Status quo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Status quo e statu quo[1] são formas abreviadas da expressão do Latim in statu quo res erant ante bellum ("no estado em que as coisas estavam antes da guerra"). Significam "no mesmo estado que antes"[2] , "o estado atual das coisas, seja em que momento for".[3]

Empregam-se estas expressões, geralmente, para definir o estado de coisas ou situações. Elas são sempre empregadas nas formas "manter o status quo", "defender o status quo" ou, ao contrário, "mudar o status quo".

O conceito de status quo origina-se do termo diplomático in statu quo ante bellum, que significa "no estado (em que se estava) antes da guerra".[3]

A expressão se refere ao estado atual das coisas. Na citação "Considerando o status quo...", por exemplo, considera-se a situação atual.[3]

Status quo ou statu quo?[editar | editar código-fonte]

Statu quo tem o substantivo e o pronome no ablativo, status quo tem o substantivo no nominativo, o pronome no ablativo. Ambas são perfeitamente corretas em latim, dependendo do que se queira dizer. Em latim, ocorrem ainda as sequências statum quo (substantivo no acusativo) e statui quo (substantivo no dativo). O genitivo e o vocativo são idênticos ao nominativo. A expressão original era in statu quo res erant ante bellum e incluía dois ablativos porque o primeiro era exigido pela preposição in e o segundo resultava da idêntica função de localização espacial na oração subordinada, que, em português, se mostra pela repetição da preposição "em": "no" estado "em" que as coisas estavam antes da guerra.[3]

É discutida entre os entendidos e, sobretudo, varia de país para país, a adoção preferencial das fórmulas reduzidas statu quo e status quo. A dúvida é sobre se se deve continuar a usar o ablativo, que ocorria na frase original, ou se se deve optar pelo nominativo, que é regra nos empréstimos do latim. A fórmula reduzida não inclui a preposição in, que, em latim, exigia o ablativo; além disso, é usada em qualquer função sintáctica (por exemplo, como sujeito), e não só como complemento circunstancial. A forma statu quo é a mais frequente em Portugal, França, Espanha e Itália, com apoio da maioria dos dicionaristas. Status quo é a versão usada em Inglaterra, nos outros nos países anglófonos, bem como na Alemanha, Holanda, Rússia, Polônia, Hungria, Suécia, Turquia e Brasil, dentre outros.

Notas e referências

  1. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 1 200.
  2. Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 1 200.
  3. a b c d Normas sobre "status quo". instrucoesleonisticas.jor.br. Página visitada em 23/07/2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.