Jeremoabo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Jeremoabo
"Jeré"
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 6 de Julho
Fundação Por Volta de 1625
Gentílico Não disponível
Lema Só os fortes sobrevivem
Prefeito(a) Anabel de Sá Lima (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Jeremoabo
Localização de Jeremoabo na Bahia
Jeremoabo está localizado em: Brasil
Jeremoabo
Localização de Jeremoabo no Brasil
10° 04' 01" S 38° 21' 00" O10° 04' 01" S 38° 21' 00" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Jeremoabo IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sítio do Quinto, Coronel João Sá, Pedro Alexandre, Santa Brígida, Paulo Afonso, Rodelas, Macururé, Canudos, Euclides da Cunha, Novo Triunfo e Antas
Distância até a capital 370 km
Características geográficas
Área 4 761,114 km² [2]
População 40 587 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 8,52 hab./km²
Altitude 272 m
Clima Desértico
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,547 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 123 208,229 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 165,35 IBGE/2008[5]
Página oficial

Jeremoabo é um município brasileiro do estado da Bahia . Sua população estimada em 2013 era de 41.587 habitantes.

A porcentagem de população urbana, que era de apenas 12% em 1970, chegou a 40% do total do município em 1995.

História[editar | editar código-fonte]

A região de Jeremoabo, no nordeste da Bahia, foi povoada originalmente por Tupinambás dos grupos Muongorus e Cariacás. A palavra Jeremoabo em língua tupinambá significa "plantação de jerimum".

No século XVI, o português Garcia d'Ávila recebeu do rei João III uma sesmaria de 60 léguas quadradas, abrangendo as terras onde hoje se localiza o município. Em conflito com os missionários, que se opunham à escravidão dos índios, D'Ávila incendiou a povoação original, reconstruindo-a depois por intervenção do Papa e do governo colonial.

Em 1688 foi expedida a patente de Sebastião Dias, primeiro Capitão–Mor da aldeia Muongorus de Jeremoabo. Dez anos depois, Jeremoabo foi elevada à categoria de julgado.

Em 1778, o Governo Geral do Brasil criou a freguesia de São João Batista de Jeremoabo, cuja paróquia passou a ser dirigida pelo padre Januário de Souza Ferreira. Segundo documentos da época, havia na sede 32 casas construídas e uma população de 252 habitantes.

Em consequência de sua grande extensão territorial, várias povoações (em geral antigas aldeias indígenas) desmembraram-se da Jeremoabo original, vindo a se constituir em outras freguesias e mais tarde em municípios: Monte Santo em 1790, Cícero Dantas em 1817, Tucano em 1837, Ribeira do Pombal em 1837, Santo Antônio da Glória em 1840, etc.

Jeremoabo tornou-se vila por decreto de 25 de Outubro de 1831, ganhando condição de cidade em 6 de Julho de 1925.

Administração[editar | editar código-fonte]

Executivo

Prefeito (eleita em 2012 pelo Partido da Social Democracia (PSD):

  • Anabel de Sá Lima
Legislativo

Vereadores (eleitos em 2012):

  • ANA JOSEFINA (PRESIDENTE DA CÂMARA)
  • ANAILTA
  • ANTÔNIO CHAVES
  • SONSO (FALECIDO) JOÃO DE ANTONIO DE ANA - SUPLENTE
  • BINO
  • DEDÉ DE MANOEL DE PEDRINHO
  • JAIRO DO SERTÃO
  • MANU DE JOÃO FERREIRA
  • NEGUINHO DE LIÉ
  • NETO
  • ZÉ DE ZEZITO
Judiciário

Jeremoabo é sede de Comarca de 2ª entrância, que atende ainda as cidades vizinhas de Sítio do Quinto, Coronel João Sá e Pedro Alexandre.

  • Juiz da Vara dos Feitos Relativos às Relações de Consumo. Cíveis e Comerciais: Dr. Paulo Eduardo de Menezes Moreira.
  • Juiz da Vara Criminal e da Infância e Juventude: Dr. Daniel Pondé.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013 Censo Populacional 2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Visitado em 30 de setembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 23 de agostoo de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.