Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Afonso
Paulo Afonso usina hidreletrica CHESF.jpg
Localização
Localização Paulo Afonso (Bahia)
Rio São Francisco
Coordenadas 9°23′49″S 38°12′08″O / 9.3969°S 38.2022°O / -9.3969; -38.2022Coordenadas: 9°23′49″S 38°12′08″O / 9.3969°S 38.2022°O / -9.3969; -38.2022
Dados gerais
Proprietário CHESF
Período de construção 1954-1979
Dados da barragem
Tipo barragem
Altura 80 m
Capacidade de geração 4.279,601 Megawatt-hora

O Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso é um conjunto de usinas, localizado na cidade de Paulo Afonso, formado pelas usinas de Paulo Afonso I, II, III, IV e Apolônio Sales (Moxotó), que produz 4.279,6 megawatts de energia, gerada a partir da força das águas da Cachoeira de Paulo Afonso, um desnível natural de 80 metros do Rio São Francisco. Sendo assim, o Complexo de usinas de Paulo Afonso tem a segunda maior capacidade instalada dentre as usinas do Brasil, perdendo apenas para Tucuruí (8.000 MW), já que Itaipu com 14.000 MW é binacional (Brasil/Paraguai).[1]

A construção do Complexo Hidrelétrico de Paulo Afonso no início da década de 1950 foi um marco para a engenharia brasileira, visto que foi necessário controlar e reverter o fluxo do Rio São Francisco, numa obra de engenharia sem tamanho para aquela época, para então iniciar-se o processo de construção da barragem da primeira usina (Paulo Afonso I), depois inaugurada pelo presidente Café Filho em 15 de janeiro de 1955.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Brasil - Hidrografia». www.portalbrasil.net 
  2. «Uma Contribuição à Historiografia de Base Local» (PDF). www.fasete.edu.br 
Ícone de esboço Este artigo sobre engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Bahia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.