 23.112 1,39% Campo Maior  Piauí
Margarete Coelho[nota 9] PP 22.749 1,36% São Raimundo Nonato  Piauí
Nerinho[nota 10] PTB 22.491 1,35% Picos  Piauí
Ubiraci Carvalho[nota 11] PDT 20.814 1,25% Simplício Mendes  Piauí
Evaldo Gomes PTC 10.900 0,65% Teresina  Piauí

Estatísticas parlamentares[editar | editar código-fonte]

Na elaboração da lista a seguir o fato do DEM não contar com nenhum eleito em 2006 é devido ao fato que o partido à época inexistia, embora oriundo do PFL.[1]

Notas

  1. Embora cada senador deva ser eleito com dois suplentes (Art. 46 § 3º– CF), mencionamos apenas o primeiro sem prejuízo de citar o outro quando necessário.
  2. Nomeado para a Secretaria de Educação, em seu lugar foi convocado o primeiro suplente Nazareno Fonteles.
  3. Por força de acordos políticos, o governador Wilson Martins nomeou nove deputados estaduais e os suplentes Cláudio Tadeu Maia e João de Deus para compor sua equipe durante o mandato e nisso os suplentes João Madison Nogueira (nomeado ouvidor-geral do estado quando já exercia um mandato efetivo), Mauro Tapety, Gessivaldo Isaías, Cláudio Tadeu Maia, Odival Andrade, Nize Rego, Cícero Magalhães, Flora Izabel, Antônio Uchôa, João de Deus, Joilson Rodrigues e Deusimar Farias, o Tererê, foram convocados.
  4. Inicialmente afastou-se da Assembleia Legislativa para exercer o cargo de secretária de Saúde e posteriormente renunciou ao cargo e ao mandato para ocupar uma cadeira no Tribunal de Contas do Estado, sendo efetivado o suplente João Madison Nogueira.
  5. a b Firmino Filho foi eleito prefeito de Teresina em 2012 bem como Kleber Eulalio foi eleito em Picos sendo efetivados, respectivamente, Amparo Paes Landim e Mauro Tapety. Nesse mesmo diapasão a eleição do suplente Odival Andrade em Piripiri ocasionou a convocação do médico Francisco Ramos.
  6. Nomeado secretário de Governo pelo prefeito Firmino Filho, deu lugar a Roncalli Paulo.
  7. a b Com a posse de Moraes Souza Filho no governo do estado, três suplentes foram convocados nos lugares de Ana Paula Araújo, Warton Santos e Amparo Paes Landim, integrantes da equipe do novo governador.
  8. Renunciou ao mandato para assumir o cargo de prefeito de Campo Maior (entre 13 de fevereiro de 2011 e 9 de agosto de 2012) quando o Supremo Tribunal Federal invalidou a sua eleição e reconduziu João Félix de Andrade Filho ao cargo. Sua cadeira no legislativo ficou nas mãos de Cícero Magalhães.
  9. Renunciou para assumir o cargo de vice-governadora do Piauí após as eleições de 2014 e assim foi efetivada Elza Bucar.
  10. Nos dias seguintes à divulgação do resultado final constava o nome de João Madison Nogueira como eleito, todavia uma decisão judicial em favor de José Icemar Lavor Néri (Nerinho) devolveu o peemedebista à condição de suplente.
  11. Faleceu no exercício do mandato e em seu lugar foi efetivado Antônio Uchôa.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.