Itambé (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itambé
Bandeira de Itambé
Brasão de Itambé
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de agosto
Fundação 12 de agosto de 1927
Gentílico itambeense
Padroeiro(a) São Sebastião
Prefeito(a) Ivan Fernandes Couto Moreira
(2013–2016)
Localização
Localização de Itambé
Localização de Itambé na Bahia
Itambé está localizado em: Brasil
Itambé
Localização de Itambé no Brasil
15° 14' 42" S 40° 37' 26" O15° 14' 42" S 40° 37' 26" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Itapetinga IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ribeirão do Largo,Itapetinga,Macarani,Itororó,Vitória da Conquista,Caatiba e Barra do Choça.
Distância até a capital 566 km
Características geográficas
Área 1,442 km² [2]
População 23 106 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 16 023,58 hab./km²
Altitude 346 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,578 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 105 379,140 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 001,74 IBGE/2008[5]
Página oficial

Itambé é um município da microrregião de Itapetinga, no estado da Bahia, no Brasil. Situado a 346 metros acima do nível do mar, sua área é de 1,442 km². É habitada por 23,106 pessoas Senso IBGE 2010.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

A palavra "Itambé" é de origem tupi e significa "Pedra Afiada", através da junção de i'tá (pedra) e aim'bé (afiada)[6] .

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Lei Estadual 2 042, de 12 de agosto de 1927, o povoado adquiriu a sua emancipação política (o povoado do Verruga pertencia até então ao município de Vitória da Conquista). No dia 1º de janeiro de 1928, foi empossado o primeiro prefeito, coronel Hygino dos Santos Melo. Em 30 de novembro de 1938, através do Decreto-Lei 11 089, o Município de Itambé adquiriu o distrito de Itapetinga, que pertencia ao Município de Vitória da Conquista. Em 3 de agosto de 1948, foi colocada primeira pedra para construção da primeira casa do distrito de Catolezinho, numa área doada pelo então vereador e próspero fazendeiro Cassiano Fernandes Ferraz. Após nove meses, já haviam sido edificadas em torno de trezentas casas. Assim, Catolezinho se tornou o primeiro distrito e Itapetinga, o segundo. Itambé possuía também os arraiais de Sapucaia, Palmares e Bandeira. Em 12 de dezembro de 1952, Itambé perdeu o distrito de Itapetinga quando este foi emancipado politicamente.

No processo de estruturação política e administrativa, houve também a estruturação da fé. Em 28 de novembro de 1935, foi instalada paróquia de Itambé, graças à influência de Aparício do Couto Moreira, que era parente próximo do monsenhor Moisés Couto, vigário de Itabuna. Este intercedeu para a criação da paróquia, tendo, como primeiro vigário, o padre Nestor Passos. A paróquia de Itambé tem São Sebastião como patrono.

Economia[editar | editar código-fonte]

Avenida João Durval Carneiro

A economia de Itambé é baseada na agricultura, pecuária, comércio, extração mineral e indústrias de pequeno porte, sendo o destaque a pecuária. As culturas agrícolas que se destacam são: feijão, mandioca, milho, banana . Na pecuária, o município possui rebanhos: bovinos, eqüinos, suínos, ovinos e aves.

O comércio é baseado principalmente nas vendas a varejo. Outra atividade econômica que merece destaque no município é a Mineração. Extrai-se berilo, calcário, cristal de rocha, feldspato, fluorita, nióbio, columbita, caulim, pegmatitos, cristais transparentes, cristal róseo, águas marinhas, urânio, ametista, micas, amianto e barita. A cidade possui indústrias de selaria, capotaria, olaria, sapataria, extração de minério.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Santa Casa de Misericórdia

O município possui a Santa Casa de Misericórdia, quatro unidades de saúde da família na zona urbana (bairros Felipe Achy, Sidney Pereira de Almeida, Durvalina Andrade e Agenor Novais), uma unidade de saúde da família no distrito de Catolezinho, e o posto de saúde Coriolano José Fagundes, onde a população tem acesso a atendimento médico, odontológico, nutricionista, vacinação, farmácia básica e primeiros socorros.

A cidade dispõe ainda de um centro de fisioterapia, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, além da central de marcação de exames. Também existem vários laboratórios de analises clínicas que fazem vários tipos de procedimentos. 

Educação[editar | editar código-fonte]

O município de Itambé é muito bem servido de escolas: possui 3 colégios estaduais de 1º e 2º graus (Complexo Polivalente de Itambé, Centro Educacional Gilberto Viana e Educandário Cristo Rei). Existem 50 escolas municipais espalhadas pela sede, distritos e zona rural. A cidade possui, também, uma escola particular: o Centro Educacional Enoy Ferraz Trancoso, no centro da cidade, e duas creches que atendem a população carente: Magda Maria Correia, no centro da cidade, e Maria Fernandes Achy, no Felipe Achy.

Principais Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Sydney Pereira de Almeida
  • José Gusmão de Brito
  • Felipe Achy
  • Agenor Novaes
  • Osório Gusmão
  • Humberto Lopes
  • Bela Vista
  • Durvalina Andrade

Distrito[editar | editar código-fonte]

Atualmente, o município conta com um distrito em seu território:

  • Catolezinho

Cultura e Lazer[editar | editar código-fonte]

Rua Rui Barbosa, no Centro
Bibliotecas

Existe a biblioteca municipal Guilherme Marback e mais duas que pertencem ao Colégio Estadual Polivalente e ao Centro Educacional Gilberto Viana.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 24 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  6. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 974.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]