João Sayad

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
João Sayad
Nascimento 10 de outubro de 1945
São Paulo
Morte 5 de setembro de 2021 (75 anos)
São Paulo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação economista

João Sayad (São Paulo, 10 de outubro de 19455 de setembro de 2021) foi um economista brasileiro, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP).

Bacharel em economia pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP), foi, junto com Luciano Coutinho e Roberto Macedo, diretor do Centro Acadêmico Visconde de Cairu em 1966. No ano seguinte à sua graduação em 1967, tornou-se professor do Departamento de Economia da FEA-USP, concluindo o curso de mestrado em economia no Instituto de Pesquisas Econômicas (IPE) da FEA-USP em 1970.

Transferindo-se em 1973 para os Estados Unidos, obteve o título de Master of Arts na Universidade de Yale, na qual completaria sua formação acadêmica com o Philosophy Doctor (PhD) em economia em 1976. Pesquisador do IPE desde 1974, tornou-se livre-docente do Departamento de Economia da FEA-USP em 1978.[1]

João Sayad foi o criador do Relatório Sayad, feito sob encomenda do governo do estado do Rio Grande do Sul para ser uma bússola que norteasse a solução dos problemas locais.

Ocupou outros cargos públicos, como o de Secretário Estadual da Fazenda de São Paulo nos dois primeiros anos da gestão de Franco Montoro (1983 - 1985),[2] o de Secretário Municipal de Finanças da cidade de São Paulo na administração de Marta Suplicy (2001 - 2004)[2][3] e o de Secretário Estadual de Cultura durante o governo de José Serra (2007 - 2010).

Foi ministro do Planejamento no governo de José Sarney, tendo participado da elaboração e implementação do Plano Cruzado[2][3] em conjunto de João Manuel Cardoso de Mello e Luiz Gonzaga Belluzzo.

Na iniciativa privada fundou, ao lado de Henri Philippe Reichstul e Francisco Vidal Luna, o Banco SRL, depois comprado pelo grupo American Express.[2][3]

Em setembro de 2004, foi nomeado vice-presidente de finanças e administração do Banco Interamericano de Desenvolvimento.[2]

Foi também presidente da TV Cultura de 2010 a 2012, sendo substituído ao fim do mandato por Marcos Mendonça.[4][5]

Morte[editar | editar código-fonte]

João Sayad morreu no dia 5 de setembro de 2021, em São Paulo aos 75 anos.[6][7]

Referências

  1. «SAYAD, João». FGV CPDOC 
  2. a b c d e Perfil de João Sayad na página do SESC-SP.
  3. a b c «ISTO É Dinheiro: João Sayad, 10 nov 2000.». Consultado em 8 de junho de 2010. Arquivado do original em 22 de novembro de 2010 
  4. «Eleito presidente do Conselho da FPA - Cultura». Estadão. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  5. «Marcos Mendonça é o novo presidente da TV Cultura». O Globo. 13 de maio de 2013. Consultado em 19 de fevereiro de 2019 
  6. Federicce, Gisele (5 de setembro de 2021). «Morre o economista e professor João Sayad». Brasil 247. Consultado em 5 de setembro de 2021 
  7. Jardim, Lauro. «Morre João Sayad». Lauro Jardim - O Globo. Consultado em 5 de setembro de 2021 

Precedido por
Antônio Delfim Netto
Ministro do Planejamento do Brasil
1985 — 1987
Sucedido por
Aníbal Teixeira de Souza


Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.