Viela 17

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Viela 17
Informação geral
Origem Ceilândia,  Distrito Federal
País  Brasil
Gênero(s) Rap,
Hip Hop
Período em atividade 2000-presente
Integrantes Japão
ChrisSoul
DjGabj
Ex-integrantes Dino Black
Manomix

Viela 17 O grupo é do Distrito Federal, considerado um dos mais importantes do rap nacional, nascido nas ruas de Ceilândia. A Capital Federal é berço de grandes nomes do rap nacional. O Viela 17, desde seu primeiro álbum, O Jogo (2001), vêm aumentando o seu séquito de admiradores. O grupo atua nacionalmente e representa a mobilização do rap na terra vermelha. A luta por um lugar ao sol não deixa o Viela 17 esquecer de suas raízes da periferia: CEILÂNDIA, seu berço. Japão procura manter no grupo características e releitura do rap da década de 1990, samples, batidas, programações e timbres sempre são pensados para manter a fidelidade ao segmento originalé um grupo de Rap brasileiro.

Produzida a partir de parceria entre Look “Chega aí jhow” e VadiosLocus “Bom é viver”, Viela17 lança, em 2004, “Só curto o que é bom”, música de maior sucesso e que já ultrapassa a marca de 2 milhões de views no Youtube.

Desde 2000, Viela 17 leva sua mensagem por todas as regiões do país. Batidas pesadas e sofisticação são marcas da banda que leva seu Rap com pitadas de soul e samba.Sempre lembra Ceilândia como seu berço e não esconde a personalidade da periferia. É nessa hora que a música invade a cultura por meio da manifestação Hip Hop.

Com o objetivo de apresentar ao seu público trabalhos de excelência, as músicas do Viela17 são produzidas com nomes de referência no rap nacional, entre eles: DJ Raffa Santoro, Duck Jay (Tribo da Periferia), Beto Batata, Ariel Haller Feitosa e DJ Saci (RJ). Mv Bill, Ellen Oléria, Mano Brown (Racionais MC’s), Rappin Hood, Helião (RZO), Pregador Luo, GOG, Vadioslocus, Look, Rei (Cirurgia Moral), Aninha (Atitude Feminina), Belladonna, Sobreviventes de Rua, Alexandre (Natiruts), In Natura, Kiko Santana, Indiana Nomma, Lívia Cruz, Khris Maciel e Alex Jordan (Dreams Coral), também fizeram parceria na carreira da banda.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O grupo teve seu início em 2000, como parte de um projeto desenvolvido pelo rapper GOG.[1] Passou por diversas formações até a atual, com Preto, Japão (ex-membro da banda GOG) e Hernandes como MCs e Fabiano como DJ.[1] A iniciativa para a criação foi de Japão, que junto com os ex-integrantes Dino Black e Manomix criou o Viela 17.[2] Fez apresentações no Distrito Federal antes de lançar o seu primeiro álbum, em 2001, chamado O Jogo, que contou doze faixas.[3][4]

Em 2004, com uma nova formação, o Viela 17 composto por Japão, Dj Fabiano, Juninho, Dj Buiu e Negro Dário lança o seu segundo álbum, O Alheio Chora Seu Dono, o qual foi produzido por Edi Rock, DJ Raffa e DJ K, o qual contou com a participação de Rappin' Hood, Pregador Luo, MV Bill e Sobreviventes de Rua.[2] O trabalho seguinte veio em 2008, com o CD Lá no Morro, o qual recebeu apoio pela crítica e teve vendas bem-sucedidas. Ele contém participações de vários artistas, como MV Bill, Duckjay (Tribo Da Periferia), Vadioslocus, Look, Lívia Cruz, GOG, Alexandre (Natiruts), Kiko Santana e Rei (Cirurgia Moral), 3 um Só entre outros.[1]

Em 2009, iniciou-se um trabalho com jovens do Distrito Federal e arredores por parte de Japão, tendo sido lançado no final do ano o CD Rap com Ciência, que foi gravado em escolas e contou com 76 crianças em dezesseis faixas do álbum.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. a b c d «Viela17 em Música do MySpace – Transmissão gratuita de MP3s, Fotos & Vídeos». myspace.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  2. a b «:: Rap Nacional::». 64.233.163.132. Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  3. «CD Viela 17 – O Jogo | Informax Downloads». www.informaxdownloads.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2010 
  4. «VIELA 17 - MusicaPopular.org». www.musicapopular.org. Consultado em 17 de fevereiro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]