Gongogi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Gongogi
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 12 de abril
Fundação 12 de abril de 1962 (57 anos)
Gentílico gongogiense[1]
Prefeito(a) Edvaldo dos Santos(Kaçulo) (PR)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Gongogi
Localização de Gongogi no/em Bahia
Gongogi está localizado em: Brasil
Gongogi
Localização de Gongogi no Brasil
14° 19' 19" S 39° 27' 54" O14° 19' 19" S 39° 27' 54" O
Unidade federativa {{{1}}}
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008 [2]
Microrregião Ilhéus-Itabuna IBGE/2008 [2]
Municípios limítrofes Ubatã/Aurelino Leal/Ubaitaba/Barra do Rocha/Itagibá Tapirama
Distância até a capital 396 km
Características geográficas
Área 198,305 km² [3]
População 8 344 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 42,08 hab./km²
Altitude 115 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,576 baixo PNUD/2010 [5]
PIB R$ 23 518,681 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 3 573,72 IBGE/2008[6]

Gongogi é um município brasileiro do estado da Bahia.

População estimada [2018] 7.276 pessoas

habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Gongogi foi elevada a município pelas lei estadual 1668 de 12 de junho de 1962, com território desmembrado de Ubaitaba.[7] O município tem uma entidade de valorização cultural fundada em 12 de abril de 1998, denominada Associação Cultural E Beneficente Antônio Pereira Barbosa (ACAPEB), idealizada por Jose Jorge Souza em conjunto com sua esposa Juciara Perminio de Queiroz Souza e reconhecida nacionalmente pelas ações culturais, transformada, hoje em Ponto de Cultura. Dotada da primeira biblioteca do município, Biblioteca Comunitária. A entidade tem como patrono Antonio Pereira Barbosa (in memorian) que compôs o Hino à Gongogi.

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Paulo Accioli - Grande figura do interior paulista, conhecido por palestras e suas entradas violentas no futebol. Hoje é jogador aposentado por Guilherme, presidente do VSFC.

Denilson de Oliveira - Conhecido por seus versos e prosa enaltecendo sempre a a sua terra e acontecimentos pitorescos da sua gente.

Ildásio Tavares - Nasceu na atual cidade de Gongogi, região do cacau da Bahia, em 25 de Janeiro de 1940. Em Salvador, formou-se em Direito e em Letras na UFBA, tendo feito o Mestrado na Southern Illinois University, o Doutorado na UFRJ e um Pós-Doutorado na Universidade de Lisboa.

O autor pertenceu à geração da Revista da Bahia, juntamente com outros autores baianos, como Cyro de Mattos, Marcos Santarrita, José Carlos Capinam, Ruy Espinheira Filho entre outros.

Publicou seu primeiro livro de poesia, Somente um Canto, em 1968, e continuou publicando livros de poesia e de prosa (romances, teatro e ensaios). Como compositor, teve 46 músicas gravadas por Vinícius de Moraes, Maria Bethânia, Alcione, Toquinho, Nelson Gonçalves e Maria Creuza. Entre os seus perceiros estão Baden Powell, Vevé Calasans, Gerônimo e Carlinhos Cor das Águas.

Foi Ogá de Oxum e Obá Aré da Casa de Xangô, do Axé Opó Afonjá. Foi o autor da ópera afro-brasileira “Lídia de Oxum”, com música de Lindembergue Cardoso, regida por Júlio Medaglia, levada às margens da Lagoa do Abaeté, em Salvador, para um público de cerca de 30 mil espectadores. A ópera foi apresentada, em seguida, em diversos palcos brasileiros.

Foi tradutor e professor de Inglês por quase 20 anos, experiência da qual se serviu em seu livro A arte de traduzir. Sua obra poética é vasta, tendo sido apreciada por nomes expressivos da cultura no Brasil e no exterior.

António Pereira Barbosa = Musico e Compositor do hino a Gongogi

Notas

Erro de citação: Elemento <ref> definido em <references> tem o atributo de grupo "nota", que não aparece no texto anterior.

Referências

  1. http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=291150 IBGE
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. «Gongogi Bahia - BA Histórico». IBGE. Consultado em 5 de maio de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.