Aluísio Pimenta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aluísio Pimenta como Presidente do Conselho Federal de Farmácia

Aluísio Pimenta (Peçanha, 9 de agosto de 1923Belo Horizonte, 9 de maio de 2016) foi um farmacêutico, educador e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formou-se em 1945 pela Faculdade de Odontologia e Farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Foi aprovado no concurso para livre docente em Química Orgânica e Biológica na Faculdade de Farmácia da UFMG (1947), professor catedrático de Química Orgânica e Bioquímica da Faculdade de Farmácia da UFMG (1951), professor catedrático da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da UFMG (1952). Em 1953 e 1954, realizou os estudos de doutorado e desenvolveu trabalhos de pesquisa no Instituto Superior de Saúde, em Roma. Com base nos concursos realizados e em sua defesa de tese, recebeu o título doutor em Química Orgânica e Biológica pela UFMG.

Em fevereiro de 1964 foi eleito pelo conselho universitário para a lista tríplice e nomeado reitor da Universidade de Minas Gerais, hoje Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Foi o mais jovem reitor da UFMG até aquele momento. Modernizou o ensino universitário com as reformas da universidade, deu importantes passos para a implantação do Campus Universitário da Pampulha,e defendeu e lutou pela autonomia universitária.

Entretanto, em fevereiro de 1967, deixa o cargo de reitor da UFMG. Aposentado compulsoriamente pelo AI-5, passou 17 anos fora do Brasil, onde teve a oportunidade de participar de vários projetos na área da educação, ciência e tecnologia, nas Américas, Europa, China e Japão.

Entre 1967 e 1968 esteve como professor visitante no Instituto de Educação da Universidade de Londres (Inglaterra), onde realizou o curso de especialização em Administração do Ensino Superior. Foi contratado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como especialista setorial para Educação, Ciência e Tecnologia para o Chile e o Peru, em 1969. Nesse período ocupou vários cargos importantes no BID e, em 1982, tornou-se professor visitante, por dois meses, na área de Recursos Humanos e Administração na Universidade Cristã Internacional de Tóquio (Japão).

Retorno ao Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 1983, a convite do governador de Minas Gerais Tancredo Neves, retorna ao Brasil e assume a presidência da Fundação João Pinheiro, e depois eleito presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento/Seção Minas Gerais.

Em 1985, em 29 de maio, é nomeado e empossado ministro de estado da Cultura pelo presidente da república José Sarney. Em 1989, pelo Partido Liberal, foi candidato à vice-presidência da República na chapa de Guilherme Afif Domingos.

Em 1991 assume, a convite do governador de Minas Gerais Hélio Garcia, a reitoria da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), com o desafio de concretizar a implantação da universidade, dois anos após a sua criação. Foi ainda assessor especial do governador de Minas Gerais Aécio Neves.

Aluísio Pimenta foi presidente da Associação Mineira de Farmacêuticos - AMF, foi fundador e vice-presidente do Conselho Federal de Farmácia (1960), fundador e presidente do Conselho Regional de Farmácia de Minas Gerais (1962). Foi escritor e articulista de jornais diários na capital de Minas.

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

No dia 6 de dezembro de 2000 recebeu a Medalha de Honra da UFMG[1]. É doutor honoris causa da UERJ, membro da Academia Mineira de Letras e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, e membro da Real Academia de Farmácia de Madrid (Espanha) e da Ordem Nacional do Mérito da França. Medalhas - Infante D. Henrique de Portugal - Inconfidência - Santos Dumond - Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais - Mérito Educacional do Ministério da Educação do Brasil

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
José Aparecido de Oliveira
Ministro da Cultura do Brasil
1985 — 1986
Sucedido por
Celso Furtado