Hugo Napoleão do Rego Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o município brasileiro, veja Hugo Napoleão (Piauí).
Disambig grey.svg Nota: Para o político brasileiro, avô deste, veja Hugo Napoleão do Rego.
Hugo Napoleão
Deputado Hugo Napoleão
Deputado federal pelo  Piauí
Período 1 de fevereiro de 2011
até 31 de janeiro de 2015
1 de fevereiro de 1975
até 31 de janeiro de 1983
(2 mandatos consecutivos)
Senador pelo  Piauí
Período 1 de fevereiro de 1987
até 18 de novembro de 2001
(2 mandatos consecutivos)
Ministro da Educação do  Brasil
Período 30 de outubro de 1987
até 17 de janeiro de 1989
Ministro da Cultura do  Brasil
Período 1 de agosto de 1988
21 de setembro de 1988
Ministro das Comunicações do  Brasil
Período 2 de outubro de 1992
até 31 de dezembro de 1993
41.º,48.º Governador do  Piauí
Período 2º -19 de novembro de 2001
até 1 de janeiro de 2003
1º -15 de março de 1983
até 15 de maio de 1986
Antecessor(a) 1º mandato: Lucídio Portela
2º mandato:Kléber Eulálio
Sucessor(a) 1º mandato:Bona Medeiros
2º mandato: Wellington Dias
Dados pessoais
Nascimento 31 de outubro de 1943 (74 anos)
Portland
Esposa Leda Napoleão
Partido ARENA, PDS, PFL, DEM, PSD
Profissão advogado
Assinatura Assinatura de Hugo Napoleão do Rego Neto

Hugo Napoleão do Rego Neto (Portland[1], 31 de outubro de 1943) é um advogado e político brasileiro radicado no Piauí. Duas vezes senador, três vezes deputado federal, três vezes ministro de estado e por dois mandatos alternados foi governador do referido estado. Atualmente é filiado ao PSD.[2]. Pertence à Academia Piauiense de Letras.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do embaixador de carreira Aluísio Napoleão de Freitas Rego, é advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1967. No mesmo ano iniciou sua carreira profissional com um estágio na Procuradoria-geral de Justiça da Guanabara passando depois à condição de assessor jurídico do Banco Denasa de Investimentos S/A (1968) e a membro do Escritório de Advocacia Nunes Leal (1971) interrompendo sua trajetória profissional em razão de seu ingresso na política.

Política

Neto de Hugo Napoleão do Rego, eleito deputado federal pelo PSD do Piauí em 1954,[3] recebeu apelos de seus familiares para dar continuidade à trajetória de seu clã político, declinando dos mesmos para não interromper seu curso de Direito. Depois de graduado, aguardou por alguns anos até que se filiou a ARENA e foi eleito deputado federal em 1974[3] e 1978[3] sendo que neste último ano teve seu nome ventilado como postulante ao governo do Piauí preferindo no entanto apoiar o médico Lucídio Portela em razão de sua fidelidade política para com o senador Petrônio Portela, irmão de Lucídio. Em 1980 ingressou no PDS e foi eleito governador do Piauí em 1982, o primeiro escolhido por sufrágio popular após vinte anos, tendo como antagonista o senador Alberto Silva (PMDB).[3] Uma vez investido no cargo Hugo Napoleão manteve-se alinhado com seu antecessor até a escolha do deputado federal Paulo Maluf como candidato do PDS à Presidência da República apesar da veemente oposição interna. Consumada a escolha, Napoleão somou-se aos dissidentes da legenda na Frente Liberal e hipotecou apoio à candidatura de Tancredo Neves (PMDB), fato que o fez desentender-se com Lucídio Portela a quem sucedera no comando do executivo estadual visto que este último manteve-se fiel a Paulo Maluf.

Sem o arrimo de seu partido ingressou no PFL e trouxe consigo do PDS o vice-governador, um senador, quatro deputados federais e dezesseis deputados estaduais além da maioria dos prefeitos pedessistas. Em 14 de maio de 1986 renunciou ao cargo em favor do vice-governador Bona Medeiros. Em novembro daquele ano foi eleito senador pelo Piauí[3] chegando ao posto de presidente nacional do PFL alguns anos mais tarde.

Cartão de visitas de senador
Ministro de Estado
Texto introdutório, com assinatura de Hugo como Ministro da educação, em exemplares da Constituição brasileira de 1988, distribuídos pelo MEC à comunidade educacional.

Entre outubro de 1987 e janeiro de 1989 sua vaga no Senado Federal foi ocupada pelo escritor Álvaro Pacheco, visto que fora nomeado Ministro da Educação pelo presidente José Sarney acumulando por um breve período o cargo de Ministro da Cultura. Ao deixar o Executivo, foi guindado à presidência da executiva nacional do PFL e ainda antes das eleições presidenciais de 1989 ensaiou uma articulação em favor da candidatura do empresário Sílvio Santos ao Palácio do Planalto, manobra logo abortada. Após o afastamento do presidente Fernando Collor foi nomeado ministro das Comunicações por Itamar Franco, permanecendo no cargo entre outubro de 1992 e dezembro de 1993, o que permitiu nova convocação de Álvaro Pacheco. Em 1994 foi reeleito senador e tornou-se o primeiro político piauiense a romper a marca do meio milhão de votos. Nesse novo mandato foi escolhido por seus pares líder do PFL no Senado Federal.

Volta ao governo

Em 1998 foi candidato a governador pela coligação Avança Piauí, mas foi derrotado pelo médico Francisco de Assis de Moraes Souza, o Mão Santa, reeleito governador em segundo turno. Mesmo vencido impetrou uma ação de impugnação de mandato eletivo contra seu adversário por abuso de poder econômico, tese afinal aceita pelo Tribunal Superior Eleitoral que cassou Mão Santa em 6 de novembro de 2001 com base na denúncia formulada por sua coligação. Empossado em 19 de novembro, Hugo Napoleão renunciou ao mandato de senador poucas horas antes de seu retorno ao governo e em seu lugar foi efetivado o médico Benício Sampaio. Candidato a reeleição em 2002 pela coligação O Piauí que o Povo Quer foi derrotado ainda em primeiro turno por Wellington Dias a despeito de ter iniciado a campanha como favorito. Quatro anos mais tarde ensaiou uma candidatura a deputado federal mas optou por disputar o Senado sendo derrotado pelo empresário João Vicente Claudino. Em 2010 foi eleito para o terceiro mandato de deputado federal pelo DEM migrando a seguir para o PSD, partido fundado por Gilberto Kassab.[2]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Polícia Militar do Piauí - Almanaque. Teresina, 1986.
SANTOS, José Lopes dos - Novo Tempo Chegou. 1ª Ed. Brasília, Senado Federal, 1983.

Referências

  1. Diversas fontes divergem com relação ao local do registro de nascimento de Hugo Napoleão. A página do Senado Federal informa Portland (Oregon, Estados Unidos); o Tribunal Superior Eleitoral traz a localidade piauiense de José de Freitas como naturalidade e, por fim, o Ministério da Educação informa que a cidade de registro seria o Rio de Janeiro
  2. a b «Bancada federal no partido no site oficial do PSD: Hugo Napoleão». Consultado em 7 de maio de 2012 
  3. a b c d e «Candidatos eleitos, período 1945-1990: Hugo Napoleão do Rego Neto». Consultado em 7 de maio de 2012 


Precedido por
Lucídio Portela
Governador do Piauí
1983 — 1986
Sucedido por
Bona Medeiros
Precedido por
Helvídio Nunes
Senador pelo Piauí
1987 – 2001
Sucedido por
Benício Sampaio
Precedido por
Aloísio Guimarães Sotero
Ministro da Educação do Brasil
1987 — 1989
Sucedido por
Carlos Corrêa de Menezes Sant'anna
Precedido por
Celso Furtado
Ministro da Cultura do Brasil
1988
Sucedido por
José Aparecido de Oliveira
Precedido por
Afonso Camargo
Ministro das Comunicações do Brasil
1992 — 1993
Sucedido por
Djalma Bastos de Morais
Precedido por
Kléber Eulálio
Governador do Piauí
2001 — 2002
Sucedido por
Wellington Dias