Racionais MC's

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Racionais MC's
Tipografia utilizada pelo grupo nos seus álbuns mais recentes.
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Rap, Rap alternativo, Hip hop
Período em atividade 1988 – atualmente
Gravadora(s) Zimbabwe, Cosa Nostra
Afiliação(ões) Jorge Ben Jor, Afro X, Detentos do Rap, Trilha Sonora do Gueto, Dexter, Rosana Bronk's, Facção Central, Rosana Bronks, Dom Pixote, U-Time, Banda Black Rio
Página oficial www.racionaisoficial.com.br
Integrantes Mano Brown
Edi Rock
Ice Blue
KL Jay

Racionais MC's é um grupo brasileiro de rap, fundado em 1988, e formado pelos mcs Mano Brown, Edi Rock e Ice Blue e o dj KL Jay.[1] É considerado por muitos como o grupo de hip hop mais relevante e influente do Brasil.[2] [3] [4] [5] [6]

Suas canções demonstram a preocupação em denunciar como a destruição da vida de jovens negros e pobres da periferia de São Paulo é resultado do racismo e do preconceito, ao sustentarem a miséria diretamente ligada com a violência e o crime.[7] [8] [9] Temas como a brutalidade da polícia, do crime organizado e do estado, bem como o preconceito, as drogas e a exclusão social são recorrentes nas letras do conjunto.[10] [11] [12]

Embora inicialmente conhecido apenas na capital paulista, o grupo conseguiu alcançar sucesso significativo a partir dos álbuns Raio X Brasil (1993), Sobrevivendo no Inferno (1997) e Nada como um Dia após o Outro Dia (2002).[1] [13]

História[editar | editar código-fonte]

Racionais MCs na Virada Cultural

Nascido no final da década de 1980, o nome do grupo foi inspirado no disco Racional de Tim Maia. A primeira gravação do grupo foi feita em 1988, quando o selo Zimbabwe Records lançou a coletânea Consciência Black, Vol. I.[3] Neste LP, apareceram os dois primeiros sucessos do grupo: "Pânico na Zona Sul" e "Tempos Difíceis". Ambas canções apareceriam dois anos depois em Holocausto Urbano, primeiro disco oficial do grupo e cujas letras denunciam o racismo e a miséria na periferia de São Paulo, marcada pela violência e pelo crime.[1]

Após esse álbum, os Racionais MC's tornaram-se bem conhecidos dentro da cena rap da periferia paulistana e da Grande São Paulo. Essa popularização fez com que os integrantes dos Racionais MC's passassem a desenvolver trabalhos especialmente voltados para comunidades pobres, dentre os quais um projeto criado pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo, em que o conjunto realizou palestras em escolas sobre drogas, racismo, violência policial entre outros temas. Também participariam nos anos seguintes de diversos concertos filantrópicos em benefício de HIV positivos, campanhas de agasalho e contra a fome, além de atuarem em protestos como o aniversário da Abolição dos Escravos no Brasil.

Em 1991, os Racionais MC's abriram o show do pioneiro Public Enemy, um dos mais famosos grupos de hip hop americano, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.[14] No final de 1992, foi lançado o segundo LP do grupo, Escolha seu Caminho.

Racionais MC's durante um show

No ano seguinte, o grupo participou do projeto "Música Negra em Ação", realizado no Teatro das Nações em São Paulo, e gravou o disco Raio x Brasil, terceiro disco do conjunto, lançado em uma festa na quadra da escola de samba Rosas de Ouro para um público estimado de 10 mil pessoas. Canções deste disco como "Fim de Semana no Parque" e "Homem na Estrada" (ambas de Mano Brown) fizeram grande sucesso em bailes de rap e nas rádios do gênero em todo o país.[1]

Principal atração do Rap no Vale, um concerto de rap realizado no final de 1994, no Vale do Anhangabaú (centro de São Paulo), e que terminou em confusão e quebra-quebra, os membros do grupo foram presos pela polícia sob acusação de incitação à violência - a violência policial é um tema frequente nas letras do grupo. Ainda naquele ano, a gravadora Zimbabwe lançou a coletânea Racionais MC's.

No final de 1997, foi lançado o disco Sobrevivendo no Inferno, pelo selo Cosa Nostra (do próprio grupo), que vendeu cerca de 500 mil cópias. Dentre os grandes sucessos deste álbum estão "Diário de um Detento", "Fórmula Mágica da Paz", "Capítulo 4, Versículo 3" e "Mágico de Oz". Com esse disco, os Racionais MC's deixaram de ser um fenômeno na periferia paulistana para fazer sucesso entre outros grupos sociais. Apesar disso, o grupo adotou uma postura antimídia. Um exemplo notório foi a cerimônia de premiação do Video Music Brasil, da MTV Brasil, quando a emissora teve muita dificuldade para levar o grupo para a premiação e Mano Brown ressaltou que a mãe havia lavado muita roupa pra '"playboy" pra fazê-lo chegar até ali.[1]

Em 2002, o grupo lançou Nada Como um Dia Após o Outro Dia, disco duplo que, assim como seu antecessor, foi bem recebido pela crítica. Entre os maiores sucessos estão "Vida Loka I", "Vida Loka II", "Negro Drama", "Jesus Chorou" e "Estilo Cachorro".

Racionais MC's em 2013

Quatro anos depois, o grupo lançou 1000 Trutas, 1000 Tretas, seu primeiro DVD.[2] Em 5 de maio de 2007, os Racionais fizeram um show na Virada Cultural de São Paulo, mas os fãs da banda entraram em confronto com os policiais, transformando o evento em um campo de batalha.[15]

Em 2012, o grupo lançou a musica "Mil Faces de um Homem Leal", composta para o documentário sobre a vida do guerrilheiro Carlos Marighella.[16] [17] Ainda naquele ano, eles participaram do MTV Video Music Brasil, tendo feito o show de encerramento do evento.[18]

Comemorando de 25 anos de carreira, o grupo realizou uma turnê por várias cidades do Brasil. A turnê foi produzida pela produtora oficial do grupo, a Boogie Naipe, e foi premiada como a melhor do ano pelo SuperJúri do Prêmio Multishow de 2014. O grupo anunciou no último dia 23 de outubro de 2014 o lançamento de um novo álbum de estúdio para o dia 20 de dezembro de 2014.[19]

Em 25 de novembro de 2014, o grupo lançou o sexto álbum de estúdio Cores & Valores, o primeiro com músicas inéditas em 12 anos.[20] [21]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Mano Brown[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Mano Brown

Pedro Paulo Soares Pereira  nasceu em São Paulo no dia 2 de abril de 1970 ,mais conhecido como Mano Brown, é um rapper brasileiro e vocalista dos Racionais MC's. É autor de canções como "Vida Loka I", "Vida Loka II", "Negro Drama" (com Edi Rock), "A Vida é Desafio", "Jesus Chorou", "Da Ponte pra Cá", "Capítulo 4, Versículo 3", "Tô Ouvindo Alguém Me Chamar", "Diário de um Detento", "Fórmula Mágica da Paz", "Homem na Estrada", "Fim de Semana no Parque" (com Edi Rock), "Mano Na Porta do Bar", "Negro Limitado" (com Edi Rock) "Pânico na Zona Sul" e "Artigo 157".

O apelido de Paulo originalmente era Brown. Segundo o próprio, "Mano" veio depois devido a uma interpretação errônea de um trecho de uma música "sou eu mano, o Brown" interpretado como "sou eu Mano Brown". Daí pra frente o apelido pegou.

Ice Blue[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ice Blue

Paulo Eduardo Salvador mais conhecido como Ice Blue nasceu no dia 16 de março de 1969,apresenta o programa "Balanço Rap" na estação de rádio 105 FM junto com o companheiro de grupo KL Jay. Seu apelido vem de "Nego Blue", música de Jorge Ben Jor. Mano Brown diz que é porque "ele andava sempre arrumadinho".

KL Jay[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: KL Jay

Kleber Geraldo Lelis Simões mais conhecido por seu nome artístico KL Jay,  nasceu em São Paulo no dia 10 de agosto de 1969, é o DJ Racionais MC's. Cabe a ele a criação das bases, que são aquelas batidas que acompanham o lírico, dando o ritmo certo para esses serem cantados.

Edi Rock[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Edi Rock

Edivaldo Pereira Alves nasceu em São Paulo no dia 20 de setembro de 1968 mais conhecido pelo seu nome artístico, Edi Rock, é um rapper e compositor brasileiro.

É de autoria de Edi as canções "Mágico de Oz" ,"Tempos Difíceis" e "Rapaz Comum", além de várias outras as quais fez em parceria com Mano Brown e Ice Blue. Além disso, compôs uma canção em parceria com a banda inglesa Asian_Dub_Foundation na faixa 19 Rebellions sobre as rebeliões orquestradas pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) em 2001 e seu exemplo como ação organizada contra o Estado e o Status Quo.[22] Em 2012, Edi Rock lançou a canção "That's My Way" junto com Seu Jorge, a qual foi indicada para Prêmio VMB em "Melhor Videoclipe", porém perdeu para "Marighella", do próprio Racionais MC's.[23]

Discografia[editar | editar código-fonte]


Álbuns de estúdio
Coletâneas
Álbuns ao vivo

DVDs[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

  • 1990 - Tempos Difíceis
  • 1998 - Diário de um detento (direção: Maurício Eça e Marcelo Corpanni)
  • 1998 - Mundo mágico de Oz (direção: Maurício Eça)
  • 2004 - Vida Loka II (direção: Katia Lund)
  • 2012 - Mil Faces de um Homem Leal (Marighella) (direção: Daniel Grinspum)
  • 2012 - Mente do vilão (direção: Felipe Briso)

EP[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • 1994 - Fim de Semana no Parque
  • 1995 - Raio X Brasil (Instrumental)
  • 2014 - Quanto Vale o Show

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria
1998 VMB Escolha da Audiência
2002 Prêmio Hutúz Grupo ou Artista Solo[24]
2006 Ordem ao Mérito Cultural Música[25]
2009 Prêmio Hutúz Melhores artistas da década
2012 VMB Clipe do Ano
2014 Prêmio Multishow Melhor Show Com a Turnê De 25 Anos

Referências

  1. a b c d e Dicionário Cravo Albin, sem data
  2. a b Persia, 6 de dezembro de 2006
  3. a b Rabassallo, 9 de Maio de 2014
  4. Estação Periferia, s/data
  5. Agência Estado, 26 de julho de 2011
  6. G1, 14 de dezembro de 2012
  7. Diógenes, 2001, p.100
  8. Silva e Soares, outubro-dezembro de 2004
  9. Nascimento, 2010
  10. Contier, maio de 2005
  11. Eble, julho-dezembro de 2013
  12. Jesus, 2009
  13. Guimarães, maio de 2014
  14. Carvalho, 31 de julho de 2014
  15. Muniz, 06 de maio de 2007
  16. Ishii, 13 de agosto de 2012
  17. Revista Rolling Stone, dezembro de 2012
  18. Menezes, 22 de setembro de 2012
  19. Rabassallo, 23 de outubro de 2014
  20. Caramante, 24 de novembro de 2014
  21. UOL Entretenimento, 25 de novembro de 2014
  22. "Banda inglesa Asian Dub Foundation faz música sobre Carandiru". Lúcio Ribeiro. Folha de S. Paulo. 13 de dezembro de 2002. Consult. 6 de outubro de 2012. 
  23. "Veja a lista final de indicados ao VMB 2012". MTV Brasil. Consult. 03 de setembro de 2012. 
  24. Barbosa, 14 de outubro de 2002
  25. Agência Estado, 30 de outubro de 2006

Bibliografia consultada[editar | editar código-fonte]

  • Diógenes, Glória M.SCartografias da cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento Hip Hop. São Paulo: Annablume, 2001, p.100. ISBN: 8574190160
  • Silva, Vinícius G.B e Soares, Cássia B. As mensagens sobre drogas no rap: como sobreviver na periferia. Rio de Janeiro: Ciência & Saúde Coletiva, outubro-dezembro de 2004. ISSN 1413-8123. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Contier, Arnaldo D. O rap brasileiro e os Racionais MC's. An. 1 Simp. Internacional do Adolescente, maio de 2005. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Nascimento, J. Cultura e consciência: a “função” do Racionais MC`s. Revista Z Cultural, Ano V, ed.3, 2010 ISSN 1980-9921. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Eble, Laeticia J. “A responsa de mudar o mundo com a ponta de uma caneta”: considerações sobre o rap nacional. Revista Brasileira de Estudos da Canção. Natal: UFRN, n.4, julho-dezembro de 2013, p.1-70. ISSN 2238-1198. Disponível em PDF. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Jesus, Isabel C.A. O discurso sobre as violências no grupo de rap Racionais MC's. Porto Alegre: PUCRS, 2009. Disponível em PDF. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Guimarâes, J. A fábrica de sons dos Racionais. Na Pegada da Periferia, Diário de S.Paulo, 17 de maio de 2014. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Rabassallo, L. Listamos as 25 razões que fazem dos Racionais MC'S o grupo de maior importância na cultura hip hop do Brasil. Vírgula, 9 de maio de 2014. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Rabassallo, L. Racionais MC's confirmam disco de inéditas para dezembro: "Será potente", garante KL Jay. Rolling Stone, 23 de outubro de 2014. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Carvalho, I. Ice Blue: “Eu sou alvo de racismo todos os dias”. SPRESSOSP, 31 de julho de 2014. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Menezes, T Só o rap imprime relevância ao VMB. Ilustrada, Folha de S.Paulo, 22 de setembro de 2012. Disponível [1]. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Persia, M. DVD do Racionais traz documentário de Brown e cenas com Benjor. Folha.com, 6 de dezembro de 2006. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Muniz, D. Virada Cultural se transforma em campo de batalha no centro de SP. Folha.com, 6 de maio de 2007. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Ishii, R. Documentário e videoclipe dos Racionais MC’s retomam a história de Marighella. Saraiva Conteúdo, 13 de agosto de 2012. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Caramante, A. Cores e Valores, novo álbum do Racionais MC's, ganha as ruas. R7, 24 de novembro de 2014. Disponível aqui. Acesso em 25 de novembro de 2014
  • Depois de 12 anos, Racionais MC's lançam novo álbum "Cores & Valores". UOL Entretenimento, 25 de novembro de 2014. Disponível aqui. Acesso em 25 de novembro de 2014
  • “Mil Faces de um Homem Leal (Marighella)”. As melhores músicas de 2012. Rolling Stone, dezembro de 2012. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Agência Estado. Racionais MC's reúnem maior público do Black na Cena. O Estado de S.Paulo, 26 de julho de 2011. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Agência Estado. Racionais MC's agora são Cavaleiros do Mérito Cultural. O Estado de S.Paulo, 30 de outubro de 2006. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Programa entrevista o grupo mais icônico do movimento hip hop. Estação Periferia, TV Brasil, sem data. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Planeta Atlântida 2013 anuncia show do grupo de rap Racionais MC's. G1, 14 de dezembro de 2012. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Racionais MC's - Dados artísticos. Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, sem data. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014
  • Barbosa, M.A. Prêmio Hutus anuncia seus indicados. Cliquemusic, 14 de outubro de 2002. Disponível aqui. Acesso em 12 de novembro de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Racionais MC's
Wikilivros
O Wikilivros tem um livro chamado Racionais MC's