Belo (cantor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Belo
Belo no programa Vai, Fernandinha em 2019
Nascimento Marcelo Pires Vieira
22 de abril de 1974 (45 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Viviane Araújo (c. 1998–2007)
Gracyanne Barbosa (c. 2011)
Ocupação
Período de atividade 1993–presente
Carreira musical
Gênero(s)
Instrumento(s)
Gravadora(s) EMI (2000–03)
Sony BMG (2004–08)
Sony Music (2009–presente)
Afiliações
Página oficial
http://www.cantorbelo.net

Marcelo Pires Vieira (São Paulo, 22 de abril de 1974), mais conhecido pelo seu nome artístico Belo, é um cantor e compositor brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Belo teve no início de sua carreira a participação do Grupo Beira Rio do Campanário em Diadema em 1992, na época o Belo era cavaquinista e não cantava ainda. Belo foi cavaquinista em vários grupos paulista e fez abertura de shows para várias bandas: Arte Final, Reinaldo, Art Popular, J.B. Samba, entre outras. A partir de 1993, a convite de um amigo de infância, Robson Buiú, integrou o grupo Soweto, com o qual foi líder, gravou três discos e realizou shows pelo Brasil e exterior.

Em 1996, por um selo independente o grupo lançou o CD “Ventos areais”. No ano seguinte, contratados pela EMI Music, gravaram o CD “Refém do coração”, que chegou a vender cerca de um milhão de cópias, lançando nacionalmente o grupo. Belo também participou de gravações com outros artistas, como Ivete Sangalo e Neguinho da Beija-Flor. Com este, gravou o sucesso “Ângela”, cuja regravação vendeu 500 mil cópias em todo o país.

Em 1999, a presidência da Escola de Samba Beija-Flor convidou-o a puxar o samba-enredo da escola ao lado de Neguinho da Beija-Flor. No mesmo ano, o disco que lançou com o Soweto, “Farol das estrelas”, vendeu um milhão e meio de cópias.

Em 2000, o conjunto saiu em turnê por Portugal e África. Neste mesmo ano, lançou seu primeiro trabalho solo, o CD “Desafio”, pela gravadora EMI. A música "Tua boca" foi tema da novela "O Cravo e a Rosa", da Rede Globo; "Desafio", outro sucesso do disco, destacou-se nas rádios. O disco vendeu mais de um milhão de cópias, ganhando o "Disco de Platina Duplo".

Em 2001, ao lado de Dhema, Os Morenos e da bateria da Mocidade Independente de Padre Miguel, participou do show de réveillon na Praia do Recreio, no Rio de Janeiro. Neste mesmo ano, lançou "Belo Ao Vivo". O CD vendeu cerca de um milhão de cópias e com ele ganhou mais uma vez o disco de platina. Neste disco incluiu alguns sucessos de seu antigo grupo Soweto e outros de sua carreira solo, além das composições "Lambada de serpente" (Djavan e Cacaso), "Resumo de felicidade" e " "Viver por ela" (Belo e M. Martinez e Felipe Bravo). O CD contou com as participações especiais de Nando da Silva (baixo) e Serginho de Lima (teclado), ambos do grupo Roupa Nova e vendeu em apenas quatro meses 500 mil cópias.

Em 2002 lançou o CD "Valeu Esperar", disco no qual incluiu as inéditas "Figurino","Do meu jeito", "Abrigo" (Délcio Luiz e Aloysio Reis), "Viver por ela" (Belo e M. Martinez e Felipe Bravo), "Todo cuidado é pouco", "Vício", "Tarde demais" e a faixa-título "Valeu esperar" e ainda, visando o mercado latino, a regravação de "Romance rosa", versão de Aloysio Reis e José G. Guerra para "Bachata rosa" de Juan Luís Guerra, grande sucesso de Luís Miguel. 

Em 2003 acompanhado do grupo Tentassamba, fez show de lançamento de seu CD no Via Show, no Rio de Janeiro. Lançou, pela EMI, a coletânea “Romance Rosa”, que reúne os maiores sucessos do cantor

Em 2004 lançou, pela Sony, o CD “Seu Fã”, de cuja gravação Ao vivo foi lançada no ano seguinte. No ano de 2006 a EMI lançou a coletânea “Procura-se um Amor”, com os sucessos do cantor depois que passou a seguir carreira solo. Nesse mesmo ano lançou o CD “Belo”, que contou com 16 faixas, dentre as quais “Vem”, “Nada vai separar”, “Pra ver o sol brilhar”. 

Em 2007 a Som Livre lançou a coletânea “100% Belo”, com músicas da época em que era líder da banda Soweto e de sua carreira solo. Em 2008, gravou o CD/ DVD “Pra Ver o Sol Brilhar Ao vivo”, em show realizado no Centro de Eventos Fenadoce, no Rio de Janeiro, que contou com as participações especiais de Alcione, Perlla, Negra Li, Mano Brown, Flávia Santana e Racionais MCs.

Em 2009 lançou o CD “Primavera”, com arranjos de Jota Moraes e Serginho Trombone e produção de Prateado.[2] No mesmo ano foi lançado o DVD “Pra Ver o Sol Brilhar”.[3] Em 2010 lançou, pelo selo Sony & BMG, o CD “Pra ser amor”. Produzido por Prateado, o disco contou com a participação de Jorge Vercillo em “Tanta ira” (Prateado e Luiz Carlos Picolé) e Marina Elali em “Pra ser amor”.

Em 2011 apresentou-se na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, em show realizado pela radio FM O Dia. Nesse mesmo ano lançou, pelo selo Sony & BMG o CD/DVD “10 Anos de Sucesso - Ao Vivo em Salvador”, gravado no parque aquático Wet’n Wild, em Salvador, Bahia.[4] Com direção musical de Prateado, o show contou com a participação de Daniela Mercury, em “Pétala” (Djavan); Padre Marcelo Rossi, em “Noites traiçoeiras” (Simone Telésforo e Carlos Papae) e “Hoje livre sou” (Walmir Alencar e Rodrigo Pires); Marina Elali, em “Coisas da vida” (Belo, Fabiano dos Anjos e Rodrigo Rodrigues).[5]

Em 2012 apresentou-se no palco do Citibank Hall, no Rio de Janeiro, em show de lançamento do DVD “10 Anos de Sucesso”. Em 2013 lançou, pelo selo Sony Music, o CD “Tudo Novo", que produziu ao lado de Pezinho. O disco contou com as faixas “Menina linda” (Jefferson Junior e Umberto Tavares), “Mundo de paz” (Chiquinho dos Santos e Helder Celso), “Olhando os retratos” (Alexandre Lucas e Douglas Lacerda), “Teu Refém” (Billy SP e André Lemos), “Nos desejos de uma paixão” (Altay Veloso e Délcio Ruiz), entre outras. Em 2015 lançou, pela Sony Music, o CD "Mistério", onde teve a parceria de Jefferson Junior e Umberto Tavares.[6][7] O disco teve grandes sucessos como "Porta Aberta", "Tatuagem", "Montanha Russa" e participação especial de Ivete Sangalo no hit "Linda Rosa" e Thaeme & Thiago, na musica "Até o Sol não Nascer Mais".[8] Em 2018 foi lançado o álbum ''De Alma Aberta.[9]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

De 1991 a 1997 foi casado com Odir, com quem teve 4 filhos: Ingrid, Arthur, Paula e Isadora.[10] Em 1998 casou-se com Viviane Araújo, de quem se separou em 2007, após nove anos de união.[11] Nesse mesmo ano começou a namorar Gracyanne Barbosa, quem foi morar junto em poucos meses juntos.[12] Ambos casaram-se civilmente em 2011, e religiosamente em 2012.[13][14]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Em 1999, o ex-jogador Denílson comprou os direitos do grupo Soweto, no qual Belo era vocalista. Em 2000, o cantor decidiu sair da banda e seguir carreira solo, e Denilson o processou acusando-o se quebra de contrato, passando a cobrar a dívida através das suas redes sociais.[15] Contudo, Belo o processou por te-lo chamado de caloteiro e o exposto publicamente, mas teve o pedido negado pela justiça e determinado que ele pagasse a dívida para o ex-jogador.[16][17]

No ano de 2003, em plena turnê de divulgação de seu novo disco, foi condenado a seis anos de prisão por tráfico de drogas e associação para fins de tráfico pela juíza da 34ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. Cumpriu quatro dos seis anos de prisão e teve a pena extinta pela Justiça em 2010.[18] Sempre evitando falar sobre esse assunto, em 2015 durante uma entrevista, o cantor falou pela primeira vez sobre:

“Sou e sempre fui inocente. Fui preso por tráfico de drogas sem nunca ter sido pego nem sequer ter experimentado qualquer droga“[19]

Em 2011, durante uma investigação da Polícia Federal, Belo foi acusado de fazer parte de uma máfia de contrabando, onde comprava carros de luxo para fazer lavagem de dinheiro.[20]

Em 2013, ele e mais sete pessoas da sua produção, foram acusados de estelionato e formação de quadrilha, sendo investigados pela polícia cívil suspeitos de aplicar um golpe na empresa Táxi Aéreo Poty, que havia sido contratada para levá-los de Teresina para Recife (PE) em quatro aeronaves de pequeno porte. Segundo informações, os três cheques usados para pagar o serviço no valor total de 87.000 reais teriam sido sustados antes da compensação.[21] No entanto, a assessoria de imprensa de Belo se pronunciou dizendo:

“O cantor Marcelo Pires Vieira, nome artístico ‘Belo’, através de sua assessoria, vem a público, em razão das notícias publicadas sobre possível ‘golpe’ aplicado pelo cantor na empresa de taxi aéreo Poty da Cidade de Teresina, esclarece que: o artista jamais esteve envolvido diretamente em qualquer negociação envolvendo a contratação de empresa aérea para deslocamento, não tendo, inclusive, repassado nenhum cheque em seu nome.

Outrossim, informa que, quem cuida de todos os preparativos do seu espetáculo, podendo exemplificar, desde o transporte, hospedagens, alimentação etc., é sua produção.

Realmente o cantor Belo deslocou-se em aeronaves da empresa de taxi aéreo Poty. É do conhecimento do artista que o pagamento do deslocamento está sendo realizado, sob a égide de uma confissão de dívida.

O cantor também lamenta as declarações e divulgações em razão da inexistência dos fatos, admitindo-se, única e exclusivamente, se existiu, um desacordo comercial“

Em 2016, depois de faltar a um dos shows do grupo "Gigantes do Samba" e não dar explicações, Belo foi expulso do grupo por falta de compromisso. Mas Belo se defendeu dizendo que não sabia do show.[22] O grupo era formado por ele, Luiz Carlos e Alexandre Pires.

Em 2017, foi acusado de inadimplência por Márcia Gomes, proprietária da casa em que ele morava com Gracyanne Barbosa em São Paulo. Ele alegou que a dívida já teria passado de 500 mil e o processou chamando-o de bandido.[23] Após essa acusação, a defesa de Belo disse que acionaria a Justiça pela ofensa, o cantor também se manifestou anunciando que ia pagar a dívida e deixar o imóvel.[24]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Desafio (2000)
  • Valeu Esperar (2002)
  • Seu Fã (2004)
  • Belo (2006)
  • Primavera (2009)
  • Pra Ser Amor (2010)
  • Tudo Novo (2013)
  • Mistério (2014)
  • De Alma Aberta (2018)

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

  • Belo - Ao Vivo (2001)
  • Seu Fã - Ao Vivo (2004)
  • Pra Ver o Sol Brilhar - Ao Vivo (2008)
  • 10 Anos de Sucesso - Ao Vivo em Salvador (2011)

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • Eu Sou O Samba: Belo (2006)
  • Belo: Seleção Essencial (2012)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Belo». www.purepeople.com.br (em bretão). Consultado em 21 de maio de 2019 
  2. «Belo lança oitavo álbum no começo de setembro». Extra Online. 22 de agosto de 2009. Consultado em 21 de maio de 2019 
  3. «Belo lança DVD 'Pra Ver o Sol Brilhar' no Canecão - Terra - Música». musica.terra.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  4. «Belo grava DVD que comemora 10 anos de sua carreira em Salvador». Jornal CORREIO | Notícias e opiniões que a Bahia quer saber. 9 de agosto de 2011. Consultado em 21 de maio de 2019 
  5. «Novo DVD do cantor Belo terá participação de Padre Marcelo Rossi». musica.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  6. EGO, Aline Nobre do; Rio, no. «Belo lança novo álbum e fala sobre planos para 2015: 'Quero ser pai'». Ego. Consultado em 21 de maio de 2019 
  7. «Belo apresenta som versátil e refinado». Gazeta Online. 7 de janeiro de 2015. Consultado em 21 de maio de 2019 
  8. «Em sua casa, no Rio, Belo fala sobre novo disco, "Mistério"». musica.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  9. «Belo estreia novo disco "De Alma Aberta"». Diário Carioca. 11 de maio de 2018. Consultado em 21 de maio de 2019 
  10. «Com quatro filhos e uma neta, Belo ainda não 'fechou a fábrica' e revela: 'Sou um pai chato e ciumento'». R7.com. 13 de agosto de 2016. Consultado em 21 de maio de 2019 
  11. «Belo e Viviane Araújo se separam, após nove anos de união - BOL Notícias». noticias.bol.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  12. «EGO - NOTÍCIAS - 'Eu sou dele e ele é meu', diz Gracyanne Barbosa sobre Belo». ego.globo.com. Consultado em 21 de maio de 2019 
  13. «Em segredo, Belo e Gracyanne Barbosa se casam em cartório». Terra. Consultado em 21 de maio de 2019 
  14. Rio, Eliane Santos e Léo Martinez Do EGO no. «Belo e Gracyanne Barbosa se casam no religioso em igreja do Rio». Ego. Consultado em 21 de maio de 2019 
  15. «Da amizade aos processos: a conturbada relação entre Denilson e Belo». esporte.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  16. «Belo processa Denilson por ser chamado de 'caloteiro'». VEJA.com. Consultado em 21 de maio de 2019 
  17. «Justiça condena Belo a pagar R$ 4,7 mi a Denilson». esportes.yahoo.com. Consultado em 21 de maio de 2019 
  18. «Quem - NOTÍCIAS - O cantor Belo é condenado a seis anos de prisão por tráfico». Revista Quem. Consultado em 21 de maio de 2019 
  19. «Belo abre o jogo e fala pela primeira vez sobre a prisão». Extra Online. Consultado em 21 de maio de 2019 
  20. «Prisão, inadimplência e outras ocorrências na vida do cantor Belo». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 21 de maio de 2019 
  21. «Belo é acusado de estelionato e formação de quadrilha». VEJA.com. Consultado em 21 de maio de 2019 
  22. «Belo se defende após expulsão do Gigantes do Samba II: 'Não sabia do show'». R7.com. 5 de outubro de 2016. Consultado em 21 de maio de 2019 
  23. «Belo é acusado de não pagar aluguel e proprietária desabafa: "Bandido"». Metrópoles. Consultado em 21 de maio de 2019 
  24. «Processado, Belo diz que vai pagar dívida de R$ 500 mil de aluguel e deixar imóvel». Extra Online. 30 de setembro de 2017. Consultado em 21 de maio de 2019