Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira
(CAASO)
Fundação 22 de abril de 1953
Filiação UNE
UEE-SP
DCE Livre da USP
Sítio oficial caaso.org.br

O Centro Acadêmico Armando de Salles Oliveira (CAASO) é um centro acadêmico da Universidade de São Paulo em São Carlos, no estado de São Paulo.

Trata-se do órgão representativo de todos os alunos de graduação da USP de São Carlos. Foi fundado no dia 22 de abril de 1953 pela primeira turma de alunos, e recebeu esse nome em homenagem ao governador do Estado de São Paulo Armando de Salles Oliveira, que criou a Universidade de São Paulo.

O Centro Acadêmico conta com diversos grupos estudantis e culturais, como a Atlética CAASO|Atlética, o Grupo de Som CAASO|Grupo de Som, a GAPeria|Gaperia (bateria do CAASO), o CineCAASO (cineclube do CAASO), o FoCA (Grupo de Fotografia do CAASO), o Coletivo de Mulheres, o Coletivo Nuances (de diversidade sexual), os grupos de teatro, dança de salão, forró, capoeira, yoga, kung fu, entre outros. Além disso, também se encarrega de organizar festas, shows, "palquinhos" (atividades abertas no teatro de arena do CAASO), eventos culturais, campanhas beneficentes e debates sobre temas diversificados. No espaço também se encontra a BiblioteCAASO, criada em 1954, possuindo um acervo com mais de 20 mil livros, além de HQs, mangás, revistas e filmes, material esse que é acessível a toda a comunidade e pode ser emprestado aos sócios do CAASO.

Sua organização se dá a partir de uma diretoria eleita anualmente. Além de ser responsável pelo funcionamento e manutenção da estrutura física do CAASO, tem o papel organizar o movimento estudantil do campus, desenvolvendo atividades políticas e culturais. As decisões que guiam a entidade são tomadas em espaços de discussão e deliberação da mesma, como reuniões, Conselhos de Secretarias Acadêmicas (CSAs), assembleias, et cetera, dos quais todo estudante pode participar.

Colégio CAASO[editar | editar código-fonte]

As iniciativas em torno do Colégio CAASO começaram no ano de 1956, quando o Centro já possuia um cursinho próprio, onde os alunos do campus ministravam aulas em um dos blocos didáticos da USP. Fundado definitivamente em 1957, o Colégio se estruturou ao longo dos anos. O seu prédio foi construído em um terreno cedido pela USP e seu curso ficou marcado também pela utilização de material próprio, impresso na antiga gráfica do CAASO. Com o passar do tempo, passou também a oferecer um curso de Ensino Médio, sem fins lucrativos, visando oferecer um ensino de qualidade a preços acessíveis a uma grande parcela da comunidade são-carlense. O cursinho possuia um enfoque maior na preparação para o vestibular, sem deixar de proporcionar espaços de reflexão e abrir mão de preços baixos, mantendo o viés popular para o Colégio.

Além do Ensino Médio e Cursinho, o Colégio CAASO procurava oferecer novas opções para a população de São Carlos e os estudantes do campus. Em 2007, foi criado o Curso de Idiomas CAASO, que passou por uma reformulação geral em 2012 e visa, principalmente, o público universitário. Os cursos se davam abordando os aspectos culturais do aprendizado de um novo idioma. Outro oferecimento eram os Cursos de Extensão.

O Colégio ainda possibilitava que os próprios alunos possam ministrar matérias, cursos ou ajudar como monitores, desde que estivessem aptos e demonstrassem alinhamento com a proposta do Colégio. Em 2015, começou a estrutura o Grupo de Extensão do Colégio CAASO, um grupo que ajudava a diretoria do CAASO na administração do Colégio.

Em 2021, por conta de um acúmulo de dívidas com a União, que se estendiam por mais de 30 anos, o terreno do colégio foi leiloado.

História e Política[editar | editar código-fonte]

Ao longo dos anos, em nível regional, o centro acadêmico teve participação no movimento de redemocratização do Brasil, manifestando-se em momentos da história nacional, como o suicídio de Getúlio Vargas em 1954, a renúncia do presidente Jânio Quadros em 1961, o estado de sítio decretado pelo presidente João Goulart em 1963, o golpe militar depondo esse em 1964, entre outros episódios, exigindo respeito às leis e às liberdades democráticas.[1] Em diversos momentos, os alunos decretaram greve reivindicando melhores condições de ensino, participação discente nos órgãos colegiados e fim da violência contra os estudantes.

Linha do Tempo Simplificada[editar | editar código-fonte]

Década de 50

1953 - Fundação do CAASO (22 de Abril): A princípio, o CAASO representava somente os estudantes das engenharias civil, mecânica e elétrica, os primeiros cursos da EESC. Todavia, com a criação de outros cursos e unidades, o Centro Acadêmico (CA) cresceu e se manteve como a entidade estudantil unificada dos estudantes da USP de São Carlos, tendo uma atuação fundamental na história do movimento estudantil são-carlense desde a sua fundação.

1954 - Campanha a favor do cumprimento da Constituição: CAASO convocou o povo e as forças armadas a lutar pela preservação da Carta Magna.

Década de 60

1961 - Greve pela posse de João Goulart: com a renúncia do então presidente Jânio Quadros, os militares e outros setores da sociedade se posicionaram contrários à posse do vice-presidente, João Goulart. Neste contexto, o CAASO entra em greve em agosto de 1961, reivindicando que a Constituição de 1946 fosse respeitada, e que João Goulart assumisse a presidência.

1963 - Manifesto “CAASO contra o golpe”: É realizada uma a Assembleia na qual os estudantes decidiram pela greve e escreveram um manifesto intitulado “CAASO contra o golpe”.

1964 - Greve contra o Golpe Militar: Os estudantes se reúnem em assembleia geral e decidem por entrar em greve. O CAASO é o primeiro Centro Acadêmico a entrar em greve, e o último a sair.

Restante de 1960 - Tentativas de extinguir os centros acadêmicos e diretórios estudantis, até a extinção das representações discentes nos órgãos administrativos das universidades, pelo Governo Militar.

Década de 70

Defesa do ensino público - o CAASO redige um documento contra o fortalecimento do ensino pago e pela defesa do ensino pública e gratuito.

1973 - Publicação do “Jornal Mural”: burlando a censura do Estado, o CAASO  publica no Jornal Mural diversas notícias que não poderiam ser divulgadas em algum outro jornal. Esse fato só foi possível devido o fato de o Centro Acadêmico possuir uma gráfica própria.

1974 - Participação ativa na refundação da UNE: o CAASO participa ativamente da reconstrução da UNE, sediando as principais reuniões da entidade, que, em razão da repressão do Estado, não podiam ser feitas em outros locais.

1975 - Greve exigindo bolsas alimentação: o campus São Carlos decide por greve estudantil, sendo esta vitoriosa, reivindicando 126 bolsas de alimentação que haviam sido suspensas pelo COSEAS (Coordenadoria de Assistência Social da USP), atual Superintendência de Assistência Social (SAS).

Década de 80

1985 - Participação ativa na luta pelas diretas: além das mobilizações pela constituinte, realizou-se uma campanha por eleições diretas para reitor da Universidade de São Paulo e por uma reforma universitária que melhorasse as condições de ensino e pesquisa.

1987 - Manifestações por mais verbas para a educação: ocorreram paralisações e protestos contra o reitor da USP e lutas por verbas para a educação.

Década de 90

Reorganização administrativa: nos anos 90, além das reivindicações já defendidas pelo CAASO nas décadas anteriores se manterem, ocorre a reorganização administrativa do Centro Acadêmico.

Anos 2000

2002, 2004 e 2007 - Greves por permanência estudantil: houve três grandes greves na USP, das quais, a de 2007 teve participação dos estudantes do CAASO. Além disso, a greve de 2007 conseguiu o Bloco E do Alojamento Estudantil no Campus de São Carlos.

Década de 2010

2011 - Assembleia com mais de mil pessoas pelo “Fora PM!”: Ocorre uma Assembleia Geral no CAASO se posicionando contra a presença da polícia militar dentro do campus universitário.

2012 e 2013 - Mobilizações pela autonomia estudantil: Fortalecendo a luta por sua autonomia, reivindicando a defesa do uso do espaço universitário para atividades estudantis e combatendo a liminar que restringe a realização de atividades estudantis dentro do campus, o CAASO realizou paralisações, greves e ocupou prédios da universidade como forma de manifestação.

Década de 2020

2021 - No dia 22/09 o terreno do Colégio CAASO foi leiloado devido dívidas acumuladas com a União.

Secretarias Acadêmicas[editar | editar código-fonte]

O trabalho do CAASO se estende para os cursos do Campus através da atuação das Secretaria Acadêmicas. Essas funcionam como braços de organização e símbolo da autonomia estudantil, são elas:

  • SACIM
  • Pró Produção
  • SAAERO
  • SADEM
  • SAEMM
  • SASEL
  • SAMECA
  • SAECOMP
  • SAPA
  • SAAU
  • CCQ
  • CEFISC
  • SACEX
  • SACIVIL

Grupos do CAASO[editar | editar código-fonte]

Os grupos do CAASO têm a função de suprir a comunidade universitária e são-carlense com atividades culturais e extensionistas, alguns são:

  • Grupo de Som
  • GAPeria
  • Grupo de Teatro ACASO
  • Capoeira
  • Atlética
  • CAASO Cia de Dança
  • Campanha do Agasalho
  • Enactus
  • Econ
  • GEISA
  • EESC jr.
  • São Carlos Consulting Club

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. HAYASHI , Maria Cristina Piumbato Innocentini, Movimento Estudantil e Memória: Contribuição à Construção de Fontes de Pesquisa em Educação; Capítulo 5, Ufscar, 1995.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]