Uauá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Uauá
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 9 de julho
Fundação século XVIII
Emancipação 9 de julho de 1926
Gentílico uauaense
Prefeito(a) Lindomar de Abreu Dantas (PC do B)
(2017–2020)
Localização
Localização de Uauá
Localização de Uauá na Bahia
Uauá está localizado em: Brasil
Uauá
Localização de Uauá no Brasil
09° 50' 31" S 39° 28' 55" O09° 50' 31" S 39° 28' 55" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Euclides da Cunha IBGE/2008[1]
Região metropolitana não
Municípios limítrofes Patamuté, Abaré entre outras
Distância até a capital 438 km km
Características geográficas
Área 2 950,274 km² [2]
População 25 853 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 8,76 hab./km²
Altitude 462 m m
Clima Semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,605 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 85 688,373 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 392,66 IBGE/2008[5]
Página oficial

Uauá (de acordo com Antenor Nascentes, palavra de origem tupi, significa "vaga-lume") é um município brasileiro do Estado da Bahia.

História[editar | editar código-fonte]

O início de Uauá foi no século XVIII, quando Francisco Ribeiro formou uma fazenda, chamada Uauá às margens do rio Vaza-Barris, em terras de propriedade de Garcia d'Ávila. Um povoado homônimo começou a se formar a partir da fazenda. Em 1896, foi acampamento de uma Companhia de Infantaria do Exército que iria combater na Guerra de Canudos. Em 1905, depois de ser recuperada dos danos causados pela Guerra de Canudos, tornou-se sede distrital do Município de Monte Santo, pela lei estadual n.º 590, de 8 de julho de 1905.

Foi elevado à categoria de município com o nome de Uauá, pela lei estadual n.º 1866, de 9 de julho de 1926. Em 1931 o município de Uauá foi novamente extinto e seu território voltou a ser distrito do município de Monte Santo, pelos decretos estaduais n.ºs 7455, de 23 de junho de 1931 e n.º 7479, de 8 de julho de 1931. Emancipou-se novamente de Monte Santo em 1933, voltando a ser o município de Uauá pelo decreto estadual n.º 8641, de 19 de setembro de 1933, sendo reinstalado em 10 de outubro do mesmo ano.

Os distritos de Caldeirão e Serra da Canabrava, que eram povoados de Uauá foram criados e anexados ao município pela lei estadual nº 628, de 30 de dezembro de 1953.[6]

Demografia[editar | editar código-fonte]

No censo 2010, foi aferida uma população de 24 294 habitantes, segundo o IBGE. Já sua população estimada pelo IBGE em 2016 era de 25 853 habitantes.[3]

Economia[editar | editar código-fonte]

Uauá-Bahia, é um município economicamente sustentado e movido pela economia de subsistência, caracterizado pelo manejo da caprinovinocultura, conhecido nacionalmente como "Capital do Bode" o título é uma referência a exposição de caprinos e ovinos que acontece anualmente e pela fama de ter a carne de bode mais saborosa da região, O bode representa 1/3 do PIB do município cerca de R$ 37 milhões, Segundo pesquisa do Bioma Caatinga. em 2010. Nos últimos tempos o município vem implementando através do IRPAA – (Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada) e a Coopercuc – (Cooperativa de Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá), um programa de convivência com o semi- árido que já mudou a vida de muitas famílias através do beneficiamento das frutas do sertão a exemplo do Umbú.

Educação[editar | editar código-fonte]

A Faculdade de Tecnologia e Ciências chegou à cidade no ano de 2005 e, desde então, tem oferecido não apenas cursos de nível superior com graduações tecnológicas, licenciaturas e bacharelados, como também cursos de pós-graduação, todos em regime de educação à distância. O município também conta com cursos técnicos em segurança do trabalho, zootecnia, agronegócio, contabilidade, enfermagem, nutrição e dietética e informatica, conta ainda com cursos do Pronatec do governo federal, no antigo Colégio Estadual Antônio Conselheiro (CEAC), hoje Centro Territorial de Ensino Profissional Sertão do São Francisco II Antonio Conselheiro- CETEP SSF II AC. Em 2014 a UNINTER também passou a oferecer cursos de graduação a distancia na cidade.

Tecnologia[editar | editar código-fonte]

O município dispõe de dois provedores de acesso (ISP), oferecendo Internet banda larga na sede do município. Ambos possuem infra-estrutura "wireless" (sem fio) na sede do município. Desse modo, o governo do estado da Bahia, em convênio com a Prefeitura Municipal, inaugurou em 2007 o primeiro Infocentro do município. O Programa Identidade Digital é equipado com diversos computadores com o sistema operacional Linux e oferece cursos de informática básica e acesso à web para a população carente.

O município também possui cobertura de telefonia celular oferecida pelas operadoras Vivo e Claro.

Em outubro de 2016, o município recebeu seu primeiro Sinal Digital, sendo disponibilizado pela TV São Francisco no canal (27 UHF, 7.1).

Festas populares[editar | editar código-fonte]

Festa típica do Nordeste, o "São João" de Uauá é, seguramente, um dos melhores e mais tradicionais da Bahia. Com intensa participação popular, os festejos juninos, em que predomina o verdadeiro forró "pé-de-serra", preservam as raízes culturais de Uauá.

Há, também, no mês de agosto, a tradicional exposição de caprinos e ovinos que reúne grandes empresários e turistas de todo o Brasil.

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Uauá possui as seguintes cidades-irmãs:

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «População». IBGE Cidades. Consultado em 19 de junho de 2017 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 16 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Uauá». IBGE Cidades. Consultado em 18 de junho de 2017. Cópia arquivada em 18 de junho de 2017 
  7. a b SECULT - Secretaria de Cultura do Bahia. Sertão quer preservar arte e cultura popular.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]