Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo
FEA USP
Símbolo da instituição
Universidade USP
Fundação 1946 (70 anos)
Tipo de Instituição Unidade de Ensino
Professores 200
Graduação 3105
Pós-graduação 551
Localização São Paulo, SPBrasil
Campus Cidade Universitária
Site www.fea.usp.br

A Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA USP) é uma instituição pública de ensino e pesquisa mundialmente reconhecida pela excelência de sua produção acadêmica e de seus cursos, tanto de graduação quanto pós-graduação. Sediada na Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, a estrutura física da faculdade é composta por um complexo de seis prédios e pelo Espaço de Vivência Norberto Nehring.[1]

Com mais de 70 anos de existência, a FEA USP surgiu com o objetivo de preparar profissionais de Administração, Economia e Contabilidade para suprir as necessidades dos grandes centros do Brasil. Seu objetivo inicial, que permanece até hoje, é a formação de profissionais que contribuam para a sociedade de maneira positiva.

Décadas após sua criação, a FEA USP é referência nacional e internacional nas áreas que abrange. Nivelando suas atividades pelos altos padrões da Universidade de São Paulo e aliando o conhecimento sobre a realidade brasileira com os referenciais e conhecimentos metodológicos das mais renomadas instituições internacionais, a faculdade é destaque entre as demais na formação de economistas, administradores e especialistas em Contabilidade e Atuária.

Histórico[2][editar | editar código-fonte]

  • 1946 - Fundação da FEA USP sob o nome de Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (FCEA USP).
  • 1946 - Fundação do Centro Acadêmico Visconde de Cairu (CAVC), entidade representativa dos alunos, homenageando o famoso conselheiro econômico da monarquia portuguesa no Brasil.
  • 1955 - Fundação da Associação Atlética Acadêmica Visconde de Cairu (AAAVC) para realizar a coordenação das atividades esportivas.
  • 1964 - Os professores Mário Wagner Vieira da Cunha, Paul Singer e Lenina Pomeranz são afastados da faculdade por uma comissão criada pelo reitor Gama e Silva, que buscava expurgar elementos considerados subversivos na sequência do golpe militar.[3]
  • 1964 - Portaria federal transforma a estrutura didática adaptando-a às exigências dos currículos mínimos federais. São estabelecidos cinco cursos de graduação: Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Ciências Atuariais, Administração de Empresas e Administração Pública.
  • 1964 - Surge o Instituto de Pesquisas Econômicas (IPE) e são criados os cursos de pós-graduação.
  • 1969 - Mudança do nome para Faculdade de Economia e Administração (FEA USP) e a reorganização em três Departamentos: (1) Economia, (2) Administração e (3) Contabilidade e Atuária.
  • 1969 - Fusão dos cursos de Administração de Empresas e Administração Pública.
  • 1971 - Mudança para a Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira.
  • 1986 - A Comissão de Cooperação Internacional (CCInt FEA) é criada para dinamizar a integração dos alunos de graduação com universidades de outros países.
  • 1988 - Mudança do nome para Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade mantendo a sigla FEA USP.
  • 1990 - Fundação da FEA Júnior como a primeira empresa júnior multidisciplinar brasileira.[4]
  • 1992 - Fundada a FEA Ribeirão Preto.
  • 1997 - Começa a reforma do edifício principal (FEA1) com suporte financeiro das Fundações e do Programa Parceiros da FEA USP e a construção de novos prédios.
  • 2006 - O curso de Atuária volta a ser ministrado.
  • 2012 - A nova biblioteca (FEA4) é aberta ao público.

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

Segundo o Regimento da FEA USP, a faculdade e seus departamentos podem oferecer cursos de graduação nas áreas de Administração de Empresas, Administração Pública, Economia, Contabilidade e Ciências Atuariais.[5] A partir da reforma universitária de 1969, contudo, os cursos de Administração de Empresas e Administração Pública foram fundidos em um único curso de Administração. O ingresso nos cursos de graduação da faculdade se dá anualmente através da Fuvest.

A FEA USP oferece também cursos de pós-graduação em Contabilidade e Controladoria, Economia e Administração.

Grupos estudantis e organizações[editar | editar código-fonte]

As entidades estudantis compõem uma parte importante da vida universitária na FEA USP. Para além das duas mais tradicionais, o Centro Acadêmico e a Associação Atlética, os estudantes da faculdade têm um cursinho popular, uma bateria universitária (Bateria S/A), uma empresa júnior (FEA Júnior USP), e outras organizações como o grupo Teatro FEA USP, o Coral FEA USP, o Clube Internacional, a Liga de Mercado Financeiro, o FEA Consulting Club, o Programa de Extensão de Serviços à Comunidade (PESC) e o FEA Social.[6][7]

Centro Acadêmico Visconde de Cairu (CAVC)[editar | editar código-fonte]

O Centro Acadêmico Visconde de Cairu (CAVC), fundado em 19 de junho de 1946, é a entidade máxima de representatividade dos estudantes da FEA USP. Trata-se da mais antiga entidade estudantil da faculdade.

Associação Atlética Acadêmica Visconde de Cairu (AAAVC)[editar | editar código-fonte]

A Associação Atlética Acadêmica Visconde de Cairu (AAAVC) é uma agremiação esportiva estudantil que coordena as atividades esportivas da FEA USP. Foi fundada em 1946 como Departamento de Desportos do Centro Acadêmico, tornando-se um órgão independente 10 anos mais tarde.

Durante a década de 1970 e início da década de 1980, se destacou na extinta competição Economíada, entre as principais faculdades de Economia e Administração do Estado. No início da década de 1990, foi uma das fundadoras da Economíadas Paulista, tendo vencido essa competição por diversas vezes desde então. Em 1996, foi convidada para participar da InterUSP. Adicionalmente, participa de outros campeonatos como BichUSP, Copa USP, Jogos da Liga, NDU (Novo Desporto Universitário), InterU, TUNA (Torneio Universitário de Atletismo), TUBS (Torneio Universitário da Baixada Santista), EcoSwim, Meeting Universitário de Natação, além de torneios organizados pela CBBSU (Confederação Brasileira de Beisebol e Softbol Universitário), pela Liga São Paulo de Beisebol, e pela Liga Nippo de Tênis de Mesa, entre outros.[8]

Cursinho FEA USP[editar | editar código-fonte]

O Cursinho FEA USP é um curso pré-vestibular voltado para pessoas de baixa renda. Administrado por alunos da FEA USP, o Cursinho atende mais de 400 alunos por ano, sem cobrar mensalidades. Foi fundado em 2000, com ajuda do Centro Acadêmico Visconde de Cairu, nos moldes de projetos semelhantes que existiam na Universidade de São Paulo.[9]

O Processo Seletivo, para decidir quais serão os candidatos que irão ingressar no cursinho, é constituído de uma prova de conhecimentos gerais e uma entrevista sócio-econômica, realizada por alunos da FEA USP. A área encarregada da seleção é a espinha-dorsal do Cursinho FEA USP, uma vez que é responsável por selecionar os alunos com o perfil do cursinho.

A coordenação do projeto, que atualmente se estrutura em seis áreas, fica a cargo de alunos de graduação da FEA USP, que realizam uma extensão ao coordenar o projeto, embora não haja restrições quanto à entrada de pessoas de outras unidades da USP na entidade.

Bateria S/A[editar | editar código-fonte]

A Bateria S/A é uma entidade composta por alunos da FEA USP que promove uma integração entre os estudantes através da música e do apoio aos atletas em competições universitárias. Participa anualmente da Balatucada, torneio criado em 2009 no qual disputam as principais baterias universitárias da cidade, só tendo sido derrotada em uma das edições.

Alumni[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua história, a FEA USP formou diversos quadros que viriam a ocupar posições de destaque, seja no setor público, seja no meio empresarial ou artístico. Vários de seus antigos alunos tornaram-se ministros de Estado, como Antônio Delfim Netto, Affonso Celso Pastore, Eduardo Pereira de Carvalho, João Sayad, Zélia Cardoso de Mello, Yeda Crusius, Pérsio Arida, Aloizio Mercadante e Guido Mantega. Os ministros Nelson Machado (Doutorado em Contabilidade), Luiz Carlos Bresser Pereira (Doutorado em Economia) e Fernando Haddad (Mestrado em Economia) foram estudantes de pós-graduação da faculdade. Além desse último, Miguel Colasuonno e Gilberto Kassab são outros dois antigos alunos da FEA USP que vieram a se tornar prefeitos da cidade de São Paulo.

Apesar de terem abandonado as carreiras nas quais se formaram, o navegador Amyr Klink e o fotógrafo Sebastião Salgado também estudaram na FEA USP.

Diretoria[editar | editar código-fonte]

O cargo mais importante da estrutura interna da FEA USP é o de diretor. Atualmente, os diretores da faculdade são eleitos para mandatos de quatro anos. Desde a última década, vigora um sistema de rotação informal entre os três departamentos para a escolha do diretor da FEA USP. Em geral, alternam-se um diretor oriundo do Departamento de Economia, um do Departamento de Contabilidade e Atuária, e um do Departamento de Administração, assim sucessivamente.

Lista de Diretores da FEA USP[10][editar | editar código-fonte]

Fundações[editar | editar código-fonte]

Criadas entre 1973 e 1980, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), a Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (FIPECAFI) e a Fundação Instituto de Administração (FIA) são três instituições de direito privado geridas majoritariamente por professores da FEA USP e cuja finalidade estatutária formal é de servir de apoio à faculdade.

Se há pouco questionamento sobre o fato das três fundações colaborarem com o funcionamento e desenvolvimento da FEA USP, servindo como fonte de renda complementar para seus docentes, a existência das mesmas e sobretudo a sua presença na Cidade Universitária foram alvo de discórdia ao longo dos anos. Setores do Movimento Estudantil e do corpo docente acusam as fundações de subverterem a finalidade da universidade pública, utilizando indevidamente o nome da USP e tornando-se financeiramente mais atrativas para os professores do que as atividades acadêmicas ordinárias da faculdade. Tal debate ganhou certa proeminência após FIA e FIPECAFI terem decidido abrir seus próprios cursos privados de Administração e Contabilidade, respectivamente.[11][12]

Referências

  1. «Homenagem a Norberto Nehring». Site da FEA USP. 
  2. «História da FEA USP». Site da FEA USP. 
  3. ADUSP (1979). «O Livro Negro da USP: o controle ideológico na universidade». p. 19. 
  4. «Institucional». Site da FEA Júnior USP. 
  5. «Regimento da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo». Normas USP. 6 de julho de 1994. 
  6. «Organizações Estudantis». Site da FEA USP. 
  7. «FEA Social fazendo a diferença». Biblioteca FEA USP. 3 de junho de 2014. 
  8. «Campeonatos». Site da AAAVC. 
  9. «Nossa História». Site do Cursinho FEA USP. 
  10. «Galeria de Diretores». Site da FEA USP. 
  11. «Fundação de docentes da USP cria graduação paga e é criticada por universitários». Portal UOL. 25 de abril de 2011. 
  12. «Carta Aberta ao Professor James Wright». CAVC FEA USP. 30 de março de 2011. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]