Entre Rios (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Entre Rios
  Município do Brasil  
Porto do Sauípe, litoral do município.
Porto do Sauípe, litoral do município.
Símbolos
Bandeira de Entre Rios
Bandeira
Brasão de armas de Entre Rios
Brasão de armas
Hino
Lema Rivi Laetificant
"Corrente alegre"
Gentílico entrerriense[1][2]
Localização
Localização de Entre Rios na Bahia
Localização de Entre Rios na Bahia
Mapa de Entre Rios
Coordenadas 11° 56' 31" S 38° 05' 02" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Esplanada, Cardeal da Silva, Alagoinhas, Inhambupe, Aporá, Itanagra, Araças e Mata de São João
Distância até a capital 128 km
História
Fundação 3 de abril de 1872 (149 anos)
Aniversário 3 de abril
Administração
Prefeito(a) Manoelito Argolo dos Santos Júnior (Solidariedade, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [3] 1 215,296 km²
População total (IBGE/2013[4]) 42 640 hab.
Densidade 35,1 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 162 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 48180-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,615 médio
PIB (IBGE/2018[6]) R$ 558 483,66 mil
PIB per capita (IBGE/2018[6]) R$ 13 407,68
Sítio entrerios.ba.gov.br (Prefeitura)
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Entre Rios (Bahia)

Entre Rios é um município do estado da Bahia, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 11º56'31" sul e a uma longitude 38º05'04" oeste, estando a uma altitude de 162 metros. Criado oficialmente em 3 de abril de 1872 pela Lei 1 178, Entre Rios possui uma área territorial de 1.187,766 quilômetros quadrados e densidade demográfica, segundo dados de 2020 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de 35,09 habitantes/quilômetro quadrado.[7] Entre Rios faz divisa com os seguintes municípios: Esplanada, Cardeal da Silva, Alagoinhas, Inhambupe, Aporá, Itanagra, Araçás e Mata de São João.

O município é formado pelos distritos administrativos de Entre Rios (sede), Ibatuí, e Subaúma, essa divisão é feita por lei Estadual. Além dos distritos, o município conta com diversos povoados, entre eles Sítio do Meio, Lagoa Redonda, Calçada Nova, Rio Preto, Prata, Capianga, Rio da Caatinga, Pedros, Cincos Estradas, Serraria, Cabuçu, Imbé, Catana I e II, Pedras, Malhadinha, Pimenteira, entre outros e ainda conta com os povoados que ficam nas praias, que são Subaúma, Massarandupió e Porto de Sauípe. Sua população estimada para 2021 era de 41.901 habitantes, sendo o 58º em população na Bahia e o 762º no Brasil, e assim possuindo uma densidade demográfica em 32,81 hab/km², sendo que a sua taxa de crescimento populacional foi de 0,54% ao ano entre 2000 e 2007, menor que a estadual (1,13%) e abaixo da taxa nacional (1,21%).[7] Aquele que nasce no município é chamado de entrerriense.[7]

História[editar | editar código-fonte]

O território do munícipio de Entre Rios teve como primeiros habitantes os indígenas tapuias. Por volta do século XVI, ocorreu a primeira exploração das terras, por Bandeirantes, depois de um sistema português, o Sesmaria, autorizar a Casa da Torre de Garcia D'Ávila.[8]

A ocupação da região do litoral norte da Bahia, no geral, começou com a chegada de Garcia D'Ávila no período que corresponde a metade do século XVI (acima citado), que recebeu de Tomé de Souza uma porção de terra entre os campos que correspondia hoje aos munícipios de Mata de São João e de Jandaíra — foi onde deu início a ocupação e conquista dos povos portugueses da terra, subjugando os povos indígenas (tupis, tupinambás, massarandupiós, etc.), que ali já residiam, ao trabalho escravo.[8]

Foi durante este tempo que Garcia D'Ávila construiu a Casa da Torre, local onde ficavam os seus descendentes, escravos, empregados e outras pessoas associadas e ele.[8]

Assim no avanço das conquistas eles percorreram o ambiente dos rios Joanes, Inhambupe e Itapicuru em busca de riquezas. Já em terra entrerriense, começaram a dominar a região com práticas de agricultura e criação de gado.[9]

Nesse mesma época, foi criado um porto na localidade hoje conhecida como Porto de Sauípe nas margens do rio Sauípe, para o transporte de materiais.[8]

Os novos colonos ao verem que as terras eram férteis sentiram-se atraídos e se estabeleceram por ali formando o Povoado de Nossa Senhora dos Prazeres.[9]

A partir daí edificaram uma capela, transformada em uma freguesia em 1848, com a denominação de Nossa Senhora dos Prazeres de Entre Rios, desmembrada da Freguesia do Divino Espírito Santo de Inhambupe. No ano de 1872, o povoado, elevado à vila, teve o nome simplificado para Entre Rios.[9]

O nome pelo qual hoje a então cidade é conhecida se deveu ao fato de o seu território estar localizado entre os rios de Inhambupe e Subaúma, tendo conservado, portanto, o mesmo nome do antigo povoado.[9]

Formação Administrativa: Distrito criado com a denominação de Entre Rios, pela Lei Provincial nº 308, de 01-07-1848, subordinado ao Município de Inhambupe.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Entre Rios, pela Lei Provincial nº 1178, de 03-04-1872, desmembrado de Inhambupe. Sede no antigo distrito de Entre Rios. Constituído do distrito sede. Instalado em 23-08-1873.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído do distrito sede.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 5 distritos: Entre Rios, Cambuís, Capela da Conceição, Divina Pastora e Subaúna

Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

Pelo Decreto Estadual nº 11089, de 30-11-1938, o distrito de Conceição (ex-Capela da Conceição) passou a chamar-se Pondé.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 5 distritos: Entre Rios, Cambuís, Divina Pastora, Pondé (ex-Conceição) e Subaúma.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 141, de 31-12-1943, retificado pelo Decreto Estadual nº 12978, de 01-06-1944, o Distrito de Divina Pastora tomou a denominação de Pastora.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 5 distritos: Entre Rios, Cambuís, Pastora (ex-Divina Pastora), Pondé e Subaúma.

Pela Lei Estadual nº 628, de 30-12-1953, o distrito de Pondé tomou o nome de Ibatuí.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 5 distritos: Entre Rios, Cambuís, Ibatuí (ex-Pondé), Pastora e Subaúma.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.

Pela Lei Estadual nº 1765, de 30-07-1962, foi desmembrado do Município de Entre Rios, o Distrito de Pastora. Elevado à categoria de município com a denominação de Cardeal da Silva.

Pela mesma lei acima citada o Distrito de Cambuís foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do Município de Cardeal da Silva.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 3 distritos: Entre Rios, Ibatuí e Subaúma.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O munícipio de Entre Rios faz parte do Litoral Norte do estado da Bahia, junto com as cidades de Lauro de Freitas, Camaçari, Mata de São João, Esplanada, Conde e Jandaíra (Bahia) — apresentando cerca de 200 km de litoral.[10]

A fim de proteger biomas, foi aprovada a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) - Litoral Norte, por meio da resolução de nº 1.040 em 21 de fevereiro de 1995. A APA abrange porções territoriais dos municípios de Mata de São João, Entre Rios, Esplanada, Conde e Jandaíra, apresentando uma faixa litorânea com 10 km de largura e 142 km de extensão, ao longo da Linha Verde (Bahia).[11] O objetivo foi conservar e preservar os remanescentes da Mata Atlântica e ecossistemas associados como os  manguezaisrestingas, áreas estuarinas, dunas  e  lagoas.[12]

Segundo classificação utilizada pelo IBGE, o munícipio faz parte da microrregião de Entre Rios, tem como região imediata a cidade de Alagoinhas, e como região intermediária a capital Salvador. Tem como região de influência Alagoinhas, e o seu território pertence ao Sistema Costeiro-Marinho. Seu bioma é a Mata Atlântica.[7]

A área do município apresenta em seu território bom remanescente de Mata Atlântica. A biodiversidade é grande, e há, por exemplo, um remanescente de Floresta Estacional Semidecidual no local, com mais de 190 espécies registradas. [13]

Clima[editar | editar código-fonte]

A cidade de Entre Rios possui um Clima tropical com inverno chuvoso.[14] Segundo Classificação climática de Köppen-Geiger, possui o tipo climático As`, um clima quente com estação seca no verão.[15]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Entre Rios está na posição 58º das cidades do Estado da Bahia e 762º das cidades do Brasil, com relação ao número de pessoas que residem em seu território no Censo de 2010 do IBGE, 39.872 habitantes; em 2020, a estimativa foi de 41.901 pessoas. Na Região Geográfica Imediata, ela está na 2º posição.[7]

Densidade demográfica[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a cidade teve uma Densidade populacional de 32,81 habitantes por quilômetro quadrado (32,81 hab/km²).[7]

Cor ou Raça[editar | editar código-fonte]

A população da cidade em 2010, segundo dados de auto declaração ao IBGE, foi de 65,3% de Pardos, 19,9% de Pretos, 12,7% de Brancos, 1,9% de Amarelos, e 0,06% de Indígenas.[16]

Religião[editar | editar código-fonte]

A população em 2010 era composta por 59,2% da Religião Católica Apostólica Romana,18,4% de Evangélicos, 17,7% sem Religião, 2,4% de Testemunhas de Jeová, 1,3% que se definiam como de outras religiosidades cristãs, 0,6% de religião Espírita; e em um percentual bem menor: 0,2% como de religião não determinada e de múltiplo pertencimento, 0,1% que se definiam como da religião Umbanda e Candomblé, 0,1% de Candomblé, 0,02% de Tradições Esotéricas, 0,02% da religião Católica Apostólica Brasileira, e 0,02% da Católica ortodoxa.[16]

Índice de Desenvolvimento Humano[editar | editar código-fonte]

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município foi de 0,615 no ano de 2010, configurando-o na centésima posição (100º) no estado da Bahia referente as cidade com os maiores índices.[17]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Cultura de Entre Rios é bastante diversificada, apresentando festas e eventos que existem há anos, formando tradições seculares. Podemos citar como festas populares e tradições, as Lavagem das Praias, de Porto de Sauípe, Subaúma e Massarandupió, também o São João na sede de Entre Rios, festa da Barquinha de Sítio do Meio[18] e Lagoa Redonda, Festas das Padroeiras dos povoados. Há também uma cultura de realização de Cavalgadas por todo o município e região. Possui uma boa culinária, o prato típico mais conhecido é o Arrumadinho, facilmente encontrado em restaurantes da região.[19]

Artesanato[editar | editar código-fonte]

O Artesanato tem um importante papel na Cultura da cidade, especificamente o Artesanato do povoado de Porto de Sauípe. O Trançado de Piaçava no povoado envolve um contato dos moradores artesãos com o meio ambiente (que compõem a Associação dos Artesãos de Porto de Sauípe (AAPS))[20], e envolve coleta de matérias-primas da região, o uso de corantes naturais e criatividade nas formas e desenhos do artesanato. Desse processo eles criam bolsas, chapéus, e muitos outros produtos de forma natural.[21] Para ser feito esses produtos artesanais, os artesãos precisam colher a piaçaveira (Attalea funifera), que é um tipo de palmeira nativa do estado da Bahia.[20]

O Artesanato de palha tem sua origem pelos índios tupinámbas; e vem se destacando pelas suas características.[20] Um cesto feito por artesãos da localidade se fez presente em uma Casa em Uxua (em Trancoso), um dos melhores resorts da América do Sul, que virou notícia na Casa Vogue.[22]

Feriados[editar | editar código-fonte]

Em Entre Rios, há cinco feriados municipais, que são: o Dia Internacional da Mulher, no dia 08 de março; o Aniversário da Cidade, que é no dia 03 de abril; o São João, no dia 24 de junho; o Dia da Padroeira – Nossa Senhora dos Prazeres, padroeira municipal, no dia dia 15 de agosto; e o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro.[23]

Economia[editar | editar código-fonte]

Entre Rios (BA) teve um PIB avaliado em R$558.483,66 no ano de 2018, e está em octogésimo segundo, 82º posição, referente a classificação de municípios com maior PIB no estado da Bahia, segundo dados do IBGE. E o seu PIB per capita foi estimado em R$13.407,68, no mesmo ano de 2018. O setor que mais predominou na economia municipal foi o setor de comércio e serviços, seguido do setor público, do setor industrial e do setor de Agropecuária.[24]

Na região do município há uma forte produção de mudas de eucalipto, empregando vários trabalhadores.[25]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Entre Rios recebe muitos turistas devido as suas belíssimas praias, entre elas a praia de Porto de Sauipe, a Praia de Massarandupió, e a Praia de Subaúma (Entre Rios).[26]

A Praia das Dunas, Massarandupió, é umas das nove praias de naturismo oficial do Brasil.[26] A Praia é considerada uma das melhores praias da Região Nordeste do Brasil, e é altamente recomendada como opção turística por veículos de mídia.[27]

Praia de Subauma, localizada no munícipio de Entre Rios (BA)

A Praia de Subauma é outra praia com grande beleza natural do munícipio. A Praia, que fica localizada no povoado de mesmo nome, é grande destino para realização de casamento; do final de 2018 até julho de 2019, foram fechados 17 contratos de casamentos (dados coletados de apenas 1 clube), sendo 95% de pessoas que vieram de outros estados do Brasil, colocando o lugar como uma das ótimas opções para wedding destination — termo em inglês para destinos de casamento fora do local de residência do casal.[28] Em 2019, um pouco da região da praia foi atingida por manchas de óleo, junto com outra partes do litoral baiano, assim como na praia de Porto de Sauipe.[29][30][31]

Praia de Porto de Sauipe, em Entre Rios (BA)

Praia de Porto de Sauipe é outro destaque a nível estadual e até nacional, ficando localizada no povoado Porto de Sauipe. A Mata de Porto de Sauipe, inclusive, é lugar de observação de pássaros por pesquisadores e entusiastas, ganhando grande importância na identificação e pesquisa de espécies de aves — atraindo os olhares de turistas.[32]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Entre Rios está classificado na 370º posição no estado da Bahia referente à taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade no censo de 2010, uma taxa de 95,6%.[7]

O IDEB, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, do município em 2019 referente aos anos iniciais do Ensino Fundamental da Educação Pública na esfera de escola municipal (não há opção de escola na esfera estadual nos anos iniciais no munícipio) é de 4,1 — número abaixo da média nacional para a mesma delimitação, que é de 5,7; nos anos finais do Ensino Fundamental da Educação Pública é de 3,2, sendo 2,9 na esfera municipal e 4,9 na estadual — número também abaixo da média nacional que é de 4,5 e 4,7, respectivamente. O IDEB do Ensino Médio na Educação Pública da cidade foi de 2,9 — menor que a média nacional (3.9) e a média estadual (3,2).[33][34]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Segundo informações do IBGE, Entre Rios dispunha de um total de 18 estabelecimentos de saúde em 2009, sendo 13 públicos e 5 privados, os quais dispunham no seu conjunto de 35 leitos para internação, sendo todos na espera pública, especificamente na esfera municipal. A cidade também conta com atendimento médico ambulatorial (5 estabelecimentos sem atendimento médico, 12 com especialidade médicas básicas), 1 estabelecimento com atendimento com outras especialidades básicas, e também conta com atendimento odontológico com dentista e presta serviço ao Sistema Único de Saúde (SUS).[35]

Cidade Inteligente na Região[editar | editar código-fonte]

A região de Entre Rios será destaque no nível nacional e até mundial referente a cidade inteligente, será a primeira nesse nível no Brasil. Aguaduna[36] é o nome da cidade inteligente que será construída na região do município de Entre Rios. O Projeto Aguaduna tem previsão do começo das obras no segundo trimestre de 2021, com expectativa de prazo de conclusão para 2024. Com um investimento estimado em mais ou menos 250 milhões de euros (aproximadamente R$1,6 bilhão), é o primeiro projeto do mundo em busca de implantar um modelo de cidade inovador e inteligente, que equilibre a sociedade e a natureza. A cidade inteligente Aguaduna será implantada na orla do município, especificamente em Massarandupió.[37]

Quem está a frente do Projeto Aguaduna é a empresa de capital espanhola Naurigas Empreendimentos, tendo como parceira a Seed Global Advisoring (SGA). Há a parceira estratégica da empresa Siemens, crucial para a realização do projeto, que utilizará recursos tecnológicos avançados e muito mais.[38] Outra parceira de destaque é a empresa SegurPro.[39] A cidade inteligente Aguaduna causará um impacto positivo na vida de cerca de 380 mil pessoas, a contar com as regiões vizinhas.[40] Estima-se com o Projeto a criação de mais de 30 mil postos de trabalho, contribuindo para o emprego na região.[41]

A gestão da cidade será completamente com base no uso de dados, com Internet das Coisas (ou IoT, em inglês) a seu favor. Será uma gestão sustentável, sendo referência no uso de Big Data.[42]

Considerada uma cidade inteligente que será modelo de referência a ser replicado em outros lugares do mundo, quatros pilares nortearão o projeto, sendo eles: Qualidade de Vida, Pensamento Verde, Inovação & Conectividade, Desenvolvimento Alimentar e Mobilidade Inteligente.[40]

Estradas[editar | editar código-fonte]

A cidade pode ser acessada pela rodovia BR-101 em direção a Aracaju (acesso ao distrito sede e alguns povoados). Também pode ser acessada pela Linha Verde, até o Palame, distrito de Esplanada, onde passará a usar a rodovia BA-400 até o distrito sede. Outro acesso, esse o mais típico junto com o primeiro, é o a partir de Simões Filho pela rodovia BA-093 até o distrito sede, passando por Dias d'Ávila, Mata de São João, Pojuca, Araçás até, finalmente, chegar ao distrito sede.

Prefeitos de Entre Rios[editar | editar código-fonte]

  • Antônio Aciole de Menezes (1989 - 1992)
  • Manoelito Argolo dos Santos (1993 - 1996)
  • Raul Malbouisson Mello (PFL) (1997 - 2000)
  • Manoelito Argolo dos Santos (PP) (2001 - 2004)
  • Ranulfo Sousa Ferreira (PT) (2005 - 2008)
  • Fernando Almeida de Oliveira (PMDB) (2009 - 2012)
  • Fernando Almeida de Oliveira (PSD) reeleito (2013 - 2016)
  • Elizio Fernandes Rodrigues Simões (PDT) (2017 - 2020)
  • Manoelito Argolo dos Santos Júnior (Solidariedade) Eleito (2021 - 2024)

Na última eleição de 2020, foi eleito Manoelito Argolo Junior, do partido Solidariedade (partido político), com 44,04% dos votos, derrotando o então prefeito Elizio Simões, do PDT. O vicé é Joaquim Mascarenhas, do Partido PP.[43]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [«Arquivado em 16 de agosto de 2016, no Wayback Machine. Governo da Bahia» 🔗. Consultado em 13 de junho de 2016. Cópia arquivada em 16 de agosto de 2016  Ligação externa em |titulo= (ajuda) Arquivado em 16 de agosto de 2016, no Wayback Machine. Governo da Bahia]
  2. Câmara Municipal de Entre Rios
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2013». Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2013. Consultado em 2 de outubro de 2013 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 2 de agosto de 2013 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 13 de julho de 2018 
  7. a b c d e f g «Panorama da cidade de Entre Rios - BA». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 13 de julho de 2021 
  8. a b c d Barreto, Rosane Oliveira. «Técnicas de Manejo e Sustentabilidade da Palmeira Attalea funífera Martius - Piaçava da Bahia:Estudo de Caso em Massarandupió, Litoral Norte- Bahia» (PDF). Candombá – Revista Virtual: 80-97. Consultado em 21 de julho de 2021 
  9. a b c d «História de Entre Rios - BA». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 13 de julho de 2021 
  10. Reimão Silva, Iracema; da Silva Pinto Bittencourt, Abílio Carlos; Dias, J. A.; Rodrigues de Souza Filho, José (2012). «Qualidade recreacional e capacidade de carga das praias do litoral norte do estado da Bahia, Brasil» (PDF). Lisboa, Portugal: Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos. Revista de Gestão Costeira Integrada. 12 (2): 133-146. Consultado em 13 de julho de 2021 
  11. «APA Litoral Norte do Estado da Bahia». Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - INEMA. 20 de setembro de 2011. Consultado em 15 de julho de 2021 
  12. Menezes, C. M.; Santana, F. D.; Silva, V. S; Silva, V. I.; Araújo, D. S. (2012). «Florística e fitossociologia em um trecho de restinga no Litoral Norte do Estado da Bahia». Revista Biotemas. 25 (1): 31-38. Consultado em 14 de julho de 2021 
  13. Alves, Maria; Oliveira, Rodrigo Bruno; Teixeira, Suzane Rocha; Guedes, Maria Lenise Silva; Roque, Nádia (2015). «Levantamento florístico de um remanescente de Mata Atlântica no litoral norte do Estado da Bahia, Brasil». Hoehnea: 581–595. ISSN 0073-2877. doi:10.1590/2236-8906-06/2015. Consultado em 16 de agosto de 2021 
  14. Veras, Murilo Carlos Muniz; Pinto, Alberto Carlos de Queiroz; De Meneses, Josivan Barbosa (2000). «Influência da época de produção e dos estádios de maturação nos maracujás doce e ácido nas condições de cerrado». Scielo Brasil. Consultado em 14 de julho de 2021 
  15. Lima, Francisco de Sousa; Soares, Ana Cristina Fermino; Sousa, Carlos da Silva (2013). «Ocorrência e Atividade de Fungos Micorrízicos Arbusculares em Plantios de Eucalipto (eucalyptus sp.) no Litoral Norte da Bahia, Brasil». Scielo. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  16. a b «Amostra da População». IBGE. Consultado em 16 de julho de 2021 
  17. «IDH de Entre Rios (BA)». IBGE. Consultado em 20 de julho de 2021 
  18. «Tradições». Consultado em 24 de julho de 2021 
  19. www.beeweb.com.br, BeeWeb Agência Digital-. «Entre Rios - Costa dos Coqueiros | ABIH - Associação Brasileira da Indústria de Hotéis - Bahia». Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia - ABIH - BAHIA - BRASIL. Consultado em 24 de julho de 2021 
  20. a b c Silva, Marcelo Santana; Rocha, Angela Machado; Da Conceição, Valdir Silva; Lima, Scarllet; Bittencourt, Luciano de Sá. «Artesanato de Palha de Porto de Sauípe: Potencialidade para Concessão da Indicação Geográfica». ISTI/SIMTEC. Innovation dialogues to accelerate industry application: 885-894. Consultado em 28 de julho de 2021  line feed character character in |titulo= at position 60 (ajuda)
  21. «Entre Rios/BA». Artesol. Consultado em 17 de julho de 2021 
  22. «Casa tem área social integrada, jardim exuberante e até um lago». Casa Vogue. Consultado em 20 de julho de 2021 
  23. «PORTAL DE TRANSPARENCIA MUNICIPAL DE ENTRE RIOS - BAHIA.». transparencia.entrerios.ba.gov.br. Consultado em 13 de julho de 2021 
  24. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/entre-rios/pesquisa/38/46996?ano=2018. Consultado em 19 de julho de 2021  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  25. «Bracell vai ampliar produção de mudas de eucalipto para 15 milhões de unidades por ano». Bahia.Ba. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  26. a b «Menos movimentadas, praias de nudismo favorecem distanciamento; veja quais são». CNN Brasil. Consultado em 14 de julho de 2021 
  27. Turismo, iG (13 de agosto de 2020). «7 praias de nudismo no Brasil que podem virar seu próximo destino». Turismo. Consultado em 14 de julho de 2021 
  28. «Casamento à beira mar: Praia de Subaúma tem sido escolha de casais». Bahia.Ba. Consultado em 19 de julho de 2021 
  29. «Moradores flagram manchas de óleo na praia de Subaúma, no litoral norte da Bahia». G1. Consultado em 19 de julho de 2021 
  30. R7. «Manchas de óleo chegam a Salvador e mais sete cidades na Bahia». Correio do Povo. Consultado em 20 de julho de 2021 
  31. Cordeiro, Hilza (9 de outubro de 2019). «Área afetada por óleo na Bahia já corresponde a mais de 10% do litoral». Jornal Correio. Consultado em 25 de julho de 2021 
  32. Borges, Thais (23 de maio de 2021). «Olha o passarinho! Observação de aves cresce na Bahia e há até pousada dedicada a turistas». Jornal Correio. Consultado em 20 de julho de 2021 
  33. «IDEB de Entre Rios - BA». IBGE. Consultado em 16 de julho de 2021 
  34. «MEC». ideb.inep.gov.br. Consultado em 16 de julho de 2021 
  35. «Serviços de Saúde em Entre Rios - BA». IBGE. Consultado em 19 de julho de 2021 
  36. «Aguaduna - Discover the city of the future». aguaduna.com (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2021 
  37. Redação, Da (27 de agosto de 2020). «Projeto de cidade inteligente no Litoral Norte terá investimento de R$ 1,6 bilhão». Jornal Correio. Consultado em 24 de julho de 2021 
  38. «Uma cidade nas nuvens». Siemens Brazil. Consultado em 24 de julho de 2021 
  39. C.Turismo (26 de fevereiro de 2021). «Conheça o projeto de Aguaduna a cidade inteligente». COLUNA DE TURISMO. Consultado em 24 de julho de 2021 
  40. a b eduardo (12 de novembro de 2020). «Aguaduna: mais do que inteligente, uma cidade sustentável». Planeta. Consultado em 24 de julho de 2021 
  41. «Cidade inteligente e verde». ISTOÉ DINHEIRO. 12 de março de 2021. Consultado em 24 de julho de 2021 
  42. «Uma cidade nas nuvens». Siemens Brazil. Consultado em 24 de julho de 2021 
  43. «Manoelito Argolo Junior, do Solidariedade, é eleito prefeito de Entre Rios». G1. Consultado em 17 de julho de 2021