Ribeira do Pombal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ribeira do Pombal
"Pombal"
Bandeira indisponível
Brasão de Ribeira do Pombal
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Aniversário 19 de setembro
Fundação 1667
Emancipação 1933
Gentílico pombalense
Prefeito(a) Ricardo Maia Chaves de Souza (PSD)
(2017–2020)
Localização
Localização de Ribeira do Pombal
Localização de Ribeira do Pombal na Bahia
Ribeira do Pombal está localizado em: Brasil
Ribeira do Pombal
Localização de Ribeira do Pombal no Brasil
10° 50' 02" S 38° 32' 09" O10° 50' 02" S 38° 32' 09" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Ribeira do Pombal IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Tucano, Cícero Dantas, Ribeira do Amparo, Heliópolis, Quijingue e Banzaê
Distância até a capital 271 km
Características geográficas
Área 762,212 km² [2]
População 54 773 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 71,86 hab./km²
Clima Semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,601 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 217 734,825 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 441,39 IBGE/2008[5]
Página oficial

Ribeira do Pombal é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2016 é de 54.773 habitantes.

Nomenclatura[editar | editar código-fonte]

O município de Ribeira do Pombal tem o seu nome em homenagem ao primeiro-ministro do reino de Portugal, Sebastião José de Carvalho e Melo, popularmente conhecido como Marquês de Pombal.

História[editar | editar código-fonte]

O município teve sua origem a partir de uma aldeia de índios quiriris.

Em 1667 os Jesuítas o padre João de Barros e o padre Jacob Roland chegaram ao local com o intuito de catequizar os índios e acabaram erguendo uma capela com o nome de Santa Teresa. Com a devoção à santa e devido a uma vasta vegetação bastante peculiar na região, o município passa inicialmente a se chamar Canabrava de Santa Teresa de Jesus dos Quiriris.

Em 1758 o vice-rei d. Marcos de Noronha e Brito, 6º conde dos Arcos, sendo parente por afinidade do citado primeiro-ministro do reino, decide por carta régia do dia 8 de maio do mesmo ano, o fim de todos os aldeamentos. Em decorrência disso o local é elevado a vila e sede de conselho com a designação de Pombal. No mesmo ano a vila passa a ser município.

Em 1760 a aldeia conhecida como Saco dos Morcegos, que pertencia ao município de Pombal, passa a ser uma vila e mais tarde município de Mirandela, porém acaba perdendo sua condição e volta a ser anexada a Ribeira do Pombal.

Ribeira do Pombal chegou a ser integrado ao município de Cipó em 1931 como uma sub prefeitura, mas foi restaurado em 1933 com a designação atual, que foi obtida pelo decreto da Lei Federal nº 311, art 10º, o qual determinava que não poderia haver mais de um município ou vila no país com a mesma denominação. Com isto Pombal passa a se chamar oficialmente Ribeira do Pombal 1938.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Site de Notícias[editar | editar código-fonte]

canabravafm.com.br

ribeiradopombal.com

pombalalerta.com.br

Emissoras de Rádio[editar | editar código-fonte]

canabravafm.com.br

radiopovo.com.br

pombalfm.com.br

Capital Nacional do Mel[editar | editar código-fonte]

RIBEIRA DO POMBAL É O MAIOR PRODUTOR DE MEL DO PAÍS, APONTA IBGE

 O título simbólico de Capital Baiana do Mel vai precisar ser corrigido. Isso porque um estudo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistas (IBGE) nesta quarta-feira (18/11), aponta o município de Ribeira do Pombal/BA como o maior produtor de mel não só da Bahia, mas também de todo o Brasil.

 De acordo com o IBGE, a cidade produziu 450 toneladas de mel durante o ano de 2014. Isto significa um aumento de 50% em relação ao ano anterior, quando o município apareceu no sétimo lugar do país e segundo estadual com uma produção de 300 toneladas. Botucatu/SP e Içara/SC completam o pódio nacional.

A cidade, inclusive, é sede da Central de Cooperativas dos Apicultores da Bahia (Cecoapi), que chega a reunir mais de dois mil apicultores. Ela fica localizada na avenida Evência Brito, em frente ao Terminal Rodoviário.

A pesquisa anual, intitulada de Produção Pecuária Municipal, mostrou também que houve um crescimento na produção de mel no país de 8,8% em relação ao obtido em 2013. A Região Sul segue como a principal produtora, com 42,8% do total nacional, seguida pelas Regiões Nordeste (28,2%), Sudeste (21,9%), Centro-Oeste (4,4%) e Norte (2,7%).

Produção de mel na Bahia

O Estado da Bahia perdeu uma posição no ranking nacional (caiu do 6º para o 7º) e a liderança na região Nordeste ao ser ultrapassado pelo Piauí. Entretanto, ostenta um crescimento forte de 53% em produção e quase 80% em valor em relação ao ano de 2013. As 3.148 toneladas de mel geraram 21,5 milhões de reais e representam um recorde histórico para o Estado.

No ranking estadual, a liderança de Ribeira do Pombal é seguida por Jeremoabo (380 toneladas) e Teixeira de Freitas (130 toneladas). Outros municípios do território do Semiárido Nordeste II também se destacaram, a exemplo de Banzaê (105 toneladas), Euclides da Cunha e Heliópolis (70 toneladas), com o quinto, oitavo e nono lugar, respectivamente.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (04 out. 2015). «Área territorial oficial». Consultado em 4 Out. 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Estimativa Populacinal 2016». Estimativa Populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 01 de julho de 2016. Consultado em 15 de junho de 2017  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 11 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010