TV Aratu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
TV Aratu
TV Aratu S/A
Salvador, Bahia
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 25 UHF
Virtual: 4 PSIP
Outros canais 4 / 504 HD (Claro TV)
514 (Vivo TV)
7 (RCA)
ver mais
Analógico:
4 VHF (1969-2017)
Sede Bandeira de Salvador.svg Salvador, BA
Slogan Aratu é o canal
Rede SBT
Rede(s) anterior(es) Rede Globo (1969-1987)
Rede Manchete (1987-1995)
CNT (1995-1997)
Fundador(es)
  • Alberto Maluf
  • Nilton Nunes Tavares
  • Luís Viana Neto
  • Carlos Alberto Jesuíno dos Santos
  • Humberto Castro
Pertence a Grupo Aratu
Proprietário(s) Silvio Roberto Coelho
Antigo(s) proprietário(s) Nilton Nunes Tavares (1969-1992)
Acionista(s) Silvio Roberto Coelho (63,65%)
Nilo Moraes Coelho (24,25%)
Ana Coelho (12,10%)
Presidente Tiago Coelho
Fundação 15 de março de 1969 (53 anos)
Prefixo ZYA 296
Nome(s) anterior(es) CNT Aratu (1996-1997)
Cobertura Cobertura da TV Aratu.svg
Coord. do transmissor 12° 59' 49.7" S 38° 30' 2.5" O
Potência 5 kW
Agência reguladora ANATEL
Informação de licença
CDB
PDF
Página oficial aratuon.com.br

TV Aratu é uma emissora de televisão brasileira sediada em Salvador, capital do estado da Bahia. Opera no canal 4 (25 UHF digital), e é afiliada ao SBT. Pertence ao Grupo Aratu, um conglomerado de mídia de propriedade do empresário Silvio Roberto Coelho, e do qual também fazem parte a Rádio Cultura de Guanambi, o website Aratu On, as empresas de mídia exterior Ei! e Brasília e a Chaves Outdoor. É a segunda emissora de televisão mais antiga da Bahia, vindo depois da então TV Itapoan.

História[editar | editar código-fonte]

Rede Globo (1969–1987)[editar | editar código-fonte]

Logotipo da emissora entre 1976 e 1996. A versão do galo deste logotipo seria reutilizada em uma nova marca entre 1997 e 2004

A emissora foi inaugurada sem nome em 15 de março de 1969, por um conjunto de acionistas que envolviam o paulista Alberto Maluf e os baianos Carlos Alberto Jesuíno dos Santos, Luís Viana Neto, Humberto Castro e Nilton Nunes Tavares, como a segunda emissora de televisão do estado da Bahia, que até então só possuía a TV Itapoan, fundada em 1960 pelos Diários Associados.[1] Após vários nomes serem cogitados, é apenas em julho, quatro meses depois de fundada, que a emissora passa a se chamar TV Aratu, que remete ao crustáceo que habita os manguezais do Recôncavo Baiano. Desde a sua fundação, o logotipo da emissora é um galo, ave símbolo da capoeira, e razão pela qual a mesma é conhecida como “emissora do galinho”.

Em seu início, a programação local era feita de forma independente, mas ainda no mesmo ano, a TV Aratu passa a exibir atrações produzidas pela Rede Globo, tornando-se afiliada oficialmente em abril de 1970, e não tardou para desbancar a TV Itapoan e tornar-se líder de audiência. Em 1973, foi a primeira emissora a transmitir à cores, e para comemorar o feito, lançou o slogan A liderança colorida. No seu aniversário de dez anos, em 1979, a emissora levou ao ar um institucional produzido pela DM9 de Duda Mendonça, que ressaltava a religiosidade do povo baiano.[2] Convidado a assistir o filme, o então ministro das comunicações Haroldo Corrêa de Mattos, declarou: “Isso é poesia visual. É o filme mais bonito que vi em toda minha vida!”.[3]

Na década de 1980, a emissora iniciou sua expansão para o interior do estado, instalando retransmissoras que captavam o sinal através de enlaces de micro-ondas. Mesmo com a concorrência que começava a se intensificar com a chegada de novas emissoras no decorrer da década, a TV Aratu continuava líder de audiência na programação local e nacional.

Caso NEC e desfiliação da Rede Globo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Caso NEC

Em 1986, com a aproximação entre Roberto Marinho e o então ministro das comunicações Antônio Carlos Magalhães, motivada pelos desdobramentos que levaram a compra da NEC Brasil pelas Organizações Globo,[4] a Globo preteriu a TV Aratu em favor da TV Bahia, pertencente aos familiares do ministro, manifestando o interesse de não renovar seu contrato de afiliação em carta enviada à direção da emissora, em 24 de fevereiro daquele ano.[5] Em 10 de novembro, pouco antes de fechar a compra das ações da NEC (efetivada em 23 de dezembro),[6] a Globo oficializou o término da afiliação em nova carta, determinando que a TV Aratu deveria deixar de retransmitir a sua programação em 20 de janeiro de 1987.[5] A decisão acabou gerando grande controvérsia na imprensa nacional, levantando suspeitas sobre a natureza da negociação, que teria contado com a ajuda de ACM, que em troca recebeu a afiliação da Globo como uma forma de agradecimento, e também um impasse político com seus adversários, em especial o deputado federal Luís Viana Neto, um dos acionistas da TV Aratu, que em 13 de janeiro, liderou uma comitiva até Brasília com outros 19 deputados para reclamar ao presidente José Sarney a respeito da interferência de ACM na comunicações do estado.[7] Durante depoimento para a CPI da NEC, aberta pela Câmara dos Deputados em 1991, o então superintendente executivo da Globopar, Miguel Coelho Netto Pires Gonçalves, no entanto, negou que a desfiliação da TV Aratu havia acontecido por razões políticas, alegando que desde 1984 haviam problemas técnicos e comerciais entre ambas que levaram ao fim da parceria.[4]

Seguiu-se então uma longa batalha judicial entre as emissoras. Na carta enviada pela Rede Globo em 24 de fevereiro de 1986, a rede informava que, expirado o prazo contratual da última renovação, que era válido até 1.º de junho, o mesmo ficaria prorrogado somente até 20 de janeiro de 1987. No entanto, o entendimento da TV Aratu era de que o documento enviado posteriormente em 10 de novembro não tinha validade, e que uma oficialização deveria ter sido feita até 30 de abril, caso contrário, com base em uma das cláusulas estabelecidas, o contrato seria automaticamente renovado por mais três anos.[5] A partir disso, em 15 de janeiro, o juiz Luiz Fux, da 9.ª Vara Cível do Rio de Janeiro, concedeu à emissora uma liminar que impedia a TV Bahia de retransmitir o sinal da Globo.[8] A liminar acabou derrubada em 23 de janeiro, pelo desembargador Hermano Ferreira Pinto, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, após a Globo impetrar um mandado de segurança para assegurar a transmissão da sua programação pela TV Bahia.[9] Esta última, pouco depois de receber a notificação judicial, interrompeu a programação da Rede Manchete (da qual era afiliada desde a inauguração em 1985) às 17h58, para emitir um comunicado aos telespectadores sobre a nova afiliação, e retransmitir o sinal da Globo logo em seguida. O mesmo também foi feito ao vivo na edição do Jornal Nacional daquele dia.[10] No entanto, a TV Aratu se recusou a trocar de afiliação, o que fez com que os telespectadores baianos tivessem dois canais transmitindo a Globo por três dias seguidos em todo o estado.[11]

"A Televisão Aratu, neste momento, interrompe a transmissão da programação Globo, para cumprir determinação do Dentel. Agradecendo às generosas manifestações de solidariedade que vem recebendo de toda a Bahia, pelo que tem de mais expressivo, a TV Aratu continua sem esmorecimento, na luta que empreende em defesa dos seus direitos, esperando em breve reverter a situação atual para desagravo da Bahia"

Nota lida pela jornalista Lídia Andreatta no momento em que a TV Aratu deixou de retransmitir a programação da Rede Globo pela primeira vez, em 26 de janeiro de 1987

Por ordem da direção regional do DENTEL, a TV Aratu foi forçada a deixar de transmitir a programação da Globo em 26 de janeiro. Neste dia, logo após o fim do Globo Esporte, às 13h, a âncora do Aratu Notícias 1.ª edição, Lídia Andreatta, leu através de nota oficial que a TV Aratu iria deixar de veicular a programação da Globo por determinação do DENTEL, e agradeceu aos telespectadores pela solidariedade.[12][13] A emissora então passou a levar ao ar uma programação improvisada, com atrações da TVE Brasil, e pouco depois, passou a retransmitir o sinal da Rede Manchete, ao mesmo tempo que continuou na justiça tentando anular o mandado de segurança da Globo. Em 31 de março, os desembargadores Jorge Loretti, Narciso Pinto e Astrogildo Freitas, da 5.ª Câmara Cível do Rio de Janeiro, suspenderam o mandado de segurança da Globo após julgarem que a rede entrou com o recurso fora do prazo.[14] Na manhã do dia seguinte, a TV Aratu retomou a transmissão do sinal da Globo, porém a TV Bahia ignorou a decisão judicial, e mais uma vez ambas continuaram transmitindo a mesma programação até a noite do dia 4 de abril, quando a TV Bahia passou a ter novamente o sinal da Manchete. A disputa dessa vez acabou dividindo os telespectadores, que por um lado, ficaram satisfeitos com a breve vitória do canal 4 na justiça, e por outro, ficaram enfurecidos pela ausência da programação da Manchete, que na época havia acabado de estrear a telenovela Corpo Santo, sucesso de audiência na capital baiana.[15][16]

A batalha judicial prosseguiu por mais três meses, até que em 6 de julho, o desembargador Nicolau Mary Júnior concedeu a liminar em favor da Globo, e a TV Bahia finalmente pôde retransmitir, em definitivo, a programação da rede.[17] Naquele dia, às 18h, os telespectadores do canal 11 viram pela última vez a programação da Manchete ser substituída pela Globo, com quem está até os dias atuais, e exatamente uma hora depois, o canal 4 fazia o inverso, encerrando os 18 anos de parceria que havia mantido com a rede.[18] Nos tribunais, os advogados da TV Aratu ainda tentaram reverter a decisão nos meses seguintes, sem sucesso, e em 22 de fevereiro de 1988, mais de um ano após o início do processo, o juiz Gérson Arraes, da 9.ª Vara Cível do Rio de Janeiro, deu ganho de causa à Rede Globo, assegurando a ela o direito de transferir a sua programação para a TV Bahia.[5] Mesmo anos após ter perdido a afiliação, a emissora continuou recorrendo da decisão, e 1996, quando já era afiliada à CNT e pertencia a outros proprietários, o último recurso judicial se esgotou. A emissora se negou a arcar com os honorários, e seus estúdios chegaram a ir a leilão em 19 de abril, sendo arrematados pelo advogado Sergio Zveiter, que havia defendido a Globo na causa.[19]

Rede Manchete (1987–1995)[editar | editar código-fonte]

A perda do sinal da Globo ocasionou um duro golpe no faturamento comercial da TV Aratu, fazendo as suas receitas caírem 80%. Sem verbas suficientes, a emissora também ficou sem dinheiro para atualizar seus equipamentos, e isso se refletia também na qualidade do sinal levado aos telespectadores, que caía vertiginosamente. Em completo declínio, a TV Aratu alterou seu quadro societário em 1988. Nilton Nunes Tavares, diretor-presidente da emissora, que até então possuía 25% das ações, comprou a parte dos outros sócios pela quantia de 7 milhões de dólares, e em seguida, revendeu-as ao então governador Waldir Pires e o deputado Joaci Góes (proprietário do jornal Tribuna da Bahia).[20] Joaci ficou com 30% das ações, enquanto 40% foi repassado a empresários ligados ao governador.[21]

Em 1992, a emissora é novamente vendida, agora para o ex-governador da Bahia, Nilo Moraes Coelho, que comprou 70% das ações. Silvio Roberto Coelho passa a ser o diretor-presidente da emissora.[1] Joaci Góes, proprietário dos outros 30%, ainda continuaria como sócio da TV Aratu até abril de 2001, quando vendeu a sua parte para Coelho.[22] No inicio de 1995, notas publicadas em jornais baianos davam conta de um arrendamento da emissora para as Organizações Martinez, proprietária da Central Nacional de Televisão, rede em franca expansão no país.

CNT (1995–1997)[editar | editar código-fonte]

Logotipo utilizado entre 1996 e 1997

Em junho de 1995, após oito anos como afiliada da Rede Manchete, a TV Aratu deixa a rede carioca e torna-se afiliada da CNT, por ocasião do seu arrendamento de dois anos para as Organizações Martinez, na época, sob o comando do dono do Banco Bamerindus, José Eduardo de Andrade Vieira. A qualidade da programação local da emissora e do seu sinal melhora consideravelmente. Com a nova afiliação, a TV Aratu muda seu nome fantasia para CNT Aratu.[23]

Em junho de 1997, quando estava para findar o contrato de arrendamento das Organizações Martinez, os proprietários da emissora assinaram com o SBT, uma vez que a rede ficaria sem sinal no estado com a compra da TV Itapoan pela Rede Record, e sua posterior saída em 16 de junho.

SBT (1997–presente)[editar | editar código-fonte]

À meia-noite do dia 16 de junho de 1997, a emissora deixa a CNT e passa a ser afiliada ao SBT, no mesmo dia em que a TV Itapoan também troca de afiliação e vira uma emissora própria da Rede Record. A CNT passava então a ser retransmitida no canal 39 UHF até 2009, quando foi criada a CNT Bahia. A TV Aratu expandiu ainda mais a sua programação local com telejornais e programas populares, e passou a brigar pela vice-liderança de audiência com a TV Itapoan e até mesmo pela liderança com a TV Bahia.

Em 29 de dezembro de 2000, a emissora firma contrato com a Embratel e passa a dispor de um sinal via satélite para ser utilizado pelas retransmissoras no interior do estado, em substituição aos antigos enlaces de micro-ondas que haviam sido desativados em meados dos anos 90. No fim de 2001, a emissora já estava presente em cerca de 80% do estado da Bahia, atingindo cerca de 10 milhões de telespectadores.

Em 2001, começaram a surgir especulações na imprensa local e nacional sobre uma possível volta da TV Aratu para a Rede Globo. A relação entre a rede e a emissora de Antônio Carlos Magalhães havia sofrido abalos por conta das constantes sátiras que o programa Casseta & Planeta, Urgente! fazia ao político em razão do escândalo do painel eletrônico no Senado Federal, e pela recusa da TV Bahia em cobrir a passeata de 16 de maio para a rede.[22] No entanto, a emissora não trocou de afiliação.

No decorrer da década de 2000, a emissora também promoveu renovações na sua sede, ampliando os estúdios e modernizando suas operações. Em 2006, a emissora lançou o website Aratu Online, portal de notícias que reuniu o conteúdo da emissora e notícias sobre o estado da Bahia. Em 25 de abril de 2008, o Grupo Aratu inaugurou a TV Aratu Camaçari, sucursal responsável por produzir programas e reportagens focadas na cidade de Camaçari.[24] A emissora foi mantida até junho de 2011.

Sinal digital[editar | editar código-fonte]

Canal virtual Canal digital Resolução de tela Programação
4.1 25 UHF 1080i Programação principal da TV Aratu / SBT
4.2 Nossa Rede na TV
4.3

Em 1.º de dezembro de 2009, às 18h, a emissora iniciou suas transmissões digitais através do canal 25 UHF para Salvador e região metropolitana, tornando-se a segunda emissora da cidade a implantar seu sinal digital.[25] Em 2011, os programas e telejornais da emissora começaram a ser produzidos em alta definição. As matérias exibidas nos telejornais, por sua vez, passaram a ser exibidas em alta definição em 2 de maio de 2016.

Em 30 de junho de 2020, em parceria com a Prefeitura Municipal de Salvador, a emissora colocou no ar o subcanal Nossa Rede na TV, para exibir teleaulas aos alunos da rede pública municipal de ensino que ficaram sem ir para a escola em razão da pandemia de COVID-19. No 4.2, são transmitidas aulas para alunos do 6.º e 7.º anos e EJA II (TAP IV), e no 4.3, para alunos do 8.º e 9.º anos e EJA II (TAP V).[26]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, a TV Aratu, bem como as outras emissoras de Salvador, cessou suas transmissões pelo canal 4 VHF em 27 de setembro de 2017, seguindo o cronograma oficial da ANATEL. Ao contrário das demais emissoras, que cessaram suas transmissões às 23h59, o sinal da emissora foi desligado mais cedo, pouco depois da meia-noite, durante a exibição do Cine Espetacular, sendo substituído por um aviso do MCTIC e da ANATEL sobre o switch-off.[27]

Programas[editar | editar código-fonte]

Além de retransmitir a programação nacional do SBT, atualmente a TV Aratu produz e exibe os seguintes programas:

  • Cidade Aratu: Revista eletrônica, com Casemiro Neto, Pablo Reis, Murilo Villas Boas e Alex Lopes;
  • Aratu Notícias: Telejornal, com Vinícius Cunha;
  • Liga da Madruga: Jornalístico, com Pablo Reis;
  • Chegue Mais: Programa de variedades, com Priscilla Pires;
  • Aratu Tá On: Revista eletrônica, com Carla Galrão, Juana Castro, Pablo Reis e Vivian Alecy;
  • Se Liga no Pida!: Programa musical, com Léo Sampaio;
  • Aratu Repórter: Jornalístico, com Pablo Reis;
  • No Campo do 4: Jornalístico esportivo, com Fábio Gomes

Diversos outros programas compuseram a grade da emissora e foram descontinuados:

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Com sua afiliação com a Rede Globo, a emissora produziu versões locais do Hoje, Jornal Nacional, Jornalismo Eletrônico, dentre outros padrões jornalísticos. Devido as boas relações que possuía com a rede, vários profissionais eram enviados para Salvador, onde faziam uma espécie de intercâmbio no jornalismo local antes de ganharem destaque nacional. Foi o caso de nomes como Pedro Bial, Hermano Henning, Valeria Sffeir, Leila Cordeiro, dentre outros.[1]

Na época do arrendamento da TV Aratu para a CNT, o Bom Dia Bahia era comandado por Mário Kertész, e retransmitido simultaneamente pela Cidade FM, e o Aratu Notícias possuía uma edição a tarde e outra a noite. Após se afiliar com o SBT, o jornalismo da emissora também passou a adotar uma linha popularesca, com programas como Gerdan Aqui e Agora, apresentado por Gerdan Rosário, e posteriormente o Se Liga Bocão, apresentado por José Eduardo, que era uma versão televisiva do programa apresentado por ele no rádio. Este último ficou no ar de 2004 até 2007, quando "Bocão" foi contratado pela TV Itapoan.[28]

Em 2008, Casemiro Neto deixou a TV Bahia e passou a apresentar o programa Que Venha o Povo na TV Aratu, uma revista eletrônica exibida diariamente pela manhã. Em 17 de novembro do mesmo ano, estreou o jornalístico policial Na Mira, apresentado por Uziel Bueno. Em 2009, Rita Batista deixou o comando do Aratu Notícias 1.ª edição e foi contratada pela TV Bandeirantes Bahia. Em 28 de novembro, o No Campo do 4, que estava há 40 anos na grade da emissora, e desde 2007 sob o comando de Márcio Martins, substituto de Eliseu Godoy, deixou de ir ao ar na emissora.[29]

Debate eleitoral com os candidatos a governador da Bahia, realizado pela emissora em 2010

Em maio de 2010, o jornalista Uziel Bueno deixou a TV Aratu, alegando que estava sofrendo pressões por conta das críticas que tecia diariamente contra o poder público no programa Na Mira.[30] Após sua saída, o programa foi assumido por Analice Salles, que se tornou a primeira mulher a comandar um programa policial no Brasil.

Em 30 de julho de 2012, com a estreia de sua nova programação, os programas jornalísticos da emissora foram reformulados, e no horário noturno reestreou o esportivo No Campo do 4, que passou a ser apresentado por Preto Casagrande e Lise Oliveira.[31][32]

Em 11 de outubro de 2013, a jornalista Analice Salles anunciou sua contratação pela TV Record Bahia, deixando a apresentação do Na Mira para o interino Marzzo Silva.[33] Em 16 de outubro, a emissora anuncia a contratação do locutor esportivo Silvio Mendes para a atração, onde estreou em 21 de outubro.[34]

No entanto, o programa não consegue segurar a audiência e sofre várias derrotas para o Balanço Geral, apresentado na TV Record Bahia. Em 28 de agosto de 2015, a emissora decide cancelar o Na Mira alegando uma reformulação na programação. Silvio Mendes posteriormente assume o comando do No Campo do 4 em substituição a Preto Casagrande, enquanto o repórter Zé Bim foi demitido da emissora.[35][36] Em 5 de outubro, na mesma faixa em que era exibido o Na Mira, estreou o programa policial Ronda, apresentado por Murilo Villas Boas e Fábio Gomes.[37] Em novembro, a jornalista Daniela Prata, que comandava o telejornal Bom Dia Bahia e também o Chegue Mais, foi demitida da emissora.[38] Após a saída de Daniela, o telejornal foi assumido interinamente pelo repórter Ricardo Sapia.

Em 22 de fevereiro de 2016, os programas da TV Aratu são reformulados. O Bom Dia Bahia ganhou um novo cenário, e passou a ser apresentado por Rita Batista, que retorna a emissora após 7 anos. O Ronda, que até então era feito nas ruas, também ganhou um novo cenário. O Aratu Notícias, sob o comando de Carla Araújo desde 1993, passou a contar com a participação de Lise Oliveira, que deixou o No Campo do 4. Este por sua vez, passou a ser exibido apenas aos domingos, apresentado por Silvio Mendes e Darino Sena.[39][40]

Em 30 de novembro, o Bom Dia Bahia foi exibido pela última vez, sendo cancelado e substituído pelo Primeiro Impacto, exibido nacionalmente pelo SBT. A decisão foi tomada devido ao baixo retorno dos investimentos feitos no telejornal, que oscilava entre 2,0 e 4,0 pontos de audiência na Grande Salvador, perdendo para as concorrentes TV Bahia e RecordTV Itapoan. Com o cancelamento do Bom Dia Bahia, Rita Batista, que não havia apresentado sua última edição devido à sua presença em São Paulo (sendo substituída por Driele Veiga), foi demitida da emissora.[41][42]

Em 14 de julho de 2017, a jornalista Carla Araújo deixou a emissora após 24 anos, tendo atuado como repórter e posteriormente âncora do Aratu Notícias a partir de 1993, e gerente de jornalismo do canal desde 1998.[43] Após a saída de Carla, o telejornal passou a ser apresentado por Lise Oliveira.

Em janeiro de 2018, a emissora estreou os programas Live da Madrugada (posteriormente renomeado para Liga da Madruga) e Aratu Repórter, ambos sob o comando de Pablo Reis. O primeiro passou a ir ao ar nas madrugadas de domingo a sexta, centrando-se na exibição de matérias dos outros programas da TV Aratu. Já o segundo, exibido por temporadas aos sábados, exibe reportagens especiais feitas em todo o estado.

Em 2 de agosto de 2021, a TV Aratu promoveu uma reformulação da sua grade vespertina, reunindo os jornalísticos Que Venha o Povo, Ronda e o musical Universo em uma única atração, o Cidade Aratu, que passou a ocupar ao todo 4 horas da programação diária da emissora. O novo programa foi dividido em segmentos que representavam as antigas atrações: no "Que Venha o Povo", que manteve a mesma temática anterior, Casemiro Neto e Pablo Reis ganharam a companhia de Livia Calmon, que retornava para a TV Aratu após anos atuando em outras emissoras, debatendo pautas do cotidiano, além de entrevistas e outros temas; no "Aratu+", que ficou no lugar do Ronda, Murilo Villas Boas passou a apresentar pautas de interesse comunitário e popular, alternando-se com os outros apresentadores; e por fim, o "Universo" comandado por Alex Lopes passava a tratar das pautas de variedades do programa, contando ainda com as atrações musicais que eram destaque da antiga atração.[44][45]

Em 13 de maio de 2022, Lise Oliveira foi demitida da TV Aratu, após 13 anos fazendo parte da equipe da emissora.[46] Com sua saída repentina, o telejornal Aratu Notícias passou a ser apresentado pelo então repórter Vinícius Cunha. Em 30 de junho, Lívia Calmon se despediu do Cidade Aratu; ela havia pedido demissão da emissora, após quase 1 ano na equipe do programa.[47]

Entretenimento[editar | editar código-fonte]

Em seus primeiros anos, a programação da TV Aratu abria mais espaço para os programas de entretenimento, em contraponto a sua rival TV Itapoan, que focava mais em programas jornalísticos. David Raw foi o primeiro diretor de programação da emissora, e também produtor de alguns dos seus programas.[48] Entre as décadas de 1970 e 1980, atrações como Som 4, produzido e apresentado por Carlos Borges, e TV Mulher eram destaques na programação da TV Aratu. “Tia Arilma” comandava o Recreio, programa de auditório dedicado ao público infantil, similar ao Parquinho exibido na TV Itapoan, que também havia sido apresentado por ela. A emissora exibia durante os intervalos comerciais o boletim Aratu Arte, que informava notícias sobre o meio artístico e eventos culturais em Salvador, e que ficou no ar até meados da década de 2000.

Do fim da década de 1980 até os anos 2000, a emissora expandiu a sua programação local e criou várias atrações. Estrearam programas como o infantil Via Láctea, apresentado por Emanuelle Araújo, ficando no ar de 1989 até 1991;[49] Di Moda, apresentado pelo estilista Di Paula, que ficou no ar entre 1991 e 2006; Papo Show, com Andrezão Simões; Aratu & Você com Murilo Leite; Sobe Som, com o cantor Belo; Realizando Sonhos com Cláudio Luís, Se Liga no Pida! com Léo Sampaio, que estreou em agosto de 2003, dentre vários outros.

Em 2010, estreou o programa Universo Axé, apresentado por Alex Lopes, dedicado ao ritmo musical baiano e também a outros ritmos populares. Em 1.º de maio, reestreou aos sábados o game show Quem Sabe Mais?, apresentado por Henrique Carballal, que já havia ido ao ar na década de 1980. O programa deixou de ser exibido em 2012, após Carballal deixar a emissora para se candidatar a vereador pelo município de Salvador.

Em 15 de janeiro de 2012, a emissora estreou O Trio Reality, primeiro reality show da televisão baiana, onde seis participantes (Rosiane Pinheiro, Guga de Paula, Léo Kret, Rianne Ferreira e os anônimos Ana Célia e Werles Pajjero) ficaram confinados dentro de um trio elétrico durante um mês.[50][51] A vencedora da única edição do reality show, que terminou em 12 de fevereiro, foi a cantora Rosiane Pinheiro.[52]

Em 30 de julho, com o lançamento da nova programação da TV Aratu, estreou o programa infantil Clube da Alegria, apresentado por Carla Perez,[53] e no fim de semana, em 4 de agosto, estreou o programa Chegue Mais, apresentado por Daniela Prata, sobre o universo feminino.[32]

Em 16 de maio de 2015, estreou o programa Dendê na Mochila, apresentado por Matheus Boa Sorte, que mostrava viagens e reportagens especiais sobre o estado e também fora dele.[54] Em 7 de novembro, o Chegue Mais passou a ser apresentado por Lise Oliveira, após a demissão de Daniela Prata.[55][38]

Em 22 de fevereiro de 2016, os programas da emissora ganham novos cenários e são reformulados. No mesmo dia, estreou o programa Tudo Novo, apresentado por Darino Sena, vindo da TV Bahia.[56] Em 27 de maio, o Clube da Alegria entra em um período de recesso, tendo seu espaço ocupado pelo Que Venha o Povo, que ganha mais 15 minutos de duração. O programa reestreou em 30 de julho, aos sábados, tendo sua duração ampliada para 60 minutos.

Em 6 de março de 2017, o Universo Axé estreou um novo formato, que dava mais ênfase ao entretenimento além das participações musicais. O programa também mudou de nome, passando a se chamar apenas de Universo.[57] Em 27 de maio, Carla Perez decide deixar o Clube da Alegria, devido a morte da sua diretora, Celisa Felicidade, além da falta de patrocinadores em razão da crise econômica. O programa chegou a ser anunciado como extinto com a sua saída,[58] porém continuou no ar, sob o comando de apresentadores mirins.

Em 7 de agosto de 2018, em função de uma reestruturação financeira, a TV Aratu demitiu o apresentador Darino Sena e outras duas produtoras do programa Tudo Novo, que saiu do ar em 30 de agosto. Com isso, os jornalísticos Que Venha o Povo e Ronda ganharam mais tempo de duração para preencher os 45 minutos da antiga atração.[59] Em 14 de setembro de 2019, estreou aos sábados o programa Mais Estilo, apresentado por Lise Oliveira, direcionado a pautas de moda e gastronomia, permanecendo no ar até 24 de abril de 2021. Em 13 de junho de 2020, foi ao ar pela última vez o Dendê na Mochila, após o apresentador Matheus Boa Sorte deixar a emissora em 17 de junho.[60]

Em 1.º de maio de 2021, a emissora estreou aos sábados o Aratu Tá On, revista eletrônica que passou a reunir quadros, entrevistas e conteúdos de bastidores feitos exclusivamente para o portal Aratu On.[61] Em 8 de maio, estreou o programa de variedades Ame a Bahia, apresentado por Dudu Barros, que era uma parceria entre a emissora e a empresa financeira Ame Digital.[62]

Em 21 de maio de 2022, o Chegue Mais passou a ser comandado pela então repórter Priscilla Pires, após a demissão de Lise Oliveira, que conciliava o programa junto com o Aratu Notícias.[46] Em 11 de junho de 2022, foi exibido pela última vez o infantil Clube da Criança, que deixou a programação após 10 anos no ar.[63]

Transmissões esportivas[editar | editar código-fonte]

Equipe de transmissão
  • Rainan Peralva e Manuela Avena, narração;
  • Emerson Ferretti, comentários;
  • Fábio Gomes, reportagens;

Em 30 de outubro de 2017, o SBT firmou acordo com a Liga do Nordeste para a transmissão da Copa do Nordeste de Futebol em suas afiliadas na região, a partir da temporada 2018.[64] A TV Aratu possui direito a transmissão de jogos selecionados, além de partidas envolvendo clubes baianos na competição, como o título do Bahia na competição em 2021. Dentre os profissionais que comandaram as transmissões, estavam nomes como Pedro Canísio, Darino Sena, Matheus Carvalho, Rainan Peralva e Manuela Avena (primeira narradora da história da competição na TV).[65][66]

Transmissões especiais[editar | editar código-fonte]

Carnaval[editar | editar código-fonte]

Cinegrafista da TV Aratu (de camisa verde) registra a apresentação do Chiclete com Banana no circuito Campo Grande, em 2012

Durante o mês de fevereiro ou março, a emissora faz a cobertura anual do Carnaval de Salvador, dedicando boa parte da programação a exibição dos blocos e trios elétricos que desfilam nos circuitos Campo Grande e Barra-Ondina. A TV Aratu foi a primeira emissora a transmitir o carnaval de Salvador em rede nacional em conjunto com a Rede Manchete no especial Carnaval Axé em 1993,[67] e também foi a primeira a transmiti-lo em alta definição em 2010. Até este ano, a emissora exibia a festa no especial Aratu Folia. Desde 2011, a emissora passou a ser parceira do SBT na cobertura do carnaval em rede nacional, e substituiu o especial pelo SBT Folia.[68]

Festas juninas[editar | editar código-fonte]

Além da tradicional cobertura das festas juninas durante o mês de junho, a emissora promove desde 1989 o Arraiá do Galinho, que realiza shows com vários artistas locais e um concurso de quadrilhas, realizado desde 1991.[69] A emissora também exibe o especial São João da Tradição, em conjunto com as afiliadas do SBT na Região Nordeste.

Retransmissoras[editar | editar código-fonte]

Lista de retransmissoras
Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital
Alagoinhas 06 25 Alcobaça 13 - Amargosa 09 - Anagé 04 -
Aporá 06 25* Aracatu 08 - Araci 06 - Baixa Grande 10 -
Barra 13 26* Barra da Estiva 06 25* Barra do Mendes 13 - Barra do Rocha 06 -
Barreiras 13 25* Boa Nova 09 - Bom Jesus da Lapa 06 25* Bonito 06 -
Boquira 11 - Botuporã 04 - Brejões 05 - Brotas de Macaúbas 05 -
Brumado 11 26* Buerarema 10 - Buritirama 03 - Caatiba 06 -
Caetité 12 26* Camamu 07 - Campo Formoso 09 - Canavieiras 08 -
Cândido Sales 06 - Capela do Alto Alegre 13 - Caravelas 09 - Carinhanha 06 -
Catu 27 25* Coaraci 21 - Conceição do Coité 10 - Condeúba 11 -
Correntina 11 - Cotegipe 11 - Cristópolis 13 - Encruzilhada 04 -
Entre Rios 07 - Érico Cardoso 05 - Esplanada 09 25* Euclides da Cunha 04 -
Eunápolis 13 26* Feira de Santana - 03 (25) Floresta Azul 06 - Gandu 04 -
Glória 07 - Guanambi 07 25* Guaratinga 10 - Iaçu 03 26*
Ibicuí 10 - Ibiquera 07 - Ibirataia 13 - Ibitiara 11 -
Ibotirama 09 25* Igaporã 10 - Ilhéus 07 26* Inhambupe 36 -
Ipiaú 16 - Ipirá 07 - Iraquara 13 - Irecê 10 26*
Itaberaba 12 25* Itabuna 48 25* Itaetê 10 - Itagi 07 -
Itagimirim 06 - Itaju do Colônia 11 - Itamaraju 10 26* Itamari 11 -
Itambé 35 - Itapebi 06 - Itapetinga 06 - Itapicuru 11 -
Itaquara 08 - Jacaraci 04 - Jacobina 11 26* Jaguaquara 13 -
Jaguarari 07 - Jaguaripe 04 - Jandaíra 13 - Jequié - 25
Jitaúna 13 - Juazeiro - 04 (39) Laje 11 - Lençóis 07 -
Luís Eduardo Magalhães 10 26* Macaúbas 03 - Mairi 06 - Maracás 09 -
Miguel Calmon 13 - Milagres 09 - Monte Santo 13 - Mucuri 05 -
Mundo Novo 09 25* Muritiba 04 - Mutuípe 11 - Nova Canaã 04 -
Nova Ibiá 13 - Nova Itarana 09 - Nova Soure 13 - Palmeiras 06 -
Paramirim 13 25* Pau Brasil 13 - Paulo Afonso 07 39* Pilão Arcado 09 -
Piritiba 06 - Planaltino 10 - Poções 16 - Porto Seguro 07 26*
Prado 09 - Quixabeira 11 - Remanso 11 - Riachão do Jacuípe 15 -
Ribeira do Pombal 08 26* Rio Real 38 - Ruy Barbosa 13 26* Santa Maria da Vitória 08 -
Santaluz 06 - Santana 04 25* São Desidério 07 - São Félix do Coribe 04 -
Sátiro Dias 10 - Seabra 09 - Senhor do Bonfim 13 26* Serra do Ramalho 12 -
Serrinha 09 26* Sítio do Mato 06 - Tanhaçu 04 - Tapiramutá 02 -
Teixeira de Freitas 27 - Teolândia 13 - Tucano 10 - Uauá 04 -
Ubaíra 09 - Ubaitaba 10 - Ubatã 03 - Uibaí 11 -
Una 04 - Urandi 04 - Uruçuca 04 - Utinga 07 -
Valente 10 - Vitória da Conquista - 13 (47) Wanderley 02 - Wenceslau Guimarães 10 -
Xique-Xique 05 25*
* - Em implantação

Slogans[editar | editar código-fonte]

  • 1969–1980; 2008–2013: Salvador, meu amor, Bahia
  • 1973: A liderança colorida (início da transmissão a cores)
  • 1980–2008: Do 4 eu não saio
  • 2013–2015: #Compartilhe (campanha da rede)
  • 2015–2018: Tem Bahia, tem você
  • 2018–presente: Aratu é o canal

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

A TV Aratu tem seu jornalismo retratado em algumas cenas do filme Tenda dos Milagres (1977), quando a imprensa baiana cobre a visita do personagem Dr. James Dean Livingstone, antropólogo americano influenciado pelo personagem principal, Pedro Archanjo, e todos os desdobramentos referentes ao resgate e reconstituição histórica do seu legado.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Suspensão do programa Na Mira[editar | editar código-fonte]

Desde a sua criação em 2008 e sua saída do ar em 2015, o programa policial Na Mira foi alvo de várias críticas da sociedade baiana em razão do conteúdo exibido, juntamente com as várias denúncias de violações dos direitos humanos, como exposição de cadáveres, sentenciamento ilegal, entre outros.[70] Em 15 de abril de 2009, após os promotores Almiro Sena, da 2.ª Promotoria de Justiça da Cidadania e Isabel Adelaide de Andrade Moura, do Grupo de Atuação de Controle Externo da Atividade Policial moverem uma ação civil pública que foi acatada pelo juiz do Ministério Público, Manuel Bahia, o programa teve a sua exibição suspensa por “ser exibido em horário acessível à criança e ao adolescente, com cenas reprováveis e impróprias, o que viola o Estatuto da Criança e do Adolescente”. Caso a emissora não suspendesse a veiculação do programa, poderia ser multada em R$ 10.000,00 por cada dia de descumprimento.[71] Outro programa da emissora, o Que Venha O Povo, também foi investigado pelo mesmo problema.[72] A direção da TV Aratu reuniu-se com os promotores e se comprometeu a adotar mudanças no programa após firmar um Termo de Ajustamento de Conduta. A suspensão do Na Mira foi cancelada em 17 de abril.[73]

Rivalidade entre cantores no Universo Axé[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro de 2015, o programa musical Universo Axé foi palco de uma controvérsia entre o vocalista da banda Guettho é Guettho, Chiclete Ferreira, e o cantor Igor Kannário. O grupo musical era o convidado do programa naquele dia, onde estava prevista também uma matéria feita com Igor pelo apresentador Alex Lopes, que foi ao ar logo após a apresentação do Guettho é Guettho. Devido a uma rixa antiga entre Chiclete e Igor, o cantor e a banda decidiram abandonar o estúdio enquanto a matéria era exibida. O apresentador Alex Lopes teve que explicar a situação para os telespectadores, e revelou que nos bastidores foi contrário a decisão da direção da emissora de exibir a matéria no mesmo dia em que o grupo estaria se apresentando no programa.[74]

Direitos autorais[editar | editar código-fonte]

Em 21 de novembro de 2016, a emissora chamou a atenção da imprensa por transmitir ao vivo trechos sem autorização da partida de futebol entre Corinthians e Internacional, válida pelo Campeonato Brasileiro de Futebol durante o Aratu Notícias, utilizando imagens do SporTV, notadamente pirateadas da internet. A Globosat, mantenedora do canal, estuda um processo contra a TV Aratu, já que este “roubo de sinal” foi inédito na televisão brasileira.[75]

Agressão à jornalista Ticiane Bicelli[editar | editar código-fonte]

Em 16 de junho de 2017, enquanto gravava uma matéria sobre a cobrança para o uso dos banheiros no Mercado do Peixe, localizado na Cidade Baixa em Salvador, a repórter Ticiane Bicelli e o cinegrafista Liberato Santana foram agredidos por duas mulheres que tentaram impedir a filmagem do local, com chutes, arranhões e mordidas. As duas foram levadas para a Central de Flagrantes, onde a repórter prestou queixa e fez um exame de corpo de delito. O Sindicato do Comércio Varejista de Feirantes e Ambulantes de Salvador (SINDIFEIRA) disse que aquele era um fato isolado e iria apurar a agressão, e o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (SINJORBA) repudiou o ocorrido.[76]

Referências

  1. a b c Vasku, Monica (15 de março de 2015). «TV Aratu 46 anos: de Pedro Bial a Carla Araujo; conheça a história da emissora». Aratu Online. Consultado em 29 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 9 de março de 2016 
  2. «TV Aratu - 10 anos». YouTube. 15 de março de 2013. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  3. Cadena, Nelson (25 de julho de 2011). «O filme dos 10 anos da TV Aratu». Almanaque da Comunicação. Consultado em 28 de novembro de 2018. Arquivado do original em 6 de março de 2016 
  4. a b Santos, Luiz Carlos (1992). «CPI - NEC: Relatório Final» (PDF). Câmara dos Deputados do Brasil. Daniel Herz. p. 36. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  5. a b c d «TV Globo ganha ação contra Aratu». O Globo: 5. 23 de fevereiro de 1988. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  6. «[Sem título]». O Globo: 11. 24 de dezembro de 1986. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  7. «Deputados baianos vão a Sarney denunciar Magalhães». Folha de S.Paulo: A-6. 14 de janeiro de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  8. «Diretor da TV Aratu diz que liminar garante a programação da Rede Globo». Folha de S.Paulo: A-4. 16 de janeiro de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  9. «Globo impetra mandado de segurança para anular liminar concedida à Aratu». Folha de S.Paulo: A-4. 23 de janeiro de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  10. «Justiça dá à TV Globo direito de transmitir imagens para a TV Bahia». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 12. 24 de janeiro de 1987. Consultado em 16 de dezembro de 2021 
  11. «Disputa leva duas TVs a transmitir a Globo na Bahia». Folha de S.Paulo: A-4. 24 de janeiro de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  12. «TV Aratu deixa de transmitir imagens da Globo na Bahia». Folha de S.Paulo: A-5. 27 de janeiro de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  13. «TV Aratu encerra a transmissão da Globo». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 7. 27 de janeiro de 1987. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  14. «TV Aratu recupera retransmissão da Globo». Folha de S.Paulo: A-4. 1 de abril de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  15. «Baianos têm a Globo em dois canais e ficam sem ver "Corpo Santo"». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 16. 2 de abril de 1987. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  16. «Baianos voltam a ver programas da Manchete». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 8. 6 de abril de 1987. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  17. «Na Bahia, emissão da Globo volta para ACM». Folha de S.Paulo: A-6. 7 de julho de 1987. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  18. «Briga de TV baiana pela Globo faz Manchete sumir». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 5. 7 de julho de 1987. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  19. Dias, Maurício (21 de abril de 1996). «Informe JB: Aratu punida». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: 6. Consultado em 16 de dezembro de 2021 
  20. «Painel - Negócio fechado». Folha de S.Paulo: A-4. 9 de junho de 1988. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  21. Lopes, Roberto (11 de junho de 1988). «Adversário de Antônio Carlos na Bahia fica com 30% da TV Aratu». Folha de S.Paulo: A-4. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  22. a b Gramacho, Wladimir (3 de junho de 2001). «Parceria de ACM com a Rede Globo está sob ameaça». Folha de S.Paulo. Consultado em 11 de abril de 2017 
  23. Leal, Luciana Nunes (12 de setembro de 1995). «(sem título)». Jornal do Brasil. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  24. Batista, Affonso (23 de abril de 2008). «Reforço na Comunicação». Camaçari Fatos e Fotos. Consultado em 16 de dezembro de 2021 
  25. «TV Aratu inicia transmissão do sinal digital». Aratu Online. 2 de dezembro de 2009. Consultado em 29 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 7 de dezembro de 2009 
  26. «Aulas na TV aberta para alunos da rede municipal começam nesta terça (30). Confira a programação». Prefeitura de Salvador. 29 de junho de 2020. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  27. «Desligamento do sinal analógico é adiado em MG, BA, CE e SP; confira novo cronograma». G1. 30 de maio de 2017. Consultado em 31 de maio de 2017 
  28. «Saída de Bocão da TV Aratu ainda é um mistério». Radar 64. 27 de dezembro de 2007. Consultado em 26 de março de 2019 
  29. Luzbel, Ricardo (27 de novembro de 2008). «TV Aratu tira No Campo do 4 do ar». Bahia Notícias. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  30. José, Geraldo (26 de maio de 2010). «O Sistema é Bruto: Uziel Bueno deixa a TV Aratu e o Na Mira». Blog do Geraldo José. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  31. «TV Aratu anuncia volta do No Campo do 4 e contratação de Preto». Jornal da Mídia. 5 de julho de 2012. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  32. a b Figueiredo, Fernanda (26 de julho de 2012). «TV Aratu estreia novos cenários, programas e horários nesta segunda». Bahia Notícias. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  33. Albuquerque, Rafael (11 de outubro de 2013). «Record Bahia acaba de contratar Analice Salles, apresentadora do Na Mira». Bahia Notícias. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  34. «Novidade na TV Aratu: Sílvio Mendes substitui Analice Sales no comando do "Na Mira"». Varela Notícias. 16 de outubro de 2013. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  35. Vaquer, Gabriel (28 de agosto de 2015). «Bahia: Programa "Na Mira" é cancelado pela TV Aratu/SBT». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  36. «Baixa audiência faz TV Aratu encerrar programa Na Mira e afastar Silvio Mendes». Metro1. 28 de fevereiro de 2015. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  37. Vaquer, Gabriel (4 de outubro de 2015). «BA: De surpresa, TV Aratu estreia jornal policial "Ronda" nesta segunda». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  38. a b Falcão, Diego (8 de novembro de 2015). «BA: TV Aratu/SBT dispensa apresentadora e jornalista Daniela Prata». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  39. «TV Aratu integra toda a programação e lança novidades para 2016». NaTelinha - UOL. 20 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  40. «Bahia: TV Aratu/SBT estreia novos programas nesta segunda; veja fotos». NaTelinha - UOL. 22 de fevereiro de 2016. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  41. Vaquer, Gabriel (1 de dezembro de 2016). «TV Aratu/SBT cancela programa "Bom Dia Bahia" e dispensa apresentadora». NaTelinha - UOL. Consultado em 10 de dezembro de 2016 
  42. Martins, James (10 de dezembro de 2016). «Fim repentino do programa de Rita Batista gera protestos na internet». Bahia.ba. Consultado em 10 de dezembro de 2016 
  43. Luiz, Bruno (14 de julho de 2017). «Apresentadora do Aratu Notícias, Carla Araújo é demitida da emissora». Bahia Notícias. Consultado em 26 de julho de 2017 
  44. Renó, Julia (30 de julho de 2021). «Afiliada do SBT prepara noticiário diário com 5 apresentadores». Comunique-se. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  45. «Autoridades e celebridades participaram da estreia da Cidade Aratu». Aratu On. 2 de agosto de 2021. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  46. a b Ribeiro, Marcela (16 de maio de 2022). «Apresentadora do SBT é surpreendida com demissão: "Não foi uma justificativa satisfatória"». NaTelinha - UOL. Consultado em 18 de maio de 2022 
  47. «Apresentadora Lívia Calmon pede demissão da TV Aratu». Bahia Notícias. 1 de julho de 2022. Consultado em 3 de agosto de 2022 
  48. Spannenberg, Ana Cristina; Aragão, Joana Maltez de; Ferreira de Menezes, Juliana Cíntia; Santos, Lourivânia Soares (Julho de 2012). «Do ceticismo à consolidação: a TV na Bahia» (PDF). Notas sobre a primeira década de televisão em Salvador. Revista Brasileira de História da Mídia. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  49. «Emanuelle Araújo». Purepeople. Consultado em 26 de janeiro de 2020 
  50. «TV Aratu anuncia reality show dentro de Trio Elétrico». Metro1. 16 de dezembro de 2011. Consultado em 28 de novembro de 2018. Arquivado do original em 11 de março de 2016 
  51. Maia, Gustavo (17 de janeiro de 2012). «O Trio, primeiro reality show feito na Bahia, estreia dando o que falar». NE10. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  52. Figueiredo, Fernanda (13 de fevereiro de 2012). «Rosiane Pinheiro é a vencedora de 'O Trio Reality'». Bahia Notícias. Consultado em 28 de novembro de 2018 
  53. Martinez, Léo (3 de julho de 2012). «Programa infantil de Xuxa é reeditado por Carla Perez: 'Presente de Deus'». Ego. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  54. «Matheus Boa Sorte estreia novo programa de turismo com bastante diversão e aventura na TV Aratu». Aratu Online. 11 de maio de 2015. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  55. Vaquer, Gabriel (9 de novembro de 2015). «BA: Lise Oliveira assume programa "Chegue Mais", da TV Aratu/SBT». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  56. Rebouças, Vinícius; Brinco, Henrique (3 de dezembro de 2015). «Darino Sena pede demissão da TV Bahia; saiba detalhes». Varela Notícias. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  57. «AGORA, AO VIVO: Novo programa 'Universo' estreia hoje na grade da TV Aratu». Aratu Online. 6 de março de 2017. Consultado em 10 de abril de 2017 
  58. «Carla Perez anuncia fim do 'Clube da Alegria': 'a vida é feita de ciclos'». Correio. 27 de maio de 2017. Consultado em 31 de maio de 2017 
  59. Vaquer, Gabriel (7 de agosto de 2018). «BA: TV Aratu/SBT dispensa Darino Sena; canal faz reestruturação financeira». Observatório da Televisão. Consultado em 13 de setembro de 2018 
  60. Freitas, Amanda de (17 de junho de 2020). «Após quase 7 anos, Matheus Boa Sorte confirma saída da TV Aratu». A Tarde. Consultado em 11 de setembro de 2020 
  61. «Aratu Tá On: com notícias, bastidores e memes, programa do Aratu On estreia neste sábado na TV». Aratu On. 30 de abril de 2021. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  62. Rodrigues, Uran (6 de maio de 2021). «Dudu Barros apresenta o Ame a Bahia na TV Aratu». Uran Rodrigues. Consultado em 2 de agosto de 2021 
  63. «Com "memórias de felicidade", último episódio do Clube da Alegria vai ao ar neste sábado; confira». Aratu On. 10 de junho de 2022. Consultado em 11 de junho de 2022 
  64. Falcheti, Fabrício (31 de outubro de 2017). «Oficial: Com suporte da rede, afiliadas do SBT adquirem direitos da Copa do Nordeste 2018». NaTelinha - UOL. Consultado em 31 de outubro de 2017 
  65. Vaquer, Gabriel (2 de março de 2020). «SBT escala, e Copa do Nordeste terá narração feminina na TV pela 1ª vez». UOL. Consultado em 11 de setembro de 2010 
  66. «Pela primeira vez na história, final do Nordestão terá voz feminina na narração». A Tarde. 31 de julho de 2020. Consultado em 11 de setembro de 2010 
  67. «Uma cobertura com tempero baiano». Biblioteca Nacional do Brasil. Jornal do Brasil: TV, 28. 20 de fevereiro de 1993. Consultado em 12 de junho de 2022 
  68. «SBT realiza coletiva e apresenta oficialmente o "SBT Folia"». NaTelinha - UOL. 16 de fevereiro de 2011. Consultado em 12 de junho de 2022 
  69. «TV Aratu lança documentário sobre Galinho e anuncia atrações deste ano». Bahia Notícias. 28 de abril de 2022. Consultado em 12 de junho de 2022 
  70. Caribé, Pedro (3 de setembro de 2010). «Programas violam direitos humanos». Observatório da Imprensa. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  71. Ramos, Cleidiana (16 de abril de 2009). «Justiça suspende programa Na Mira». A Tarde. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  72. «Juiz acata pedido do MP e determina suspensão do programa Na Mira». JusBrasil. 15 de abril de 2009. Consultado em 20 de setembro de 2016 
  73. «Programa "Na Mira" tem suspensão cancelada». A Tarde. 17 de abril de 2009. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  74. Vaquer, Gabriel (4 de setembro de 2015). «Banda abandona programa ao vivo por rixa com cantor na Bahia; entenda». NaTelinha - UOL. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 
  75. Vaquer, Gabriel (24 de novembro de 2016). «Globosat estuda processo contra afiliada do SBT por exibição ilegal de jogo». NaTelinha - UOL. Consultado em 9 de dezembro de 2016 
  76. Moura, Andrezza (16 de junho de 2017). «Repórter e cinegrafista são agredidos durante reportagem em Salvador». A Tarde. Consultado em 28 de novembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]