Paulo Afonso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Paulo Afonso (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Brasil.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

Este artigo está para revisão desde setembro de 2016.

Município de Paulo Afonso
"Capital da Energia"
"Cidade da Água"
Cachoeira de Paulo Afonso

Cachoeira de Paulo Afonso
Bandeira de Paulo Afonso
Brasão de Paulo Afonso
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de julho
Fundação 28 de julho de 1958
Gentílico pauloafonsino
Prefeito(a) Luiz de Deus (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Paulo Afonso
Localização de Paulo Afonso na Bahia
Paulo Afonso está localizado em: Brasil
Paulo Afonso
Localização de Paulo Afonso no Brasil
09° 24' 28" S 38° 13' 19" O09° 24' 28" S 38° 13' 19" O
Unidade federativa Bahia
Mesorregião Vale São-Franciscano da Bahia IBGE/2008[1]
Microrregião Paulo Afonso IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Santa Brígida, Rodelas, Glória e Jeremoabo em território baiano. Delmiro Gouveia em território alagoano e Canindé de São Francisco em território sergipano.
Distância até a capital 434 km
Características geográficas
Área 1 545,192 km² [2]
População 117 014 hab. (BA: 15°) –  estimativa IBGE/2018[3]
Densidade 75,73 hab./km²
Altitude 243 m
Clima Semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,758 elevado PNUD/2017[4]
Gini 0,58 PNUD/2010[5]
PIB R$ 2 267 981 mil IBGE/2016[6]
PIB per capita R$ 18 910,87 IBGE/2016[6]
Página oficial
Prefeitura Prefeitura de Paulo Afonso
Câmara Câmara Municipal de Paulo Afonso

Paulo Afonso é um município brasileiro do estado da Bahia. Foi emancipado em 28 de julho de 1958 do município de Glória. Sua área é de 1 545 quilômetros quadrados e sua população, conforme estimativas do IBGE de 2018, era de 117 014[3] habitantes. Sua densidade demográfica é de 68,62 habitantes por quilômetro quadrado.

Faz limite, ao norte com o município de Glória, ao sul com o município de Santa Brígida, a leste com o estado de Alagoas, a oeste com o município de Rodelas e a sudoeste com o município de Jeremoabo. Sua localização geográfica é 9º 24' 22'' de latitude sul e 38º 12' 53'' de longitude oeste.

Na zona rural do município, no povoado de Malhada da Caiçara está situado um museu em homenagem a Maria Bonita, o Museu Casa de Maria Bonita.[7]

História[editar | editar código-fonte]

O município de Paulo Afonso nos meados do século XVIII era habitado por portugueses que chefiados por Garcia d’Ávila, subiram o rio São Francisco chegando onde hoje está localizada a cidade. Isso os levou devido à fartura de água. Encontraram pacíficos índios mariquitas e pancarus, junto a eles cultivaram a lavoura e a criação de gado, em meados de 1705, padres católicos iniciaram a catequese dos silvícolas, com a intenção de evitar que fossem explorados pelos bandeirantes.

Em 3 de outubro de 1725, o sertanista Paulo Viveiros Afonso recebeu, por alvará, uma sesmaria medindo três léguas de comprimentos por uma de largura. Situada na margem esquerda do rio São Francisco, abrangia as terras alagoanas da cachoeira, conhecida, então como “Sumidouro”. Não se conformando com a área que recebeu, o donatário ocupou, além das ilhas fronteiras (entre as quais a da Barroca ou Tapera), as terras baianas existentes na margem direita, onde construiu um arraial que, posteriormente, se transformou na Tapera de Paulo Afonso. A localidade, procurada como pouso de boiadas, começou a exigir desenvolvimento comercial que atendesse à solicitação de gêneros, por parte, não só dos adventícios, como da população local. O lugarejo já era expressivo núcleo demográfico do município de Glória, quando o Governo Federal, em 15 de março de 1948, criou a Companhia Hidrelétrica do São Francisco, com a finalidade de aproveitar a energia da Cachoeira de Paulo Afonso. O acampamento de obras localizou-se nas terras da Fazenda Forquilha. Em torno das instalações da Usina cresceu a Cidade.[8]

Cachoeira de Paulo Afonso[editar | editar código-fonte]

Cachoeira de Paulo Affonso no rio São Francisco, data anterior a construção do Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso.

As expedições, que iniciaram em 1553 a penetração do rio São Francisco, estão ligadas a história da Cachoeira de Paulo Afonso.

Nos séculos XVI e XVII, de acordo com os arquivos de Portugal e do Brasil, a Cachoeira era conhecida como "Sumidouro" ou "Forquilha", passando a ter a atual denominação após a concessão de uma sesmaria a Paulo Viveiros Afonso, através do Alvará de 3 de outubro de 1725.

Foi Delmiro Gouveia o pioneiro que, em 26 de janeiro de 1913, inaugurou uma pequena usina de 1.500 HP, hoje paralisada e fez transportar energia elétrica de Paulo Afonso para a localidade de Pedra, atual Cidade de Delmiro Gouveia, sede do município de igual nome, desmembrado do de Água Branca, em Alagoas.

A principal característica de Paulo Afonso e ter sido a primeira usina subterrânea instalada no Brasil. Suas turbinas encontram-se a mais de 80 metros abaixo do nível do rio São Francisco.[9]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Relevo[editar | editar código-fonte]

A área territorial de Paulo Afonso possui relevo formado por planaltos e depressões. A cidade está a 243 metros acima do nível do mar.

Diversos acidentes físicos podem ser encontrados na região, como a Cachoeira de Paulo Afonso, o cânion do Rio São Francisco e o Raso da Catarina.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante no município é a caatinga. Em Paulo Afonso podem ser encontradas diversas espécies bromeliáceas e cactáceas.[10]

Clima[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados de precipitação em 24 horas registrados
em Paulo Afonso por meses (INMET, 1962-2015)[11]
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 122,8 mm 11/01/1980 Julho 42 mm 19/07/1969
Fevereiro 157,7 mm 09/02/1978 Agosto 21 mm 08/08/2014
Março 140,3 mm 29/03/1965 Setembro 28,2 mm 09/09/2006
Abril 165,5 mm 18/04/1988 Outubro 91,6 mm 03/10/1986
Maio 81,5 mm 12/05/2004 Novembro 65,6 mm 17/11/1999
Junho 46,8 mm 15/06/2006 Dezembro 144,2 mm 22/12/2008

Paulo Afonso possui clima semiárido, com temperatura compensada média elevada em torno dos 26 graus (°C), chegando próximo dos 35 °C entre novembro e janeiro. Julho é o mês o mais ameno com temperatura girando em torno de 23 °C.[12]

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), de janeiro de 1962 a abril de 2015 a menor temperatura registrada em Paulo Afonso foi de 12,4 °C em três ocasiões, as duas primeiras em agosto de 1973, nos dias 15 e 16, e a mais recente em 29 de setembro de 1997,[13] e a maior atingiu 39,6 °C duas vezes, ambas em 1963, nos dias 3 de janeiro e 7 de fevereiro.[14] O maior acumulado de precipitação registrado em 24 horas foi de 165,5 milímetros (mm) em 18 de abril de 1988. Outros grandes acumulados foram 157,7 mm em 9 de fevereiro de 1978, 144,2 mm em 22 de dezembro de 2008, 140,3 mm em 29 de março de 1965, 128,8 mm em 9 de abril de 1996, 122,8 mm em 11 de janeiro de 1980, 114 mm em 28 de janeiro de 2003 e 106 mm nos dias 21 de fevereiro de 1964 e 17 de março de 1963. O índice mais baixo de umidade relativa do ar atingiu apenas 13%, na tarde de 13 de dezembro de 1980.[15]

Dados climatológicos para Paulo Afonso
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 39,6 39,6 38,9 37,8 36,8 34,9 34,4 34,5 37,7 38,9 39,4 39,2 39,6
Temperatura máxima média (°C) 34,4 34,3 33,7 32,5 30,7 28,5 27,9 29,1 31,7 33,8 34,8 34,6 32,2
Temperatura média compensada (°C) 28 28 27,8 26,9 25,5 23,7 22,9 23,3 25,1 26,8 27,8 28 26,2
Temperatura mínima média (°C) 23,1 23,2 23,2 22,8 21,9 20,5 19,5 19,4 20,3 21,6 22,5 22,8 21,7
Temperatura mínima recorde (°C) 17 17,9 19 18,7 17,6 14 13 12,4 12,4 18 18,4 17,4 12,4
Precipitação (mm) 49,2 38,3 76,8 75,3 54,2 62,6 49,3 29 11,7 17,1 19,5 30 513
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 3 3 6 6 9 11 10 8 3 2 2 3 66
Umidade relativa compensada (%) 58,7 59,6 63,2 67,7 73,4 78,7 77,7 72,7 63,6 58,9 56,1 57,1 65,6
Horas de sol 256 232,2 236,3 222,6 195,3 151,5 167,9 194 236,6 271,7 273,7 267 2 704,8
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[12] recordes de temperatura: período entre 01/1962 a 04/2015)[13][14]

Política[editar | editar código-fonte]

Postscript-viewer-blue.svgVer também a categoria: Prefeitos de Paulo Afonso

Atual administração[editar | editar código-fonte]

  • Poder Executivo.

Luiz de Deus do Partido Social Democrático.

  • Poder Legislativo.

Em outubro 1958 foi realizada a primeira eleição em Paulo Afonso, no dia 7 de abril de 1959 o município recebeu seus primeiros vereadores. Faltava naquele momento a infraestrutura para comportar os representantes do povo. Mesmo assim, em 14 de abril, foi aprovada a primeira resolução, de autoria da Mesa Diretora da Câmara que era presidida pela vereadora Dinalva Simões Tourinho. Hoje a Câmara Municipal de Vereadores conta com quinze representantes.[16]

Infraestrutura urbana[editar | editar código-fonte]

O município contém uma estrutura planejada desde sua criação, o centro fica dentro de uma ilha artificial que foi construída com a implantação do canal da usina P.A.IV, em torno do centro ficam alguns bairros, fora dá ilha também possui outros bairros importantes, como o BTN (Bairro Tancredo Neves I, II e III) que é o bairro mais populoso, mais distante fica a zona rural e os distritos da cidade.

No centro do município as ruas são pavimentas e outra parte é asfaltada, a coleta de lixo é feita semanalmente em grande parte da cidade e é direcionada para uma usina de reciclagem e já está em estado avançado à criação do aterro sanitário para reduzir os impactos ambientais.[17]

  • Transporte Urbano

Paulo Afonso possui duas empresas legalizadas, que trabalham fazendo a conexão do centro da cidade aos principais bairros do município: Vitória Transportes e Aratu Transportes. Ambas fazem esse trabalho há décadas na cidade.[17]

  • Evolução populacional
    • 1991 - 86.619
    • 1996 - 92.995
    • 2000 - 96.499
    • 2007 - 101.952
    • 2010 - 108.396

Aumento de mais de 27 mil em comparação 1991 e 2010.[18][19]


Cidades População censo 2010
1ª Salvador 2.675.656
2ª Feira de Santana 556.642
3ª Vitoria da Conquista 306.866
4ª Camaçari 242.970
5ª Itabuna 204.667
6ª Juazeiro 197.965
7ª Ilhéus 184.236
8ª Lauro de Freitas 163.449
9ª Jequié 151.895
10ª Alagoinhas 141.949
11ª Teixeira de Freitas 138.341
12ª Barreiras 137.427
13ª Porto Seguro 126.929
14ª Simões Filho 118.047
15ª Paulo Afonso 108.396

Dos 417 municípios que constituem o estado da Bahia, Paulo Afonso possui a 8ª maior frota de veículos do estado.(IBGE/2009)[20]

Bairros[editar | editar código-fonte]

[21]

  • Abel Barbosa
  • Alves de Souza
  • Amaury Alves de Menezes, conhecido também por BNH
  • Barroca
  • Boa Esperança
  • Capuxú
  • Caminho dos Lagos
  • Cardeal Brandão Vilela, ou Três Lagoas
  • Centro
  • Centenário
  • Clériston Andrade
  • Dernival Oliveira
  • Fazenda CHESF
  • General Dutra
  • Jardim Aeroporto
  • Jardim Bahia
  • Nossa Senhora de Fátima
  • Marina França
  • Moxotó BA também chamado de Oliveira Brito que ja foi a Vila Cetenco
  • Oliveira Lopes
  • PA IV
  • Panorama
  • Prainha
  • Perpétuo Socorro
  • Rodoviários
  • Sal Torrado
  • Santa Inês
  • São Vicente
  • Senhor do Bonfim
  • Setor Industrial
  • Siriema I e II
  • Tancredo Neves I, II e III
  • Tropical
  • Vila Dom Mário Zanetta
  • Vila Militar
  • Vila Nobre.

Acesso[editar | editar código-fonte]

BR-110 para a capital, Salvador; rodovias locais para Alagoas, Sergipe, Pernambuco e municípios vizinhos. BA-210 Via importantíssima para região norte do estado da Bahia, conecta os municípios mais importantes da região do Vale do São Francisco vai até a divisa com o estado de Sergipe.[22]

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Emissoras de televisão analógicas em Paulo Afonso

Digital

Canais digitais em implantação

Canais analógicos autorizados

Emissoras aguardando autorização

  • RedeTV!
  • Nosso Lar Serviços de Radiodifulsão LTDA

Emissoras de rádio em Paulo Afonso

  • Delmiro FM 89,9 - Delmiro Gouveia/AL
  • Correio FM 91,9 - Delmiro Gouveia/AL
  • Cultura FM 92,7 - Paulo Afonso/BA
  • Bahia Nordeste FM 93,5 - Paulo Afonso/BA
  • Angiquinho FM 98,5 - Delmiro Goveira /AL
  • Faixa Comunitária 104,9 - Betel FM / Paulo Afonso FM / Betânia FM - Paulo Afonso/BA
  • Delmiro AM 760 - Delmiro Gouveia /AL
  • Cultura AM 1360 - Paulo Afonso/BA

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do IBGE Paulo Afonso possui um dos maiores PIB (Produto Interno Bruto) do estado da Bahia e em 2007 estava na lista das 30 maiores cidades do nordeste com os maiores (PIB)[23]

Indústria[editar | editar código-fonte]

A microrregião de Paulo Afonso tornou-se destaque no setor secundário é uma das cidades baianas com um dos maiores PIB, só o setor industrial passam de 1,49 bilhões segundo dados do IBGE, isso leva em conta devido ao gigantesco parque hidrelétrico que se estende em todo o seu território e cidades circunvizinha. Sua região é destaque no desenvolvimento da piscicultura, principalmente na criação de Tilápias, hoje atrai indústrias para a fabricação de rações para piscicultura e outras finalidades.

Valor adicional bruto da indústria é de 1.195.145, fazendo com que Paulo Afonso seja a 4ª cidade com maior valor adicional bruto da indústria no estado da Bahia.[24]

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

A cidade é sede do 20º Batalhão de Policia do Estado da Bahia, sede da 18ª COORPIN (Coordenadoria de Policia Civil do Interior)[25] e agrupa o 15º GBM (Grupamento de Bombeiros Militares)[26] devido à cidade conter um complexo hidrelétrico de grande porte a mesma abriga a 1ª Cia de Infantaria do Exército brasileiro,[27] possui uma guarda municipal, por ser uma cidade que fica na divisa de vários estados, Paulo Afonso conta também com o apoio da Policia Rodoviária Federal.[28] Com intuito de minimizar os índices de violência o governo do estado da Bahia implantou o programa Ronda nos Bairros e atualmente Paulo Afonso foi incluído no programa Pacto pela vida.

Educação[editar | editar código-fonte]

Responsável pela DIREC-10 uma unidade Regional da Secretaria de Educação, que tem por objetivo descentralizar as ações educacionais, socioeducativas e comunitárias, no âmbito do estado, executando atividades técnico-pedagógicas e administrativo-financeira, porém a educação regional caminha em passos pequenos quando comparamos com outras cidades da Bahia com o mesmo porte ou até mesmo de outros estados, anualmente é notável o grande número de jovens que concluem o ensino médio e se deslocam para outras cidades ou para grandes centros urbanos devido à ausência de cursos superiores para suprir a demanda da região. Sabendo da ausência de cursos na área de saúde nas principais cidades do interior do nordeste, o governo federal está ampliando o número de vagas, foi oficializado o curso de medicina, no futuro Campus da Univasf em Paulo Afonso. Esse importante passo se deu por conta da união do poder federal, estadual, municipal e da CHESF.[29][30][31]

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

Ensino público estadual[editar | editar código-fonte]

  • UNEB (Universidade do Estado da Bahia)[22]

Ensino público federal[editar | editar código-fonte]

  • IFBA (Instituto Federal da Bahia)[32]
  • UNIVASF (Universidade Federal do Vale do São Francisco)[33]

Ensino privado[editar | editar código-fonte]

  • FASETE (Faculdade Sete de Setembro)[34]

Ensino Privado EAD[editar | editar código-fonte]

  • Universidade de Santo Amaro (UNISA)
  • Universidade Norte do Paraná (UNOPAR)
  • Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi)(FASETE EAD)

Turismo[editar | editar código-fonte]

Principais pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Balneário Prainha
  • Cachoeira de Paulo Afonso
  • Cânions do São Francisco
  • Complexo hidroelétrico
  • Igreja São Francisco
  • Monumento o Touro e a Sucuri
  • Monumento dos Trabalhadores
  • Museu Casa de Maria Bonita
  • Parque Belvedere
  • Praça das Mangueiras
  • Ponte metálica
  • Teleférico
  • Parque de exposições

O turismo de Paulo Afonso tem aumento em eventos como o Moto energia e o São João da região. A cidade também recebe turistas pelo fato de possuir belezas naturais como as cachoeiras e a reserva ambiental Raso da Catarina (onde encontram-se espécies ameaçadas de extinção como a arara-azul-de-lear e a pomba-avoante), além de localizar o complexo de usinas da Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco), contendo quatro grandes usinas PA I, PA II, PA III e PA IV e Apolônio Sales (Moxotó), além da pequena usina Piloto - que faz Paulo Afonso ser conhecido como a "Capital da Energia". Também é um grande sítio arqueológico junto com Xingó que, pelo fato de não possuir grande infraestrutura hoteleira, a maioria dos turistas se hospedam em Paulo Afonso.[35]

Paulo Afonso para outras capitais está apenas a 3 horas de Aracaju e Maceió. Além de estar equidistante de Salvador e Recife, ambas a cerca de 500 quilômetros. Além de tudo, Paulo Afonso é conhecida como a capital brasileira dos esportes radicais,[36] o que faz vários eventos radicais ocorrerem ao longo do ano, mas seu ponto alto de turismo é a Copa Vela. E em seu carnaval fora de época, a cidade fica lotada e toda uma estrutura é feita. O evento, que nasceu da prática de esportes náuticos como a vela e atualmente contém outras modalidades náuticas, dura em média de 3 a 6 dias e normalmente, por ser fora de época, a maioria dos grandes cantores ficam à disposição para se apresentar no evento. Atualmente o ministério do Turismo adicionou Paulo Afonso como um das 115 cidades consideradas roteiros turísticos do Brasil.

Transporte aeroportuário[editar | editar código-fonte]

O sistema de transporte aeroviário de Paulo Afonso dispõe do Aeroporto de Paulo Afonso - com pista de 1800 m de extensão por 45 m de largura - o serviço de infraestrutura para o apoio e a segurança das aeronaves. Podendo operar com tráfegos regular e não regular. Em 04 de novembro de 1980 foi transferido para Infraero empresa que hoje administra o aeroporto, o mesmo fica localizado na BR-110, KM 03, distante do centro 5 quilômetros.[37]

Saúde[editar | editar código-fonte]

O sistema de saúde pública na região de Paulo Afonso, assim como em boa parte da Bahia deixa a desejar, apesar de ser a cidade responsável pelo a microrregião do baixo São Francisco e pela 10ªDIRES,[38] a cidade não oferece em seus dois hospitais Hospital Nair Alves de Souza (HNAS) e o Hospital Municipal de Paulo Afonso (HMPA) uma [[unidade de terapia intensiva]] (UTI),[39] tendo em vista que Paulo Afonso possui 108.396 habitantes segundo o censo 2010 e sua região possui 167.144 habitantes, segundo IBGE censo 2010, sem contar com outros municípios que não fazem parte do Território de Itaparica e mesmo assim Paulo Afonso dá suporte.[40]

Está em debate sobre a organização da demanda de pacientes de outras regiões e de outros estados que estão sendo direcionados para Paulo Afonso-BA, essa organização busca equilibrar o atendimento de saúde pública.[41]

O Lacen[42] está localizado no centro, na Avenida Getúlio Vargas, o Lacen é um conjunto das três esferas governamentais, o poder municipal, estadual e federal, atenderá a região de Paulo Afonso que compreende as cidades de Paulo Afonso, Abaré, Chorrochó, Rodelas, Macururé, Glória, Jeremoabo, Pedro Alexandre e Santa Brígida.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Área da unidade territorial [2017] - 1.545,192 km²». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 12 de setembro de 2018 
  3. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 12 de setembro de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2017. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de Paulo Afonso - BA». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 4 de março de 2014 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 à 2016». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 15 de dezembro de 2018 
  7. «Museu Casa de Maria Bonita - Conhecendo Museus». Conhecendo Museus. 27 de junho de 2016 
  8. «Historia de Paulo Afonso». www.achetudoeregiao.com.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  9. «Especial: A História de Paulo Afonso, 53 anos». Folha Sertaneja Online. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  10. [1]
  11. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Paulo Afonso». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 10 de abril de 2014 
  12. a b «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 6 de maio de 2018 
  13. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Paulo Afonso». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 10 de abril de 2014 
  14. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Paulo Afonso». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 10 de abril de 2014 
  15. «BDMEP - série histórica - dados horários - umidade relativa (%) - Paulo Afonso». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 10 de abril de 2014 
  16. "Câmera de Vereadores"
  17. a b [2]
  18. «IBGE | Cidades | Bahia | Paulo Afonso | | | Cartogramas». www.ibge.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  19. "IBGE"
  20. «IBGE | Cidades | Bahia | Paulo Afonso | - Gráfico». www.ibge.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  21. «CEP de Paulo Afonso». Brasilão. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  22. a b «Paulo Afonso - Bahia - Região dos Lagos - EcoViagem». ecoviagem.uol.com.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  23. «PIB (2008)» (PDF) 
  24. "Valor «adicional bruto da indústria"» 
  25. "Polícia Civil"
  26. "Bombeiros"
  27. "1ªC. de infantaria"
  28. «DPRF». www.dprf.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  29. «MEC autoriza mais 1.615 vagas em Medicina nas universidades federais - Educação - Estadão» 
  30. «MEC autoriza a criação de 1.615 vagas para o curso de Medicina em universidades federais». Guia do Estudante - Abril. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  31. [3]
  32. [4]
  33. «Detalhe Notícia». www.univasf.edu.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  34. «FASETE - Faculdade Sete de Setembro - Paulo Afonso - Bahia». FASETE. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  35. «Bahia » Paulo Afonso». www.bahia.com.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  36. "Capital dos esportes radicais"
  37. «Aeroporto de Paulo Afonso». www.infraero.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  38. «"10ª DIRES" | DIS - Municípios e Respectivas DIRES - Letra P». www1.saude.ba.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  39. Falta de UTI dados ministério da saúde
  40. «Mapa da Bahia». www1.saude.ba.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  41. «Página não encontrada – SESAU – Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas». www.saude.al.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 
  42. «Notícias - Secom - Secretaria de Comunicação Social - Governo do Estado da Bahia». www.comunicacao.ba.gov.br. Consultado em 22 de setembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]