Érico Cardoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Érico Cardoso
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 7 de abril
Fundação 05 de junho de 1962 (57 anos) (emancipação)

07 de abril de 1963 (56 anos) (instalação do município)

Gentílico érico-cardosense
CEP 46180-000
Prefeito(a) Érico Cardoso de Azevedo (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Érico Cardoso
Localização de Érico Cardoso na Bahia
Érico Cardoso está localizado em: Brasil
Érico Cardoso
Localização de Érico Cardoso no Brasil
13° 25' 04" S 42° 08' 24" O13° 25' 04" S 42° 08' 24" O
Unidade federativa Bahia
Mesorregião Centro-Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Livramento do Brumado IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Rio do Pires, Abaíra, Rio de Contas, Caturama, Paramirim, Livramento de Nossa Senhora, e Piatã
Distância até a capital 760 km
Características geográficas
Área 701,458 km² [2]
População 10 662 hab. IBGE/2018
Densidade 15,2 hab./km²
Altitude 691 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,584 baixo PNUD/2010 [3]
PIB R$ 28 683,146 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 2 653,64 IBGE/2008[4]

Érico Cardoso é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2004 era de 12.814 habitantes.

Situada ao lado esquerdo do rio Paramirim, está incrustada entre serras, no Centro-Sul Baiano, na Chapada Diamantina. O nome antigo da cidade, Água Quente, se deu pelo fato do poço termal, Poção, que conserva seu líquido sempre na casa dos 27°C. Outra curiosidade desse poço é que sua vazão nunca se altera, corre sempre a mesma quantidade de água, que a poucos metros, dez ou vinte no máximo, penetra no rio Paramirim, seguindo junto até a foz, no rio São Francisco.

História[editar | editar código-fonte]

No início do século XVIII, começa a colonização do território do Vale do Paramirim (onde se localiza Érico Cardoso), com a procura de ouro por portugueses e brasileiros no Morro do Fogo (no atual município de Érico Cardoso), onde se fixaram e formaram o "Arraial do Morro do Fogo". Em 1843, foi criada a freguesia de Nossa Senhora do Carmo do Morro do Fogo, que, em 1875, teve sua sede transferida para o Arraial de Água Quente (atual Sede de Érico Cardoso), elevada à condição de vila em 1878, sob o nome de "Industrial Vila de Água Quente".

Em 1902, a sede municipal foi transferida para a povoação do Arraial do Ribeiro (onde hoje fica a Sede de Paramirim), que naquele tempo estava em fase de maior desenvolvimento do que Água Quente e por se achar mais bem localizado geograficamente.

O distrito de Água Quente se emancipou de Paramirim em 1962, tornando-se um município. Em 1991, teve o topônimo alterado para Érico Cardoso, em homenagem a um político influente na região.

Atualmente, Érico Cardoso conta com cerca de 11 mil hab. Érico Cardoso é um município muito rural: atualmente, cerca de 20% (1/5) da população do município vive na zona urbana, sendo este o município mais rural da Bacia do Paramirim, mas não o mais atrasado. A população do município, nos últimos anos, está em declínio.

Política[editar | editar código-fonte]

Poder Executivo[editar | editar código-fonte]

  • Érico Cardoso de Azevedo (2017 - )
  • João Paulo de Souza (2013 - 2016)
  • João Paulo de Souza (2009 - 2012)
  • Miguel Gomes Tanajura (2005 - 2008)
  • João Paulo de Souza (2001 - 2004)
  • João Paulo de Souza (1997 - 2000)
  • Miguel Gomes Tanajura (1993 - 1996)
  • Antônio Medrado Alcântara (1989 - 1992)
  • Miguel Gomes Tanajura (1983 - 1988)
  • Eufrásio Azevedo (1977 - 1982)
  • Érico Cayres Cardoso (1973 - 1976)
  • Ademário Viana Cardoso (1971 - 1972)
  • Eurípedes Ribeiro de Azevedo (1967 - 1970)
  • Érico Cayres Cardoso (1963 - 1966)

Turismo[5][editar | editar código-fonte]

Érico Cardoso, cidade localiza em uma área circulada por serras, conta com muitos atrativos turísticos, como cachoeiras, rios, lagos, trilhas e povoados históricos locais propícios para visitação. O povoado do Morro do Fogo, um dos primeiros lugares habitados pelos portugueses, é uma ótima opção de visita, que possui as ruínas de minas de ouro, inscrições rupestres, casarões e igrejas erguidas na época colonial. Tem ainda o Poção de Água Quente, onde os visitantes encontram águas límpidas e termais. O turismo regional é movimentado pelos festejos juninos, com apresentações de quadrilhas, sanfoneiros, fogueiras, fogos de artifício e instalação de barracas para comercialização de bebidas e comidas típicas, na Praça da Matriz.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE; IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Conheça as potencialidades no turismo da Bacia do Paramirim». UPB - União dos Municípios da Bahia. Consultado em 28 de setembro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.