Saúde (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saúde
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Saúde
Bandeira
Brasão de armas de Saúde
Brasão de armas
Hino
Gentílico saudense
Localização
Localização de Saúde na Bahia
Localização de Saúde na Bahia
Saúde está localizado em: Brasil
Saúde
Localização de Saúde no Brasil
Mapa de Saúde
Coordenadas 10° 56' 27" S 40° 25' 04" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Caém, Jacobina, Caldeirão Grande, Ponto Novo, Pindobaçu, Mirangaba
Distância até a capital 353 km
História
Fundação 1933 (89 anos)
Administração
Prefeito(a) Auciclei Costa Rodrigues (PDT, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 509,008 km²
População total (IBGE/2022[2] dados reais do IBGE) 19,898 hab.
Densidade 27,7 hab./km²
Clima Semi-tropical e invernal
Altitude 542 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2022 [3]) 0,600 médio
PIB (IBGE/2022[4]) R$ 40,981,955 milhão
PIB per capita (IBGE/2021[4]) R$ 3 543,01
Sítio pmsaude.ba.gov.br (Prefeitura)

Saúde é um município pertencente ao estado brasileiro da Bahia, localizado na microrregião de Jacobina, possui uma área total de 500 km², com população de 19,898 habitantes (IBGE, est. 2022) e densidade demográfica de 27,7 hab/km². O Código Postal da cidade é 44740-000, o DDD é 074. As pessoas naturais de Saúde são denominadas "saudenses".

História[editar | editar código-fonte]

A história da cidade remonta a primitivos assentamentos bandeirantes erguidos em uma área habitada originalmente por índios da tribo dos Paiaiás. Esses assentamentos converteram-se mais tarde em um povoado sob administração de Jacobina, denominado Arraial de Nossa Senhora da Saúde. O nome "Saúde" deveu-se ao fato de que a região onde se ergueram os primeiros assentamentos era considerada benéfica para a saúde dos que ali pernoitavam. Em 1914, Saúde foi alçada à categoria de vila. Essa situação perdurou até 1931, quando perdeu a autonomia, assim permanecendo até 1933, quando obteve definitivamente a emancipação como município.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

  • Rádio Paiaiá FM - 101.9 MHz
  • Saúde FM - 104.9 MHz (Faixa comunitária) de Saúde

Geografia[editar | editar código-fonte]

Distante 353 km da capital do Estado, Salvador, e a ela conectada por via rodoviária, Saúde está situada numa região de relevo montanhoso. A sede do município possui uma altitude de 542 m e está localizada ao pé da serra de Santa Cruz. Os principais rios da região são o Paiaiá, o Rio das Pedras e o Itapicuru, que separa Saúde do município de Pindobaçu, ao norte. Os principais distritos do município de Saúde são Jenipapo e Paulista.

Distritos e Povoados[editar | editar código-fonte]

  • Canabrava
  • Água Branca
  • Jenipapo
  • Paulista
  • Paiaiá
  • Quebra Coco
  • Serra Branca
  • Várzea da Cutia
  • São Sebastião
  • Maria Salona
  • Corta Mueca
  • Mariquita
  • Rio das Pedras
  • Pilões
  • Riacho
  • Paiáiá
  • Itacurubi
  • Itapicuru
  • Campo do meio

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é baseada na agropecuária (importantes rebanhos de equinos e asininos) e no extrativismo vegetal (principalmente ouricuri) e mineral (alguns garimpos de ouro e pedras preciosas). Na fronteira com o município de Pindobaçu, há uma grande barragem construída recentemente sobre o Rio Itapicuru, proporcionando água para irrigação das propriedades rurais vizinhas. A cidade possui uma agência do Banco Bradesco e uma do Banco do Brasil, pequenos estabelecimentos de comércio local, Duas emissoras de radio sendo uma comunitária, a Saúde FM 104.9 MHz e uma rádio Comercial de maior abrangência , a Rádio Paiáiá FM 101.9 MHz.

O incipiente turismo é centrado basicamente em torno das 12 cachoeiras, em especial a do Paiaiá e do Paulista. Recentemente foram encontradas ruínas da igreja das Figuras (São Miguel Arcanjo). Esta Igreja que hoje se encontra em ruínas foi fundada em 1755 por Romão Gramacho e fica localizada no alto da Serra das Figuras, constitui-se um dos marcos divisórios entre os municípios de Jacobina,Caém,Saúde e Mirangaba.

São poucos os registros sobre a história da Igreja de são Miguel Arcanjo( Igreja das Figuras) sabe-se que foi construída a mando de seu fundador Romão Gramacho para cumprir uma promessa por graça alcançada. Fala-se que o senhor Romão Gramacho era garimpeiro explorava ouro na região populares mais antigos que conheceram a igreja quando ainda estava de pé contam que o interior da igreja era completamente coberto de ouro desde os portões a santos etc. Maior parte dos registros encontra-se na memoria deste povo muitos hoje já com mais de 80 anos.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Padroeira da cidade é Nossa Senhora da Saúde, cuja festa anual é comemorada no dia 8 de setembro. Há diversas manifestações populares durante as festas juninas, especialmente no São João. O São João de Saúde é um dos poucos que ainda preserva a tradição nordestina com apresentação de banda de pífaro, sanfoneiros, concurso de quadrilhas, brincadeiras de pau de sebo, corrida de saco, gincanas, escolha da rainha do milho, corrida de argolinha e uma variedade de comidas e bebidas típicas da época. Com uma estrutura de palco fixo na praça os grupos musicais se apresentam para a população e para os turistas que vistam o município no mês de junho numa festa harmoniosa resgatando os costumes do povo sertanejo.

Moradores da cidade preservam ainda o velho costume de acender fogueiras em frente a suas casas na noite de São João, repartir comidas típicas produzidas para a festa e compartilhar de um bom quentão já que as noites do mês de junho no município costumam ser de muito frio. Religiões de matriz africanas como a umbanda e o candomblé também fazem parte da teia cultural da cidade, onde a fé é um dos principais pilares da cultura saudense.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. «Censo Populacional 2020». Censo Populacional 2021. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2021. Consultado em 11 de dezembro de 2021 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018-2022». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2021