Ipiaú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ipiaú
  Município do Brasil  
Símbolos
Brasão de armas de Ipiaú
Brasão de armas
Hino
Gentílico ipiauense
Localização
Localização de Ipiaú na Bahia
Localização de Ipiaú na Bahia
Ipiaú está localizado em: Brasil
Ipiaú
Localização de Ipiaú no Brasil
Mapa de Ipiaú
Coordenadas 14° 08' 13" S 39° 44' 02" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Jequié, Itagibá, Ibirataia, Barra do Rocha, Aiquara e Jitaúna
Distância até a capital 353 km
História
Fundação 1933 (89 anos)
Administração
Prefeito(a) Maria das Graças Mendonça (PP, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 267,329 km²
População total (est. IBGE/2017[2]) 47 704 hab.
Densidade 178,4 hab./km²
Clima Tropical (Am)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,67 médio
Gini (PNUD/2010[4]) 0,69
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 222 298,198 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 5 081,22
Prefeitura de Ipiaú

Ipiaú é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população de acordo com a estimativa do IBGE em 2017 era de 47.704 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Historicamente, não é possível afirmar com certeza quando se deu a primeira ocupação do município de Ipiaú, mesmo havendo a comprovação da presença de ‘bandeiras’ originadas na Zona Sul, no alto sertão. Ainda assim, o que se sabe é que a habitação desse território contou com a presença da tribo indígena Tapuia, que contribuiu muito para a sua história e cultura.

Em 1913, Raimundo dos Santos ocupou a região da vila de Ibirataia (ex-Tesouras) e sabe-se que nas cercanias possuiu, ainda, duas ou três fazendas de plantações de cacau. É indiscutível que ele foi muito importante no desenvolvimento da lavoura cacaueira ao vender cacau para população ao redor. E em 1916, ele criou um distrito de Paz no povoado denominado de Alfredo Martins.

A popularização da região influenciou bastante na chegada de novos colonizadores que foram importantes para a povoação da região, pois se deslocaram habitantes de Jequié, Nossa Senhora da Conquista, Ilhéus, Camamu e Santarém, e esse constante fluxo de pessoas permitiu consequentemente a chegada de novos moradores e o crescimento do comércio. Em 1933, com grande influência, a vila passou a ser chamada de Rio Novo e em 1944 passou a ser reconhecido como município de Ipiaú como se conhece hoje em dia[6].

Demografia[editar | editar código-fonte]

No censo de 2010 do IBGE a população residente entre 0 e 19 anos era de 15.143 pessoas, entre 20 e 40 anos de 19.811 pessoas e entre 50 e 70 ou mais de 9.436 pessoas. A população residente de sexo masculino entre 0 e 20 anos é de 9.679 homens e entre 30 e 70 ou mais é de 12.465 homens e de sexo feminino entre 0 e 20 anos é de 9.495 mulheres e entre 30 e 70 ou mais é de 10.843 mulheres. Mostrando que em Ipiaú em 2010 existe mais jovens e adultos do que idosos e mais homens do que mulheres[7].

Economia[editar | editar código-fonte]

Na economia, a remuneração média do trabalhador ipiauense é de 1,7 salários mínimos por pessoa. O índice de ocupação de pessoal em Ipiaú é de 11,1% (5.277 pessoas). O PIB per capita, ou seja, o Produto Interno Bruto por pessoa, é de R$ 8.990,99. No orçamento, Ipiaú registrou R$ 79,38 milhões em receitas e as despesas totalizaram 74.410.930 milhões. O resultado contábil em Ipiaú ficou em R$ 4,97 milhões.

A lavoura de cacau já contribuiu quase 49% do PIB baiano e trouxe muito lucro para a região, por ser uma região cacaueira. Entretanto, com a vassoura-de-Bruxa a cacauicultura acabou não sendo o destaque para a economia. E o que se sabe é que indústria ainda está em desenvolvimento, mas existe a presença de duas fábricas de polpa de fruta que veem aprimorando e contribuindo com as suas atividades para a economia da região; outra atividade que contribuiu para a prosperidade do território é a exploração de níquel por um grupo australiano de mineração.

Outra fonte de estímulo e benefício às atividades econômicas, é o Festival de AgroChocolate, que conta com a participação de Ilhéus e região. Considerado uma forte atração turística, com patrocinadores como a Associação dos Produtores de Cacau e Chocolate do Território Médio Rio das Contas (APROC), além de contar com a participação da Prefeitura Municipal de Ipiaú, tendo apoio da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC). Esse projeto com certeza vem ajudando muito na valorização de vários produtos oferecidos na região e principalmente o cacau, pois o Agro cacau surgiu em 2014 e o Agro chocolate que surgiu em 2016 e estão há seis e quatro anos beneficiando a economia de Ipiaú. Uma das características únicas desse festival de Ipiaú é ser a céu aberto e para todos os públicos, o que permite que a popularização do evento seja em grande escala, um exemplo disso foi em sua IV edição, que contou com a visitação de mais ou menos 15.000 (quinze mil) visitantes.

O evento AgroChocolate foi um forte desenvolvedor e diversificador de várias áreas do turismo na região, o que proporciona que esse projeto seja um grande influenciador cultural não só para Ipiaú, mas também para muitos municípios vizinhos que também necessita de projetos que beneficie a sua cultura e economia[8].

Cultura[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal de Ipi

No ano de 2019 Ipiaú foi mantido no Mapa do Turismo da Bahia, contribuindo para a cultura e economia do município e região, visto que o turismo influencia positivamente na presença de atrações artísticas em festas como a de São Pedro. Com essa iniciativa a Bahiatursa contribui no fortalecimento de várias regiões, e também da cultura economia do município destacado seu potencial para o turismo rural. Além disso, torna a cultura mais diversificada e atrativa não só para a população da cidade como também para os visitantes que contribuem para a manutenção e desenvolvimento da cultura dessa região[9].

Durante a pandemia do COVID-19 muitos artistas acabaram ficando sem renda. Por isso a Diretoria de Cultura de Ipiaú convocou em 2020 artistas e espaços culturais para cadastramento para receber o benefício emergencial. Esse benefício é resultado do projeto de Lei nº 1.075/2020, batizada de Lei Aldir Blanc, que foi aprovado pelo o Governo Federal em agosto de 2020 e que tem como objetivo a definição da política cultural e a destinação de recursos para o Fundo de Cultura Municipal[10].

Educação[editar | editar código-fonte]

No censo Amostra – Educação de 2010 do IBGE a população a partir de 10 anos de idade era de 37.401 pessoas, sendo destas apenas 9.818 pessoas frequentavam a escola. Mostrando assim, que existia uma taxa muito elevada da população que não consegue frequentar a escola. No que se refere a população adulta, a partir de 25 anos, cerca de 30% nunca foram à escola, o que gera um problema para o desenvolvimento da população[11].

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Na Pesquisa Nacional de Saneamento Básico do IBGE de 2017 o número de economias abastecidas é de 15.381 unidades com extensão total da rede de distribuição de água com 176 km. Sendo que, o volume de água tratada distribuída por dia é de 5.710 m³ e o volume de água consumido por dia é de 4.219 m³, com índice de perda de 26,1%. Já o esgotamento sanitário por rede coletora, o número de economias esgotadas é de 4.318 unidades com extensão total da rede coletora de esgoto de 68 km e volumes de esgoto tratado por dia de 3.223 m³. Mostrando assim, como o saneamento básico tem importância para a população[12].

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de Ipiaú, pertence à Microrregião Homogênea 154 - Cacaueira - segundo divisão adotada pelo IBGE, compreendendo uma área de 267 km², equivalente a 0,05% da área total do Estado, situando-se dentro das coordenadas geográficas: 14º07'55" de latitude sul e 39º44'75" de latitude oeste.[carece de fontes?]

Igreja Batista de Rio Novo

De acordo com a Divisão Territorial Administrativa de 1964/68, o município limita-se ao Norte com Ibirataia e Jequié, ao Sul com Itagibá, ao Leste com Ibirataia e Barra do Rocha e ao Oeste com Aiquara e Jitaúna

Com o município de Aiquara: começa na foz do Ribeirão da Preguiça no Rio das Contas, subindo pelo talvegue deste, até a foz do Ribeirão da Pedra Branca.

Com o município de Jitaúna: começa no Rio das Contas na foz do Ribeirão da Pedra Branca ou Córrego de Pedras, pelo qual sobe até a foz do Ribeirão da Sapucaia.

Com o município de Jequié: começa na foz do Ribeirão da Sapucaia no Córrego de Pedras, subindo por este até a sua nascente, onde alcança o marco fronteiro na Serra Geral.

Paróquia São Roque, em Ipiaú

Com o município de Ibirataia: começa na Serra Geral, no marco fronteiro à nascente do Córrego de Pedras, seguindo pelo divisor de águas da Serra do Tororó, até o marco da reta que liga à nascente do Ribeirão do Retiro ao marco do encontro dos divisores de águas da serra do Fuá e da Boa União, segue por esta reta até o último marco referido, daí, pelo divisor das águas da serra do Fuá até o seu extremo sul, daí em reta para o extremo sul da serra da Boa União até o marco na margem do Riacho da Formiga.

Com o município de Barra do Rocha: começa no marco na reta que liga o extremo sul da Serra da Boa União ao extremo sul da Serra do Fuá, situada na margem do Riacho da Formiga, descendo por este até sua foz no Rio das Contas.

Com o município de Itagibá: começa na foz do Riacho da Formiga no Rio das Contas e sobe pelo talvegue deste até a foz do Ribeirão da Preguiça.

Clima[editar | editar código-fonte]

Praça Ruy Barbosa (centro), em Ipiaú

O município de Ipiaú é classificado climaticamente segundo Koeppen como sendo do tipo Am. É um clima de transição entre Af - chuvas abundantes acima de 1.300mm anuais As e Aw, o primeiro com estação de chuvas concentradas no outono/inverno, e o segundo, com período de chuvas concentrado na primavera/verão. Koeppen ainda considera que a faixa de transição climática em estudo, Am, apresenta estação seca pouco pronunciada, compensada pelos totais anuais elevados.

Serviços[editar | editar código-fonte]

O município conta também com uma unidade da Rede SAC no estado da Bahia. O Ponto SAC que oferece uma variedade de serviços públicos aos moradores do município e de cidades circunvizinhas.

Administração[editar | editar código-fonte]

Praça Ruy Barbosa, Ipiaú

Prefeitos anteriores:

  • Antonio Augusto Sá (1933-1935)
  • Leonel Andrade (1936-1940)
  • Jaime Pontes Tanajura (1940-1943)
  • Agostinho Cardoso Pinheiro (1943-1945)
  • Antonio Lisboa Nogueira (1945-1946)
  • José Borges de Barros (1946-1946)
  • Sandoval Fernandes Alcântara (1946-1949)
  • José Borges de Barros (1949-1950)
  • Pedro Caetano Magalhães de Jesus (1950-1951)
  • José Muniz Ferreira (1951-1955)
  • Salvador da Matta (1955-1959)
  • José Motta Fernandes (1959-1963)
  • Euclides José Teixeira Neto (1963-1967)
  • José Motta Fernandes (1967-1971)
  • Salvador da Matta (1971-1973)
  • Hildebrando Nunes Rezende (1973-1977)
  • José Borges de Barros Junior (1977-1982)
  • Hildebrando Nunes Rezende (1983-1988)
  • Miguel Cunha Coutinho (1989-1992)
  • Ubirajara Souza Costa (1993-1996)
  • José Motta Fernandes (1997-2000)
  • José Andrade Mendonça(2001-2008)
  • Sandra da Purificação Lemos de Santana (2008)
  • Deraldino Alves de Araujo (2009-2016)
  • Maria das Graças Mendonça (2017-2020)

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2017». Censo Populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 1 de fevereiro de 2017 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  4. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de Ipiaú - BA». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 4 de março de 2014 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. IBGE (2019). «Ipiaú: histórico». IBGE. Consultado em 5 de julho de 2022 
  7. IBGE (2021). «Ipiaú: Panorama». IBGE. Consultado em 5 de julho de 2022 
  8. Prefeitura de Ipiaú (2 de maio de 2019). «Geral: Economia». Prefeitura de Ipiaú. Consultado em 5 de julho de 2022 
  9. Prefeitura de Ipiaú (2 de setembro de 2019). «Cultura». Prefeitura de Ipiaú. Consultado em 5 de julho de 2022 
  10. Prefeitura de Ipiaú (22 de junho de 2020). «Cultura: Cadastro». Prefeitura de Ipiaú. Consultado em 5 de julho de 2022 
  11. IBGE (2010). «Censo Amostra Educação». IBGE. Consultado em 5 de julho de 2022 
  12. IBGE (2017). «Pesquisa Nacional de Saneamento Básico». IBGE. Consultado em 5 de julho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.