Instituto de Física da Universidade de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Reabertura da entrada na Rua do Matão para o Instituto de Física da USP.

Instituto de Física da Universidade de São Paulo (IF-USP) é uma instituição pública de ensino superior da Universidade de São Paulo, localizada na Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, em São Paulo, na rua do Matão. É a maior e mais antiga instituição de pesquisa e ensino de Física no Brasil. Proveio dos departamentos de Física da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e da antiga Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, reunidos no Instituto a partir de 1970.

O Instituto tem atualmente em seus quadros mais de 250 pesquisadores, sendo 173 docentes, além de cerca de 350 [1] alunos de pós-graduação e 1.460 [2] de graduação, destes 780 cursam o bacharelado e 680 a licenciatura. Dispõe ainda de cerca de 300 [3] funcionários e mais de 30 prestadores de serviços. Em 2007, o IF-USP contribuiu com mais de 40% das pesquisas nacionais em Física, segundo a Sociedade Brasileira de Física (SBF)[carece de fontes?], desempenhando assim um papel de destaque no ensino, pesquisa e desenvolvimento das atividades de física.

Possuí 26 edifícios para abrigar 17 salas de aulas, 5 auditórios, inúmeros laboratórios didáticos, laboratórios de pesquisa, oficinas e escritórios de administração. A área construída chega a 40.000 m², num total de 80.000 m² de área útil. Também existe um Restaurante Universitário da Física (RU), conhecido popularmente por "Bandejão", no complexo do IF-USP. Este atende estudantes de toda a universidade e alunos visitantes, desde que estejam cadastrados e autorizados previamente a fazer refeições no RU. É mantido com o repasse de verbas do Tesouro do Estado de São Paulo destinadas a Universidade de São Paulo. O orçamento do IF-USP, em 2007, foi de R$ 53.876.888,00.[4] Deste montante, R$ 52.243.690,00 foi utilizado para o pagamento dos funcionários ativo e inativo. Recebe também verbas para pesquisas a partir de diversas agências financiadoras, como o CNPq, FINEP, CAPES, FAPESP etc., com as quais mantém laboratórios experimentais em física nuclear, detectores e instrumentação, física do estado sólido e baixas temperaturas, física de plasmas, cristalografia, óptica, epitaxia dos feixes moleculares, microscopia eletrônica, biofísica, poluição do ar, análise de materiais por feixes iônicos, etc.[5]

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Torre do acelerador de partículas Pelletron, do Laboratório Aberto de Física Nuclear (IF-USP)[6]

A atividade em física matemática e Teórica é intensa e há diversos grupos de física aplicada. O Instituto cobre quase todas as áreas da física e é, nesse sentido, a instituição brasileira mais completa. A infra-estrutura técnica e administrativa inclui oficinas mecânicas, eletrônicas, de alto vácuo e instalações de computação. A biblioteca do IF-USP é uma das mais completas do país. O seu acervo atual é constituído de mais de 39.000 livros patrimoniados, 3.800 dissertações e teses, 675 coleções de títulos periódicos, 400 multimeios; 60 publicações IF-USP; 30 apostilas e 250 folhetos. Do ponto de vista didático, o Instituto de Física mantém laboratórios para cerca de 3.000 estudantes da USP, nas áreas de engenharia, ciências exatas e biologia, e mais exposições científicas destinadas a estudantes do ensino fundamental, médio e ao público em geral. A cada ano formam-se cerca de 65 físicos entre bacharéis e licenciados e, na pós-graduação, cerca de 40 mestres e 35 doutores. São publicados anualmente cerca de 800 trabalhos de pesquisa, sendo mais de 400 em revistas especializadas de divulgação internacional.

O IF-USP surgiu em 1970 e compõe-se de seis departamentos:

  • Departamento de Física dos Materiais e Mecânica (FMT)
  • Departamento de Física-Matemática (FMA)
  • Departamento de Física Experimental (FEP)
  • Departamento de Física Nuclear (FNC)
  • Departamento de Física Aplicada (FAP)
  • Departamento de Física Geral (FGE)

Áreas de pesquisa[editar | editar código-fonte]

O Instituto possui os seguintes laboratórios e grupos de pesquisa[7]:

  • Física nuclear
    • Grupo de Hádrons e Física Teórica
    • Grupo de Espectroscopia de Raios Gama
    • Grupo de Reações de Íons Pesados
    • Grupo de Reações Diretas e Núcleos Exóticos
    • Grupo de Fusão de Núcleos Pesados
    • Grupo de Emulsões Nucleares
    • Grupo de Íons Pesados Relativísticos
    • Laboratório de Instrumentação e Partículas
    • Laboratório do Acelerador Linear
  • Física atômica, molecular e ótica
    • Grupo de Física Molecular e Modelagem.
    • Grupo de Manipulação Coerente de Átomos e Luz
    • Laboratório de Ótica
  • Matéria condensada
    • Grupo Sampa
    • Grupo Nanomol
    • Laboratório de Novos Materiais Semicondutores
    • Laboratório de Filmes Finos
    • Laboratório de Microscopia Eletrônica
    • Laboratório de Materiais Magnéticos.
    • Laboratório de Baixas Temperaturas e Estado Sólido
    • Laboratório de Cristalografia
  • Biofísica
    • Grupo de Biofísica
    • Laboratório de Ressonância Magnética
    • Laboratório de Reologia Celular
  • Física aplicada
    • Laboratório de Dosimetria da Radiação
    • Laboratório de Cristais Iônicos, Filmes Finos e Datação
    • Grupo de Física Aplicada com Aceleradores
    • Laboratório de Análise de Materiais por Feixe Iônico
  • Outros
    • Grupo de Física Estatística
    • Grupo de Física Matemática
    • Grupo de Fluidos Complexos
    • Laboratório de Fenômenos Não-Lineares
    • Laboratório de Física Atmosférica
    • Laboratório de Física de Plasmas

Além das áreas representadas pelos grupos e laboratórios acima, o instituto apresenta ainda pesquisadores na área de física das partículas e de campos, cosmologia, astrofísica, sistemas dinâmicos, sistemas complexos, dinâmica estocástica e ensino da física.

Alguns Programas Oferecidos Pelo Instituto[editar | editar código-fonte]

Pré-Iniciação Científica[8] - O Programa de Pré-Iniciação Científica (Pré-IC) tem como objetivo contribuir para o aprimoramento do ensino médio através do oferecimento de vivência em ambientes universitários aos alunos do ensino médio.

Iniciação Científica[8] - O Programa de Iniciação Científica do IFUSP visa a atender alunos dos cursos de bacharelado e licenciatura em Física que tenham interesse em realizar um trabalho científico em nível de iniciação sem auxílio financeiro.

Pós-Doutorado [9]- A participação de pesquisadores com doutorado recente tem importância crescente no desenvolvimento das atividades de pesquisa na USP. Ciente disso, a USP promove o Programa de Pós-Doutorado, que oferece a pós-doutores vantagens semelhantes àquelas dadas aos seus estudantes de pós-graduação. Incluem-se aí benefícios dos serviços de saúde da Universidade, acesso às bibliotecas e aos recursos computacionais. Têm acesso ao Programa de Pós-Doutorado e, portanto, a tais benefícios, tanto os bolsistas de Pós-Doutorado das agências de fomento, tais como a FAPESP[10], o CNPq e a CAPES, quanto os Jovens Pesquisadores da FAPESP, e também os bolsistas de outros programas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Fonte: http://sistemas.usp.br/anuario/tabelas/T02_06.pdf
  2. Fonte: http://sistemas.usp.br/anuario/tabelas/T02_01.pdf
  3. Fonte: http://sistemas.usp.br/anuario/tabelas/T02_15.pdf
  4. Fonte: http://sistemas.usp.br/anuario/tabelas/T07_02.pdf
  5. O que é o LAMFI?
  6. Para que serve um acelerador de partícula?
  7. «Pesquisa no IFUSP». Consultado em 4 de outubro de 2015. 
  8. a b [Fonte: http://portal.if.usp.br/pesquisa/pt-br/node/901 «Pré-Iniciação Científica | Pesquisa no IFUSP»] Verifique valor |URL= (ajuda). portal.if.usp.br. Consultado em 22 de setembro de 2015. 
  9. «Fonte: Pré-Iniciação Científica | Pesquisa no IFUSP». portal.if.usp.br. Consultado em 22 de setembro de 2015. 
  10. «FAPESP :: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo». www.fapesp.br. Consultado em 22 de setembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]