Carlos Chiarelli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Carlos Alberto Gomes Chiarelli-Pelotas, 3 de maio de 1940 (77 anos) é um advogado, professor e político brasileiro.

Mensagem como Ministro de Estado da Educação.

Foi deputado federal, senador pelo Rio Grande do Sul, ministro da Educação e ministro extraordinário para Assuntos de Integração Latino-Americana[1] no governo de Fernando Collor.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Matteo Salvador Chiarelli e Maria Gomes Chiarelli, é advogado com especialização em Direito do Trabalho pelas universidades de Madri, Roma e Colônia. Membro do conselho diretor do Fundo Nacional de Assistência ao Trabalhador Rural (FUNRURAL), foi Secretário do Trabalho e Ação Social do Rio Grande do Sul e a seguir Secretário das Relações de Trabalho do Ministério do Trabalho.

Eleito deputado federal pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA) em 1978, integrou o secretariado do governador Sinval Guazzelli em seu último mês de mandato. Filiado ao PDS, foi eleito senador em 1982 com 1.271.572 votos, barrando a reeleição de Paulo Brossard, candidato pelo PMDB. Com a fundação do PFL foi escolhido líder do partido no Senado.

Não disputou um novo mandato para a Câmara Alta do país em virtude de ter sido nomeado ministro da Educação pelo presidente Fernando Collor, exercendo o cargo de 15 de março de 1990 a 22 de agosto de 1991, sendo remanejado para o Ministério Extraordinário para Assuntos de Integração Latino-Americana, rebatizado pela imprensa de Ministério do Mercosul, onde permaneceu até 24 de janeiro de 1992.

Assinatura de Ministro de Estado da Educação

Declarou, como Ministro da Educação, no Brasil, "os professores fingem que ensinam, os alunos fingem que aprendem e o governo finge que controla", demonstrando grande crítica ao governo, ao aluno e ao sistema de ensino, qual seja, uma incompetência tríade.

Referências

  1. DECRETO DE 2 DE SETEMBRO DE 1991 [1].Planalto.gov. Acesso em 2 de janeiro de 2015.
  • Almanaque Abril 1986. 13ª edição. São Paulo, Editora Abril, 1986.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Carlos Corrêa de Menezes Sant'anna
Ministro da Educação do Brasil
1990 — 1991
Sucedido por
José Goldemberg


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.