Kamau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde novembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Out of date clock icon.svg
Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas.

Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando fontes válidas. Utilize o campo de resumo para uma breve explicação das alterações e, se achar necessário, apresente mais detalhes na página de discussão.

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Kamau
Informação geral
Nome completo Marcus Vinicius Andrade e Silva
Nascimento 1 de março de 1976 (41 anos)
Origem São Paulo, SP
País Brasil
Gênero(s) Rap, hip hop, jazz, funk
Ocupação(ões) Rapper, compositor, beatmaker
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1997 - atualmente
Outras ocupações Skatista
Gravadora(s) Laboratório Fantasma
Afiliação(ões) Emicida, Rael da Rima, MC Rashid

Marcus Vinicius Andrade e Silva (São Paulo, 01 de Março de 1976), mais conhecido pelo nome artístico Kamau é um rapper, compositor, beatmaker e skatista brasileiro. Iniciou sua carreira em 1997 e é visto como referência por muitos dos MCs em destaque na cena atual e também admirado por veteranos.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

O nome Kamau veio de um livro de nomes africanos que o DJ KL Jay (Racionais MCs) tem em casa. Significa "Guerreiro Silencioso" em swahilli e Kamau logo se identificou e achou que tinha a ver com seu jeito de agir e ser. Mas é um nome artístico, escolhido por ele e nunca foi apelido.[1][2] Ele já dividiu palcos e gravações com várias gerações do rap brasileiro e mundial.[1][2] Sua primeira música solo, Numtointendendu, faz parte do EP do seu primeiro grupo, o Consequência (Prólogo, 2002).[1][2] A partir daí, o rapper brasileiro trilhou um caminho com álbum aclamado pela crítica, fãs com trechos de suas músicas tatuados, participações no programa Yo! MTV com uma inesquecível entrevista ao rapper Sabotage, indicações no VMB da MTV, quatro videoclipes lançados em menos de três anos e o reconhecimento de fãs e outros artistas em todo o mundo.[3][4][1][2]

Kamau também fez parte do grupo carioca Quinto Andar, extinto em 2005.

Se até 2013 o rap brasileiro rompeu algumas fronteiras e ocupou espaços importantes, muito se deve à caminhada de artistas como Kamau.[1][2] Em 1997 o rapper já começou tocando pra uma grande plateia.[5][6] Ele destaca um dos momentos mais importantes da sua carreira: “Esse foi o ano que rolou o segundo show do Consequência, com público de cerca de 5 mil pessoas, e dei a primeira entrevista para o Yo! da MTV”.[1][2] Vender discos mão a mão é coisa que Kamau já fazia em 2002. “Outro momento inesquecível foi em 28 de agosto de 2002. O dia que chegou o EP do Consequência e fui vender na porta do Jive, no show do Afrika Bambaataa”.[7][1][2]

Momentos como esses fizeram parte da base de sua carreira. E um dos resultados da disciplina e a busca da perfeição em suas rimas e batidas foi o Non Ducor Duco, seu primeiro álbum solo lançado em 2008, eleito um dos 25 melhores discos nacionais do ano pela Rolling Stone[8][9], melhor disco de hip hop pela Rádio Cultura Brasil e pelo blog Rapevolusom. Non Ducor Duco significa Não Sou Conduzido, Conduzo.[1][2] É também o lema da cidade de São Paulo.[10][1][2]

E foi conduzindo seu próprio caminho que Kamau seguiu a trajetória e considera 2009 como o ano que mais trabalhou, projetando Non Ducor Duco por todo o país em inúmeras apresentações. Em 2010 completou 12 anos de história no rap e 21 no skate – o artista também foi skatista profissional e apresenta campeonatos em todo o país. E em 2012 lançou três videoclipes e o EP “Entre”.[1][2]

Em 2013 Kamau continua rodando pelo país e levando sua música ao mundo. “Espero chegar a mais lugares com o EP Entre e firmar mais parcerias musicais. Quero produzir mais conteúdo audiovisual do EP também”.[1][2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências