Canarana (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Canarana
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Canarana
Bandeira
Brasão de armas de Canarana
Brasão de armas
Hino
Lema Cidade de toda gente
Gentílico canaranense
Localização
Localização de Canarana na Bahia
Localização de Canarana na Bahia
Canarana está localizado em: Brasil
Canarana
Localização de Canarana no Brasil
Mapa de Canarana
Coordenadas 11° 41' 06" S 41° 46' 08" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Barro Alto, Ibititá, Lapão, América Dourada e Cafarnaum
Distância até a capital 523 km
História
Fundação Final do século XVIII
Emancipação 16 de julho de 1962 (57 anos)
Aniversário 16 de julho
Administração
Prefeito(a) Ezenivaldo Alves Dourado (PR, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 617,991 km²
População total (IBGE/2013[2]) 26 006 hab.
Densidade 42,08 hab./km²
Clima Tropical (Semi-Árido)
Altitude 691 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 44890-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [3]) 0,587 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 69 122,837 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 2 704,65
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa Senhora do Patrocínio
www.canarana.ba.gov.br (Prefeitura)

Canarana é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se a uma latitude 11º41'05" sul e a uma longitude 41º46'08" oeste, estando a uma altitude de 691 metros. Possui uma área de 657,365 km².

História[editar | editar código-fonte]

Canabrava do Miranda[editar | editar código-fonte]

Até o início do século XIX, o território de Canarana, habitado por índios Pataxós, era de propriedade do Conde da Ponte. Com o avanço da ocupação do oeste do Estado da Bahia, estas terras foram adquiridas pela família Miranda, onde estabeleceram a Fazenda Canabrava. Canabrava em linguagem indígena é "cana falsa", uma vegetação vasta às margens do Rio Vereda Romão Gramacho.

Por ser área de rota entre os municípios de Xique-Xique, Morro do Chapéu e Seabra, formou-se um povoado nas proximidades da fazenda dedicado a agricultura de feijão, milho, mamona e mandioca, além da pecuária de bovinos, caprinos, suínos e aves.

Canarana[editar | editar código-fonte]

Com o desenvolvimento acelerado, em 1890, a Fazenda Canabrava recebeu tornou-se distrito do município de Morro do Chapéu, sob o nome de Canabrava do Miranda. Em 30 de novembro de 1938, pelo Decreto Estadual nº 11.089, o distrito passou a ser chamado de Miranda e em 1º de junho de 1944 pelo Decreto Estadual nº 12.978, pela ultima vez seu nome seria definitivamente alterado para Canarana. Em botânica, Canarana é um nome de várias gramíneas que crescem às margens dos rios.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

Após incessante luta dos senhores Antenor Dourado Lima, Jonas Marques Pereira, Jose Martins Filho, Vital Guanais da Silva Dourado, Guilherme Pereira de Novaes, entre outros, após terem gastos a importância de aproximadamente Cr$ 20.000,00 (vinte mil cruzeiros), foi realizado um plebiscito em 22 de novembro de 1962 para apreciação popular, onde 3.352 habitantes foram às urnas e com 1.679 votos a favor da emancipação, 1.616 votos contra, 41 votos nulos e 16 votos em branco. Canarana é emancipada por meio da Lei Estadual nº 1.715 de 16 de julho de 1962. O Distrito de Canarana foi elevado à município, formado pelos pelos distritos de Canarana, Salobro, Lagoa do Boi e Barro Alto.

Primeira eleição[editar | editar código-fonte]

A primeira disputa eleitoral de Canarana foi realizada em 4 de outubro de 1962, pelo voto direto entre os candidatos Antenor Dourado Lima e Manoel Messias Gunes de Andrade. Manoel Gunes entrou para história do município como sendo o primeiro prefeito de Canarana.

Prefeitos de Canarana[editar | editar código-fonte]

  • Manoel Messias Gunes de Andrade 1963-1967
  • Odacir Costa dos Santos 1967-1971
  • Manoel Ferreira de Paula 1971-1973
  • Odacir Costa dos Santos 1973-1977
  • João Pedro de Souza Santos 1977-1983
  • Videval Seixas Dourado (PFL)1983-1988
  • Cláudio Felix de Sá (PP)1989-1992
  • Videval Seixas Dourado (PFL)1993-1996
  • Eráclio de Souza Santos (PDT) 1997-2000
  • Antonio Costa dos Santos (PL)2001-2004
  • Ezenivaldo Alves Dourado (PMDB) 2004-2008
  • Ezenivaldo Alves Dourado (PMDB) 2009-2012
  • Reinan Oliveira (PT) 2013-2016
  • Ezenivaldo Alves Dourado (PR) 2017-2020

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

Caracterizada como região semi-árida, com chuvas de primavera-verão mal distribuídas com precipitação media anuais de 600mm, temperatura anuais variando em media entre 22C° e 26C°.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Caracteriza-se por um Platô cárstico, Com terrenos planos e ondulados, apresentando dolinas, sobressaindo-se alguns morros residuais, podendo encontrar algumas cavernas devido a formação do relevo cárstico. Em alguns lugares pode ocorre um afloramento de rochas calcárias.

Solos[editar | editar código-fonte]

Os solos apresentam alta fertilidade natural, são bem drenados, moderadamente profundo, geralmente areno-argilosos, franco argiloso a argiloso, podendo aparece pontos ou ate mesmo todo um horizonte esbranquiçados (calcário) em seu perfil. Segundo a classificação da Embrapa(http://www.uep.cnps.embrapa.br/solos/ba/canarana.jpg), o município é constituído de solos de ordem cambissolos e latossolos.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação do Município de Canarana apresenta uma vasta diversidade. Sofrendo influencia do clima (semi-árido) e do solo, sendo a Caatinga o bioma predominante em todo o municio, e em toda região, podendo ser arbórea, arbustiva ou herbácea, aberta ou mais densa, podem ou não apresentar palmeiras, muitas plantas apresentam características caducifólias (caducas ou decíduas), característica essa que faz com que durante os períodos de seca elas perdem sua folhas), são em sua maioria xerófitas, tendo como as principais espécies: barriguda (Chorisia glaziovii), xiquexique (Pilosocereus gounellei), mandacaru (Cereus jamacaru), umburana (Amburana cearensis), umbuzeiros (Spondias tuberosa), Jurema (Mimosa tenuiflora), Baraúna (Schinopsis brasiliensis), nas margens do rio pode ocorrer varias gramíneas e ciperáceas, dentre varias outras de valores inestimáveis para a biodiversidade local.

Jornais[editar | editar código-fonte]

O primeiro jornal a circular no município de Canarana foi o Informativo Novo Horizonte no ano de 1985, circulando apenas 2 edições. No ano de 1998 foi lançado o Jornal Nossa Folha no Distrito de Salobro, circulando somente 6 edições mensais.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/populacao_por_municipio.shtm «Censo Populacional 2010» Verifique valor |url= (ajuda) (PDF). Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 24 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Canarana (Bahia)