Aluísio Napoleão de Freitas Rego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Aluísio Napoleão de Freitas Rego
'
Nascimento 20 de novembro de 1914
Belém
Morte 14 de setembro de 2006
Brasília
Cidadania Brasil
Ocupação diplomata, escritor,

Aluísio Napoleão de Freitas Rego (Belém do Pará, 20 de novembro de 1914Brasília, 14 de setembro de 2006) foi um diplomata e escritor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho do advogado e futuro deputado federal Hugo Napoleão do Rego e Matilde de Freitas. Fez o curso primário e ginasial no Lycée Français do Rio de Janeiro (1924 - 1931). Ao terminar o curso, recebeu a Medalha de Bronze da Municipalidade de Paris, sendo eleito orador de sua turma. De 1932 a 1959 colaborou na imprensa carioca com artigos, contos, crônicas e críticas literárias. Bacharelou-se em 1936 pela Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro. Casou-se em 1942 com Regina Margarida Pessegueiro Quinto Alves.

Da união nasceu, no ano seguinte, Hugo Napoleão do Rego Neto. Em 1952 foi designado para integrar a Delegação do Brasil às solenidades da inauguração do Monumento de Alberto Santos Dumont, em Saint-Cloud. Em 1956 foi designado, por portaria do Ministro da Aeronáutica, Membro da Comissão Executiva Nacional do Ano Santos Dumont, tendo sido nessa ocasião publicada a segunda edição do seu livro Santos Dumont e a conquista do ar. Em 1957 foi eleito sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Em 1972 foi representante do Governo brasileiro nas exéquias do rei Frederico IX da Dinamarca.[1]

Após ser promovido ao cargo de ministro de 1ª classe (embaixador), passou a ocupar o cargo de embaixador do Brasil na Suécia entre 1969 e 1974. Em 15 de agosto de 1974, a República Popular da China e o Brasil estabeleceram relações diplomáticas. Aluísio Napoleão foi até 1981 o primeiro embaixador brasileiro em Beijing.[2][3][4]

Publicações[editar | editar código-fonte]

REGO, Aluísio Napoleão de Freitas. Segredos. Rio de Janeiro: C. Mendes Junior, 1935.
REGO, Aluísio Napoleão de Freitas. Os arquivos particulares do Itamary. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1940.
REGO, Aluísio Napoleão de Freitas. Santos Dumont e a conquista do ar. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1941.
REGO, Aluísio Napoleão de Freitas. O arquivo do Barão do Rio Branco. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1951.

Referências

  1. «Aluízio Napoleão de Freitas Rego». Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Consultado em 22 de junho de 2020 
  2. 02009-08-26 26 de agosto de 2009, «Afinidade com a China por duas gerações brasileiras - entrevista com Hugo Napoleão, filho do primeiro embaixador brasileiro na China». portuguese.cri.cn 
  3. «Presidente indica Napoleão para a China». Jornal do Brasil, ano LXXXIV, edição 239, página 14/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 3 de dezembro de 1974. Consultado em 22 de junho de 2020 
  4. «Embaixada na China está vaga». Diário de Pernambuco, ano 156, edição 288, página A-12/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 24 de outubro de 1981. Consultado em 22 de junho de 2020