Adib Jatene

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Adib Jatene
Medicina, cardiologia
Dados gerais
Nome de nascimento Adib Domingos Jatene[1]
Nacionalidade  brasileiro
Residência  Brasil
Nascimento 4 de junho de 1929
Local Xapuri
Morte 14 de novembro de 2014 (85 anos)
Local São Paulo
Causa infarto agudo do miocárdio
Atividade
Campo(s) Medicina, cardiologia
Instituições Universidade de São Paulo, Academia Nacional de Medicina
Alma mater Universidade de São Paulo
Orientador(es) Euryclides de Jesus Zerbini
Conhecido(a) por Desenvolver o procedimento de Jatene

Adib Domingos Jatene (Xapuri, Acre, 4 de junho de 1929São Paulo, 14 de novembro de 2014) foi um médico (cirurgião torácico), professor universitário, inventor e cientista brasileiro.[2]

Filho de imigrantes árabes,[3] formou-se em medicina na Universidade de São Paulo, onde viria se tornar depois, professor.

Conhecido e respeitado internacionalmente, além das dezenas de inovações no meio médico, como o inventor de uma cirurgia do coração, que leva seu nome, para tratamento da transposição das grandes artérias em récem-nascidos,[4] e do primeiro coração-pulmão artificial do Hospital das Clínicas . Trabalhou com o professor Euryclides de Jesus Zerbini.

Jatene foi secretário estadual de Saúde no governo Paulo Maluf e duas vezes ministro da Saúde, durante o Governo Collor e, a última delas, no governo de Fernando Henrique Cardoso. É membro da Academia Nacional de Medicina.

Vida[editar | editar código-fonte]

Filho de imigrantes libaneses,[3] Jatene nasceu em Xapuri no Acre. Aos dois anos jatene perdeu seu pai, que era comerciante e fornecia os seringais.

Jatene terminou o curso primário no Acre, logo após foi para Uberlândia, onde fez o ginásio e o primeiro ano científico. Depois foi para São Paulo, estudar engenharia no Colégio Bandeirantes, onde logo após acabou desistindo de cursar engenharia e resolveu cursar medicina.

No quarto ano do curso de medicina começou a adquirir vivência em cirurgia, e entrou no grupo do professor Euryclides de Jesus Zerbini, inclusive em maio de 1951, quando Zerbini operou o primeiro doente de estenose mitral e Jatene o instrumentou.

Jatene fez toda sua pós-graduação no Hospital das Clínicas, com o professor Zerbini.

Em 1957 esteve em Uberaba onde foi professor de Anatomia Topográfica, onde também logo após montou seu primeiro modelo de coração artificial que utilizava um oxigenador de disco e uma bomba de rolete.

Jatene foi secretário estadual de Saúde no governo Paulo Maluf e duas vezes ministro da Saúde, durante o Governo Collor e, a última delas, no governo de Fernando Henrique Cardoso. Foi membro da Academia Nacional de Medicina.

CPMF[editar | editar código-fonte]

Adib é considerado por alguns o "pai" da CPMF , pois ele foi buscar a aprovação da contribuição com a promessa do então presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) de que ela seria um recurso a mais para a saúde. A promessa não foi cumprida e o Ministério da Saúde perdeu mais recursos do que os que conseguiu com a CPMF.

Quando perguntado se sua saída do Governo FHC teve relação com a CPMF, Jatene respondeu:

“Teve relação direta. Eu disse ao presidente Fernando Henrique que precisava de recursos. Ele pediu para falar com o Pedro Malan [ministro da Fazenda]. O Malan me disse que, em dois ou três anos, daria o dinheiro que eu precisava. Não podia esperar tanto tempo. Propus a volta do imposto sobre o cheque, que se chamava IPMF e havia sido extinto em 94. O presidente disse: ‘Você não vai conseguir aprovar isso.’ Respondi: Posso tentar? Ele autorizou. Pedi o compromisso dele de que o orçamento da Saúde não seria reduzido. A CPMF entraria como o adicional. E ele: ‘Isso eu posso te garantir’. Depois da aprovação, a Fazenda reduziu o meu orçamento. Voltei ao presidente. Disse: no Congresso, me diziam que isso ia acontecer. Eu respondia que não, porque tinha a sua palavra. Se o senhor não consegue manter a sua palavra, entendo a sua dificuldade. Mas me faça um favor. Ponha outro no meu lugar. Foi assim que eu saí, em novembro de 1996.”[5]


Falecimento[editar | editar código-fonte]

Em 14 de novembro de 2014 morreu após sofrer um infarto agudo do miocárdio.[6] O corpo foi velado na manhã do dia 15 de novembro no anfiteatro do Hospital do Coração, em São Paulo e enterrado no mesmo dia no Cemitério do Araçá.

Referências

Precedido por
José Goldemberg
Ministro da Saúde do Brasil
1992
Sucedido por
Jamil Haddad
Precedido por
Henrique Santillo
Ministro da Saúde do Brasil
1995 — 1996
Sucedido por
José Carlos Seixas