Eraldo Tinoco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Eraldo Tinoco Melo)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eraldo Tinoco
Deputado federal pela Bahia
Período 1 de fevereiro de 1983
até 31 de dezembro de 2002
(5 mandatos consecutivos)
40° Ministro da Educação do Brasil
Período 4 de agosto de 1992
até 1 de outubro de 1992
Presidente Fernando Collor de Mello
Antecessor José Goldemberg
Sucessor Murílio de Avellar Hingel
12° Vice-governador da Bahia
Período 1 de janeiro de 2003
até 31 de dezembro de 2006
Governador Paulo Souto
Antecessor Otto Alencar
Sucessor Edmundo Pereira Santos
Dados pessoais
Nome completo Eraldo Tinoco Melo
Nascimento 20 de novembro de 1943
Ipiaú, Bahia
Morte 15 de abril de 2008 (64 anos)
Salvador, Bahia
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Líbia Tinoco Melo
Pai: Josias de Almeida Melo
Alma mater Universidade Federal da Bahia
Esposa Clélia Silveira Andrade
Partido PDS (1980-1986)
PFL (1986-2007)
Profissão Administrador
linkWP:PPO#Brasil

Eraldo Tinoco Melo (Ipiaú, 20 de novembro de 1943Salvador, 15 de abril de 2008) foi um administrador e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Josias de Almeida Melo e de Lídia Tinoco Melo[1], Em 1957 ingressou no serviço público, tendo sido aprovado no concurso para estafeta da Empresa de Correios e Telégrafos da Bahia. De 1965 a 1968 estudou administração de empresas na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e entre 1969 e 1971 tornou-se professor-assistente do Departamento de Disciplinas Básicas da Escola de Administração da UFBA e assessor desta. A seguir, de 1971 a 1974, foi assessor-chefe da Secretaria de Educação e Cultura. Transferido para Brasília, licenciou-se da universidade e tornou-se diretor do Departamento de Pessoal do Ministério de Educação e Cultura (MEC) de 1974 a 1977. Atuou como secretário de apoio daquela pasta nos três anos seguintes.

De volta à Bahia, foi secretário da Educação e Cultura da Bahia (1979-1982), no segundo governo de Antônio Carlos Magalhães e deputado federal (1983-2002).[2] No seu mandato ausentou-se da votação da emenda Dante de Oliveira em 1984 (conhecida como Diretas Já) e votou em Tancredo Neves no Colégio Eleitoral contra Paulo Maluf em 1985.

Licenciou-se do cargo de deputado federal para assumir o Ministério da Educação no governo Fernando Collor de Mello, de 4 de agosto a 1 de outubro de 1992, e a Secretaria da Educação da Bahia no governo de César Borges, de 1 de janeiro de 1999 a abril de 2002.

Em outubro de 2002 foi eleito vice-governador da Bahia na chapa de Paulo Souto (PFL). Neste governo, tornou-se secretário de Infraestrutura.

Após o fim do mandato de Paulo Souto, em 2006, Eraldo Tinoco passou a se dedicar ao magistério superior como professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Faleceu em Salvador, no dia 14 de abril de 2008.[3]

Foi casado com Clélia Silveira Andrade, com quem teve dois filhos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
José Goldemberg
Ministro da Educação do Brasil
1992
Sucedido por
Murílio de Avellar Hingel
Precedido por
Otto Alencar
Vice-governador da Bahia
2003-2007
Sucedido por
Edmundo Pereira Santos