Una

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Una
Bandeira de Una
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 02 de Agosto
Fundação 2 de agosto de 1890 (126 anos)
Gentílico unense
Prefeito(a) Tiago Birschner (PP)
(2017–2020)
Localização
Localização de Una
Localização de Una na Bahia
Una está localizado em: Brasil
Una
Localização de Una no Brasil
15° 17' 34" S 39° 04' 30" O15° 17' 34" S 39° 04' 30" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Ilhéus-Itabuna IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ilhéus, Buerarema, Santa Luzia, Arataca, Canavieiras
Distância até a capital 503 km
Características geográficas
Área 1 159,525 km² [2]
População 24 106 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 20,79 hab./km²
Altitude 40 m
Clima 24,7°C (aprox.)
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,560 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 97 021,725 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 836,82 IBGE/2008[5]
Página oficial

Una é um município do estado da Bahia, no Brasil. Seu nome significa, em língua tupi, "preto"[6], numa alusão à coloração do rio que banha a cidade. O município foi criado em 2 de agosto de 1890.

Os habitantes se chamam unenses. O município se estende por 1 177,5 km² e contava com 24 106 habitantes no último censo. A densidade demográfica é de 20,5 habitantes por km² no território do município.

Vizinho dos municípios de São José da Vitória, Canavieiras e Mascote, Una se situa a 44 km a Norte-Oeste de Canavieiras a maior cidade nos arredores.

Situado a 63 metros de altitude, de Una tem as seguintes coordenadas geográficas: Latitude: 15° 16' 11'' Sul, Longitude: 39° 4' 10'' Oeste.

O Una é um município do Parque Nacional da Serra das Lontras.

História[editar | editar código-fonte]

Histórico do Município de Una (Seu nome significa, em Tupi-Guarani, Preto, uma alusão à coloração do rio que banha a cidade. O município foi criado em 2 de agosto de 1890)

A 18 de setembro de 1809, a Fazenda São José (antiga sesmaria), concedida a Maria Clementina Henriqueta pela rainha de Portugal Dona Maria, foi arrematada por Manoel de Souza. Começou, daí, a chegada de colonos alemães, austríacos e poloneses, formando-se, assim, com o nome de Una, posteriormente tragada pelo mar. Seus habitantes foram, então, obrigados a mudarem-se para um local mais seguro, distante quatro milhas, ao qual denominaram novamente de Una.

No dia 21 de julho de 1890, esse povoado foi elevado à categoria de distrito do município de Canavieiras e Freguesia de Santo Antonio da Barra. Em 2 de agosto de 1890, houve o primeiro desmembramento do município de Canavieiras, com a criação do município de Una, sediado no local denominado Pedras (hoje povoado do mesmo nome). Por ter o desmembramento ocorrido sem a devida delimitação de terras do novo município, houve uma reanexação. A lei estadual número 1.326 de 23 de agosto de 1923, proclamou a supressão e a transferência da sede do distrito para o povoado de Cachoeirinha e somente a 2 de agosto do ano seguinte, a lei estadual número 1.718 restaurou o município com sede na Vila de Cachoeirinha. 

A 1º de janeiro de 1939, a Vila Cachoeirinha foi elevada à categoria de cidade, com a denominação de Una, cuja composição administrativa é constituída de três distritos: o da sede (cidade de Una), o de Arataca e o de Itatingui (ex-Pratas).

(Texto extraído da publicação em três volumes, CIDADES DO CACAU, da CEPLAC, Ilhéus, Bahia, 1982) 

Política[editar | editar código-fonte]

Intendentes

1890/1899 – Manoel Vieira (Intendente do Conselho Municipal da Vila de Una)

1890 - Antonio Diogo Neto, Presidente; Alexandre José Queiroz Guimarães, 1º Secretario e Pedro José Damásio, 2º Secretario (Mesa Diretora do Conselho)

1900/1909 - Major João David Fuchs

1910/1912 - João Clímaco Vieira

Prefeitos

1912/1916 - João Ranulfo Gusmão

1917/1918 - Anferes João Baptista de Rego

1919/1930 - Manoel Pereira de Almeida

1931 - Antonio de Melo

1932/1938 - Manoel Pereira de Almeida

1939/1944 - Edgar Mata Pires

1945/1948 - A.B.C de Freitas

1949/1951 - Armil Fuchs de Almeida

1952/1955 - A.B.C de Freitas

1956/1959 - Armil Fuchs de Almeida

1960/1963 - Carlos Antonio Cincurá de Almeida

1964/1967 - Liberalino Barbosa Souto

1968/1971 - João Gonçalves de Queiroz

1972/1973 - Joaquim da Silva Rocha

1974/1977 - José Olavo do Nascimento Filho

1978/1983 - Luiz Elias de Souza

1983/1988 - Antonio da Silva Andrade

1989/1992 – Manoel Bispo Santos (Mané Dentista)

1993/1996 - Luiz Elias de Souza

1997/2000 - Dejair Birschner

2001/2004 - Dejair Birschner

2004 a 27/02/2008 – José Bispo Santos (Zé Pretinho) afastado por ordem judicial, assumindo o seu lugar o vice-prefeito Davi Cerqueira dos Santos até o dia 31/12/2008.

2009/2012 - Dejair Birschner

2013/2016 - Diane Brito Rusciolelli

2017 Atual Prefeito Tiago Birschner ou Tiago de Dejair

Vereadores 2017-2020

A Câmara de Vereadores de Una é composta por nove vereadores: Evanilda Rocha Andrade (PMN) Nara Santos Muniz (PHS), Maria Madalena Fermo Birschner (PP), Julival Araújo de Mendonça (PP), Nilton Nogueira da Silva (DEM), Arimar Mota Sena (PTdoB), Romualdo Cardoso do Nascimento (PTdoB), Itanael de Goés Santos (PHS) e Juvenal Trindade (PRP).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2008 era de 25 287 habitantes. Está situada a cerca de sessenta quilômetros de Ilhéus. Localiza-se, em Una, a Ilha de Comandatuba, com hotéis de luxo e um aeroporto.

Principais Distritos: Colônia de Una - Comandatuba - Outeiro - Pedras - Vila Brasil

Bairros: Centro - Bairro Novo - Sucupira - Urbis - Marcel Ganem - Santa Rita - Casas Populares do Estádio

Meio Ambiente[editar | editar código-fonte]

A diversidade ambiental de Una permite a coexistência de várias espécies de animais, contendo, inclusive, espécies ameaçadas de extinção. Dentre esses ambientes, estão a Reserva Biológica de Una (Ecoparque de Una), constituída de mata atlântica e a Reserva Particular do Patrimônio Natural Araraúna (Lençóis Belgas).

Os mamíferos característicos do município são: o tatu (Dasypus sp.), o jupati (Philander opossum), o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), na Ilha de Comandatuba. Na mata Atlântica estão presentes o mico-leão-de-cara-dourada (Leontopithecus chrysomelas) e a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus), estes dois últimos ameaçados de extinção, e no mangue o guaxinim (Procyon cancrivorus) e o sagui (Callithrix kuhli).

Existem cerca de noventa espécies de aves, dentre elas o maçarico (Tringa sp.) e o gavião-carcará (Polyborus plancus). Na praia, o sabiá-da-praia (Mimus gilvus), única espécie endêmica da restinga, o pica-pau-de-cabeça-vermelha (Dryocopus lineatus), o pica-pau-branco (Melanerpes albicans), o periquito-testa (Aratinga aurea), o suiriri-do-gado (Machethornis rixoxus), o sanhaço-do-coqueiro (Thraupis palmarum), na parte central da Ilha de Comandatuba e a garça-azul (Florida caerulea) e o gavião-pinhé (Milvago chimachima) no mangue.

Répteis com destaque são o calango-verde (Ameiva ameiva), o calango catenda (Tropidurus torquatus), a jibóia (Boa constrictor) e quatro espécies de tartaruga-marinha ameaçadas de extinção: tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata), verde (Chelonia mydas), cabeçuda (Caretta caretta) e olivácea (Lepidochelys olivacea).

A fauna marinha é rica em peixes, entre os quais o robalo (Centropomus ssp.), a tainha (Mugil ssp.) e a pescada (Cynoscion sp.) - no canal e próximo da praia; o cação-martelo (Sphyrna sp.), o dourado (Coryphaena hippurus), o marlin-azul (Makaira nigricans), o sailfish (Istiophorus platypterus) e o atum (Thunus sp.) - na região oceânica.

Os invertebrados mais importantes são caranguejos como o guaiamum (Cardissoma guanhumi), encontrado em terreno seco, o uçá (Ucides cordatus), o aratu (Goniopsis cruentata), o siri-do-mangue (Callinectes sp.) e os chama-maré (Uca ssp.), no mangue; o grauçá (Ocypode quadrata) e o siri-da-areia (Arenaeus cribarius), na praia.[7]

Praias[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

A agricultura é a prática econômica que oferece sustentabilidade ao município, sendo diversificada em cacau, seringueira, pimenta do reino, cravo da índia, dendê, coco da baía, maracujá, mangustein e o cultivo de açaí.

No município vem sendo desenvolvido o empreendimento para a construção de uma fonte de energia renovável.

O turismo é uma forte fonte de riqueza do município, contando com praia ainda virgem ao deleite humano. Em Una está situado um hotel cinco estrelas, que conta com um sofisticado campo de Golfe e o maior aeroporto privado da America Latina. Una tem as praias de Itapororoca, Lençóis, Ilha de Comandatuba e Praia de Independência.

No município é possível observar a fauna e a flora ainda intocada pela mão humana. A Reserva Biológica de Una fica localizada há pouco mais de 15 km da sede do município, podendo ser encontradas onças pintadas e a família de primatas a exemplo do mico leão de cara dourada.

Infraestrutura e Serviços[editar | editar código-fonte]

O município conta com os serviços de quatro operadoras telefônicas, sendo que a TIM e OI funciona apenas no distrito de Comandatuba.

O Sistema de água é fornecido pela EMBASA e o de energia pela COELBA.

A Comarca de Una possui um Juiz de Direito, um promotor de Justiça, três oficiais de cartório, quatro escreventes, um avaliador judicial e um administrador e fica Localizado na entrada da cidade, sentido norte, no bairro Sucupira.

Una dispõe de uma Guarda Municipal, além de dispor dos serviços da Polícia Civil e Polícia Militar, todos situados na Praça Dr. Manoel Pereira de Almeida.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Os traços arquitetônicos são vistos dentro do centro urbano da sede do município, que foi projetado em três partes. Na Avenida David Fuchs, até a praça Dr. Manoel Pereira de Almeida está a primeira etapa, já a partir do Grupo Escolar André Rebouças até a entrada da Rua 1º Travessa 1º de Maio, representa a outra parte e a partir da Praça da Promessa, antigo sobradinho até o escritório local da CEPLAC, representa a terceira parte da cidade.

Feriados Municipais[editar | editar código-fonte]

As principais festas do município ocorrem no dia 02 de agosto (Emancipação Política), ocorrendo uma Micareta e 24 de Junho (São João) que ocorre no distrito de Colônia.

Ademais são realizadas festas religiosas de São Sebastião em Comandatuba, Senhor do Bonfim em Outeiro e Santo Antonio em Pedras de Una. Esses dias são decretados feriados municipais.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 24 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  7. http://www.activesystems.com.br/ecotuba/desc/fauna.htm
Ícone de esboço Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.